Pesquisar este blog

segunda-feira, março 31, 2008


O Guru, Ravi Shan

Não opomos duvida que a realidade é muito mais criativa que a ficção criando links onde as densas passagem se fazem trancadas a sete chaves, tanto que as vezes me questiono sobre o que é a realidade e onde iniciaria a ficção, nosso mundo atual é totalmente surrealista, alguém tem alguma duvida disso? Existem tantas coisas que são “reais” que mais parecem egressas de obra de fabulas, pela intensidade, pela grandiloqüência e pela dimensão que atinge em nossos sentidos mais periféricos, você tem duvidas que algumas obras advindas de nosso mundo “real” são mais fantásticas que a ficção?
Um bom exemplo disso, é apreciar os tipos de violência que temos hoje, a comparação de valores humanos X financeiros, o que são prioridades para os ditos sistemas que governam os principais países do mundo e por ai, a exposição da miséria mental ditada pelo meios de comunicação cuspindo “realidades” a torto e a direito, não parece algo longe da realidade embora seja realidade ? Só de pensar me da um nó nas tripas, de forma que duvido, para alguém como eu que olha os outros com olhos de amanhã, não temos duvidas que ficção e realidade se imitam mutuamente!!
Foi em um bar que o conheci, era um tipo comum sendo absolutamente estranho ao ambiente, usava roupas comuns nada diferente, um jeans surrado, alpargatas, e uma camisa de linho branca larga que lhe dava um ar de pai de santo de plantão, os cabelos longos e presos, uma barba a nazarena emoldurava o rosto repleto de profundidade disciplinada, mas o que mais me impressionou foi o sotaque, falava quase português arrastando um russo de final, é uma coisa estranha a vontade que tinha de falar,parece que quando mais dificuldade alguém tem em falar é justamente o que mais deseja. E assim fiquei de expectador observando ouvindo sua logorréia em um idioma estranho, tomava cerveja e estava já diante um grupo de pessoas a sua volta admirada com sua historias, dizia-se um guru do sexo tântrico, que havia vivido na India, que tivera um Mestre, que havia despertado os centros de força e outras coisas, mas cá comigo eu não sabia,era algo surrealista demais para ser verdadeiro, entre as coisas que contou era que conhecia técnicas para fazer sexo por seis horas consecutivas e gozava sem ter ejaculação o que segundo ele então a pessoa era guindada a um estado superior de consciência Universal, o qual se integraria a consciência do Divino, pensei comigo, tudo aquilo era grande demais para uma mesa de bar acompanhado de meia dúzia de vagabundos pseudo intelectualóides, conforme é a maioria das pessoas ditas inteligentes e Cults de minha cidade, mas vá lá, de repente posso estar sendo cético demais, de repente ele poderia ser isso e muito mais, deixe-me levar pelos os vapores da cerveja e pela burrice coletiva para ver onde a toca do coelho iria me levar.
A noite avançou e então nosso guru cansou e ergueu-se, pagou a conta e foi embora arrastando seu corpinho “iluminado” para longe do Bar, minha desocupação era enfadonha naquele instante, decidi acompanhá-lo de longe para ver.
Quando ele então estava longe do Bar, começou a sentir-se mal, apoiando-se em um poste vomitou até a sua Alma Universal Inteira, e ao parece que o vomito tem um efeito psicológico nas pessoas, naquele instante praguejou em um português perfeito, sem influências Soviéticas e dei-me conta que conhecia o Guru Indiano que intitulava-se Ravi Shan, era meu amigo de infância Marcelo,o rolha de poço, conheci pela entonação vocal, ele sempre reclamava daquele jeito, mas faziam 25 anos que não o via, então em um átimo não me segurei e disse Rolha é você? Ele olhou para o lado e tentando manter o Guru ainda vivo em si falou em russo alguma coisa, eu me aproximei rindo e disse para com isso rolha, sou eu Fabiano estudamos no primário etc...Mas não adiantou, ele me deu as costas e negou em russo, e foi-se embora cambaleante, e toda a comunhão com o Universo estava ao lado do poste, onde fatalmente terminam muitas idéias “geniais”de nossos pensadores modernos, a farsa tinha acabado.
Eu conhecia um pouco de sua historia real: Sempre fora um mentiroso amador,tinha muito peso e nunca participava de nada, ficava calado em canto, não possuía amigos,quando falava dizia coisas espetaculosas fora do comum, eu o achava divertido, como acho isso a maioria das pessoas que falam serio de mais,só eu, escutei umas três versões sobre as peripécias de seu pai, e de sua mãe, que gostava de coisas Indianas e que fazia meditação, e segundo ele levitava sobre o carpete de sua casa, mas a verdade é claro não era essa...,seu lar era desajustado,ele não era um filho esperado, ele era o resultado de um desespero, um erro, devo concordar que ele era um erro mesmo, sua mãe era inconseqüente e seu pai era um bêbado inveterado,que eventualmente lhe batia na cabeça e o chamava de gordo, e claro como vocês sabem é assim que se cria um Guru bêbado do sexo.
Onde isto no leva?
Simples, ele era o resultado do mundo moderno, atual,não havia poesia, ele era uma vã tentativa de ser mais ou menos normal, como você!


O texto era para ser cômico, divertido mas por fatalidades do destino de cada coisa não tenho controle, um personagem nasce e passa a ter vida própria e muito embora eu quisesse gargalhar com ele,mas no momento que a farsa olha-se nua no espelho e descobre a si, e naturalmente quando descobre-se morre, quando você descobre-se um pouco algo em ti morre.
Hoje não gargalhei, mas uma lagrima ficou presa na garganta, num misto de compaixão e asco.

Paz e luz em teu caminho.
Fabiano.


Para mais informações do tântra:


domingo, março 30, 2008


Relato de uma mãe que perdeu um filho:

A unica vantagem de perder um filho, é que nada mais pode me atingir, nada será maior que a dor que eu sinto agora.”


Eu respeito poucas coisas na minha vida, mas a isso eu respeito, tudo se passa de uma longa historia...


Paz e luz em teu caminho.

Fabiano.
Oh Fortuna (tradução)
Carmina Burana
Composição: Carl Orff

Oh, fortuna,
Variável
Como a lua,
Sempre cresces
Ou minguas;
Detestável
Ora frustra
Ora satisfaz
Com zombaria os desejos da mente,
À pobreza
E ao poder
Dissolve como se fossem gelo.
Sorte monstruosa
E vã,
Tu, roda a girar,
A aflição
E o vão bem-estar
Sempre se dissolvem
Tenebrosa
E velada
Atacas-me também;
Agora por teu capricho
Costas nuas
Trago sob teu ataque.
Senhora do bem-estar
E da virtude,
Estás agora contra mim;
Nesta hora
Sem demora
Tocai as cordas;
Pois que a sorte
Esmaga o forte
Chorai todos comigo.
=========================================
É impossivel não dobrar-se a imponência inegável de um canto primevo, não sentir-lhe a beleza grandioquente que fala diretamente ao espirito insuflando-o a galgar as alturas em uma tentativa de agarrar-se aos Pés Dele.
Toda paz em tua Alma.
============================================
Aprecie o belo video:
==========================================================
Ps:Esta cantata é Sobre a Roda da Fortuna, o texto é um codex antigo de um tambem antigo mosteiro na Baviera, são poemas de Monges Errantes, que um belo dia foram parar Senhor nas mãos do Sr.Carl Off que então montou a magnifica obra que segundo palavras dele mesmo era: descrita pelo compositor como, "a celebração de um triunfo do espírito humano pelo o balanço holístico e sexual".
A Roda da Fortuna é décima carta do Tarô de Marselha justamente significando a mudança do destino hora sorte e hora azar, a mutabilidade de todas as coisas que hoje nos jogam para alto e em outro momento no lança aos abismos, um canto sobre a vida e a capacidade profunda de entende-la em seus nuances mais belos e mais terrososos e nesta ditocomia de mudanças nos o ponto de apreciação pessoal que nos torna melhores como entes humanos proximos de uma possivel humanidade.
Paz profunda a todos.
Fabiano.

sábado, março 29, 2008


Da serie erros da Criação...

Sinfonia das Entranhas!

Por vezes tenho a certeza absoluta que o Criador diverte-se muito com as suas criaturas, é impossível que não, porque pelas artimanhas do destino por vezes nos colocamos em situações no mínimo estranhas, as vezes constrangedoras e por vezes vexatórias, é inescapável, e as pessoas que possuem um bom senso, riem, as outras, bem as outras adoecem pois não ver o ridículo de si as vezes é mais patológico que o próprio ridículo em si!
Foi assim que Regininha e Apolo se conheceram, o amor sem dúvidas faz estranhos caminhos, tudo começou em uma sala de bate papo, então um dia decidiram conhecer-se (lembram muito Eduardo e Monica do Legião Urbana...),Apolo não era naturalmente um Apolo mítico, não era nada de Apolo em verdade, baixo,cabelos curtos e negros, óculos fundo de garrafa, bem vestido discretamente, jeans e camiseta para dentro das calças, tinha agora 27 anos, seu rosto que mais lembrava uma sorridente bolacha maria, de fato sorria facilmente, psicologicamente era mais ou menos saudável, era tranqüilo,não tivera muita sorte no “amor” é verdade, e agora talvez Regininha fosse quem sabe... afinal as pessoas estão sempre esperando algo de algo é meio natural, ele vivia um momento especial de sua vida, estava sozinho a muito tempo e queria de fato alguém para “amar”,mas você sabe e eu também, estas coisas são mais ou menos improgramáveis,acontecem ou não(sou uma exceção ...ainda não sei se isto é bom...deixe para lá) mas ele realmente estava depositando muita confiança, emoções como a carência e fragilidade da alma o mobilizavam naquele momento, com toda certeza estes não são bons sentimentos para se ouvir os denso conselhos, mas que fazer, ele sentia-se empurrado a isso,queria tanto,mas tanto...Regininha.
Regininha parecia ter saído de uma mítica fabula das amazonas,um personagem de livro, uma fada ou algo assim,alguém assim não existe no mundo real, linda e absolutamente linda,morena de tez clara e cabelos longos de um negrume ônix, olhos lindos e cinzelados uma variação entre o azul e o verde, tinha 1,77 de altura, magra, um sorriso de “Suzi”, uma tigresa típica, transpirava sensualidade até o ultimo fio dos pelos de seu corpo, elegante, vestia naquele dia um vestido negro e usava delicadas e brilhantes jóias que sobressaiam na noite de sua roupa, as unhas fatais compridas e vermelhas, um batom no mesmo tom e claro sapatos altos associados em um caminhar muito elegante,era a manifestação de uma Deusa (que as mulheres não pensem que podem se igualar, é impossível, Regininha era única, rara e invulgar,uma beleza extraordinária,fora de todos os padrões concebíveis...).
Apolo marcara de pega-la em casa para então ir para algum local tranqüilo para conversarem pessoalmente, seria muito bom ambos estava convictos disso, e assim foi, as 21 horas me ponto Apolo estacionava seu possante na frente da casa de Regininha e dirigiram-se a um barzinho com musica baixa e poucas pessoas, claro que aquilo foi maravilhoso, e o encantamento estava presente em meio a olhares e uma conversa inteligente, Apolo tinha suas compensações,não era uma Apolo, mas era um Einstein, tinha uma inteligência profunda e quase tão rara como a beleza de Regininha,e neste enlace mental e aspirações emocionais ambos estavam propícios,Regininha adorava ouvir a voz de Apolo quando fazia as menções de autores e outras coisas, ele quase tudo sabia,ambos estavam aprendendo, o encanto da bela e a fera. O bar agora queria fechar e ambos decidiram retirar-se e talvez seguir aquele papo em outro local mais intimo, desejo permeava a ambos, chegava de toques de intelectualidade que de um modo geral esfria os instintos mais basilares era preciso, bem , dirigiram-se ao apartamento de Apolo, para um “café”.
Chegaram na casa de Apolo e de surpresa Regininha em sorria marotamente, talvez o vinho tivesse algum efeito, em seus sentidos...aproximou-se de Apolo e o beijou sofregamente, intensamente,então um vulcão despertou, caricias, carinhos, roupas caindo ao chão,tudo virando lava quente...o calor dos corpos, então paixão, corpos molhados, suor e respiração ofegante, a poesia ilusória do desejo, posições e troca de posições, o intercurso final e a explosão do prazer e então o silencio das línguas e corpos cansados, um silencio.
Quando tudo estava muito calado em um silencio de uma catedral, ouviu-se então o longo e sonoro peido, um flato que escapara da Deusa, longo fininho de inicio e ficando grave no final, e naquele instante os olhos arregalados dela e o nervoso do momento uma vez que sua bunda estava perto da face de Apolo, que será que ele vai pensar de mim ?Não sabia se levanta-se e pedia desculpas ou fazia que estava dormindo, quefazer?Naquele instante Apolo deu uma tossida(estaria engasgado pelo fétido aroma?), então como sem saída, a “Deusa” olha para trás e seus olhos encontram os de Apolo,que estava com um sorriso amarelo,(talvez buscando uma saída filosófica para o mal cheiroso momento...)então Regininha muito sem graça e constrangida, desculpa ta acho que eu fiquei nervosa...(a mais esfarrapada das desculpas...),Apolo sorri e diz tentando confortá-la, não foi nada não dou bola para estas coisas,afinal quem não peida né? (ainda que lhe soltem gases na cara...). Ambos estavam esfarrapados com as respostas, de minha parte acho que falou um Maestro naquele momento, afinal o pum de Reginha era uma mezzo-soprano estertorante sem regência, tem momentos que só o humor nos salva!
Enquanto isso, La em cima ouvia-se Alguém se mijando de tanto rir...

Um brinde as fissuras de cada um de nós
Paz e luz em teu caminho.
Com meu suave sarcasmo, e minha doce ironia!

Luis Fabiano.

sexta-feira, março 28, 2008


Canção Do Mar
Dulce Pontes
Composição: Indisponível
Fui bailar no meu batel
Além do mar cruel
E o mar bramindo
Diz que eu fui roubar
A luz sem par
Do teu olhar tão lindo
Vem saber se o mar terá razão
Vem cá ver bailar meu coração
Se eu bailar no meu batel
Não vou ao mar cruel
E nem lhe digo aonde eu fui cantar
Sorrir, bailar, viver, sonhar contigo
Vem saber se o mar terá razão
Vem cá ver bailar meu coração
Se eu bailar no meu batel
Não vou ao mar cruel
E nem lhe digo aonde eu fui cantar
Sorrir, bailar, viver, sonhar contigo.
=========================

Aprecie sem moderação alguma:




"Quem desconhece a própria imbecilidade certamente não sabe quem é, e fatalmente cometerá grafes monstruosas."



Luis Fabiano.

quinta-feira, março 27, 2008


Condição da Condição !

Era de se esperar, vivia sempre apresentando manifestações patológicas, quando não era uma era a outra doença, quanto então curava-se de outra, sempre existia uma terceira, bem, era de se imaginar, afinal tinha todos os pré-requisitos para a doença, era um tipo endógeno, retraído, nunca assumia seus reais desejos e vontades, gostava de ser assim, entendia que a educação deve prevalecer sobre toda paixão e taras, então guardava aquilo em seu peito, mas até quando faria?Era um pouco de cada um de nós.
Freud, sorriria para ele e certamente diria que não passava de um vitima de si, de seus instintos mais primitivos, se é que assim pode-se referir, com toda certeza, um instinto livre por si mesmo leva-nos a ruína mas seu contraponto também, uma prisão para a imbecilidade latente é um veneno que irá irrigar lentamente nossa alma e corpo a procura de sua válvula de escape, as vezes é por vias normais, doutras, aquele pequeno câncer ou outra patologia qualquer que aparece em lugar ermo e insólito, aqui começa o drama de tua vida amigo.
A eterna briga de tua intrínseca realidade com a pseudo-realidade aceita da condição-regra de se viver, onde asfixiado por medos, preconceitos, moral e toda esta parafernália criada para controlar-te, para adoecer-te e para te tornar um e apenas mais um, seria exagero de minha parte?Porque não tenta ser diferente?
Desculpe talvez você nem saiba o que é isso...
Não quero entrar em questões de normalidade, por ser isso sempre é muito perigoso, pessoas normais me assustam, elas são tão educadas, certinhas, politicamente corretas,amam ao próximo e outras tantas outras qualidades que me faltaria espaço para citar,tão sociais e e éticas que quase funcionam em tese e intelectivamente apenas.
Bem então estas pessoas entram em suas intimidades, e permitam-me agora ser básico, primitivo, grotesco talvez como se deve ser, tais pessoas entram em suas intimidades, nas quatro paredes de seu quarto, e então expõe ao outro(companheiro(a)) parte do que são,e em grande maioria não expõe nem ao outro o que são verdadeiramente, pelos aspectos já mencionados, guardam sua “chaga” a sete chaves, coisas que nem eles gostariam de pensar que sentem e desejam, e por favor não me diga que não tens tais pensamentos, que você tem vergonha até de pensar que os tem, vamos, fique a vontade estamos só eu e você aqui,abra-se, aqui não haverá proibições ou julgamentos de forma alguma, neste momento sou o demônio bom literário chamando você para o pecado, aquele pecado que você sempre quis fazer e lhe faltou tudo para cometer.
Tire agora sua máscara e exponha seu rosto nu a luz deste luar, liberte sua tara, sua fantasia, sua loucura pessoal, tudo é permitido neste instante, afrouxe seus grilhões e assuma-se, evocando do porão profundo teus pesadelos ou sonhos, eu te entendo, sei daquela voz bem baixinha que te tenta e que resistes a toda custa buscando mecanismos de moralidade para evitar o “dano” ou dane-se, não te admiro por isso, até quando vais fingir para ti mesmo? Quando o medo do pecado torna-se maior que o pecado é por certo que o pecado torna-se maior ainda, pois irá acumular-se em tua alma até não mais teres forças, delírio, divagação, improbabilidade ?
Não sei, por certo conseguirás controlar-te até o fim dos teus dias sem nunca ver-te como és, sentir-te como és ou fazeres o desenhos mais bizarro da tua alma, e achas que por abafar um braseiro crepitante a chama esta extinta? Tão simples assim?
Será que afogar a consciência é suficiente para deixá-la em paz? Deixar calado é deixar em paz? Esquecer é deixar em paz ?
É pelos desvios da não assunção que caímos literalmente em outros desvios compesantórios, na vã tentativa e aliviar o fiel da balança, não é isso? Sempre assim uma oscilação ondulante, tentando viver na zona mais segura de nossa mente, de nossos condicionamentos em uma torcida que tudo de certo e que sejamos felizes para sempre, que nunca sejamos descobertos.
Já não adoecia mais, cedeu, olhava agora para aquelas nádegas exuberantes, aqueles lábios provocantes que lembravam tantos outros lábios, aquelas longas e esguias pernas...agora já não adoecia mais, sentia-se livre e isso era apenas o inicio...

Dedicados aos aprisionados que jazem no fundo do teu coração.
Aos querem ver a luz.
Paz e luz em teu caminho.
Fabiano.

Gratidão aos Inimigos

Muito longe de fazer o que prescreve o Cristo e todos os outros mestres de sabedoria que deram um pouco de luminosidade a este mundo, não falamos aqui de perdão evidentemente, como pode haver perdão quando nem sequer a ofensa?
Quem se deixa ofender é que precisa de desculpas, perdões e outras tantas colocações de natureza “Divina”, costumo dizer para os chegados que para mim nunca devem pedir desculpas ou mesmo me agradecerem, não gosto disso, de minha parte não me incomodo em fazê-lo uma vez que considero a educação, não nenhum principio moral nisso alias em muito aspectos a moral sempre é um belo fingimento, mas isto é outro assunto...
Com o coração completamente expungido de todo e qualquer interesse secundário, sincero mesmo, talvez como raramente eu seja aqui neste espaço, mais dedicado a meus exercícios pessoais, minha ruminação mental, que qualquer outra coisa, entre tantas conversações e aprimoramentos naturalmente aqui devo mencionar a importância de todos os meus inimigos que não são poucos (não preocupem-se, deixarei o nome de fora....), com toda certeza as pessoas mais importantes ,que mais cooperaram para meu aprimoramento, burilamento pessoal,mental e espiritual.
Minha profunda gratidão a todos os antigos, os novos e futuros inimigos, sua sinceridade me cativa e expõe de maneira crua minhas debilidades e me tornam por assim dizer algo melhor, perdoar aos inimigos ? Claro que não, apenas me tornar melhor que eles já é suficiente, eis a vitoria real, quando o inimigo não perturba nossa razão e emoção é porque por certo ele já faleceu em nosso interior portanto não há mais inimigo,nem ofensa e nem sequer perdão!Em outra perspectiva isso não deixa de ser amor manifestado, porque quando algo não nos transtorna mais deixa de existir o conluio da provocação e do provocado, fica apenas uma das partes que terá de haver consigo mesmo, com sua consciência e nada mais, solitário combate de ti para contigo mesmo, boa sorte!
Naturalmente parece uma parábola Zen, mas não é muito, embora nos calores das emoções, nas ofensas ditas e não ditas, dos que se enrodilham como serpentes traiçoeiras e silenciosamente tramam a tua ruína, lições preciosas que nunca e jamais amigos poderiam verter para minha alma, dentro da grandeza ou baixeza de cada um o merecimento devido na dimensão dos valores.
É estranho como o “amor” faz caminhos excêntricos, por vezes inimigos são mais carinhosos conosco de uma forma subjetiva que todos os amigos de minha vida, por vezes chego mesmo a questionar,amigos e inimigos são um bom fiel de uma balança o qual irá pesar nossa benesse e nossa ruína.
Os amigos são onde saciamos nossa sede e cansaço, paramos a refrega brevemente para aurir mais forças, mas nossos inimigos são o buril, que lasca-nos,rompendo com nossos padrões e nos expondo aos sentimentos que não queremos sentir, os odiosos e repugnantes aspectos da vida, da nossa vida, de nossa personalidade mais patológica, é isso que os torna criaturas insuportáveis, esta é a exposição que machuca, machuca orgulho, vaidade, futilidade a nossas pequenas emoções que colocamos em grau superlativo,mas qual a real importância mesmo ?
Qual a melhor maneira de saber-se oque se é, do que não se é, senão expondo-se a luz do meio dia, tuas luzes e sombras ? Conheci gente muito piedosa, que quando faltava um real no troco por erro do caixa, fazia alço descomunal de seu fisco pessoal, a elegância por vezes cansa-se de simular para si mesmo...e evidentemente tropeça no salto alto,e temos um desfile de um trambolho humano, ironicamente, mas sorria afinal quem já não tropeçou nos próprios pés?

Paz e luz em teu caminho.
Luis Fabiano.

quarta-feira, março 26, 2008


Miserere (tradução)
Andrea Bocelli
Composição: Indisponível



Miserere, miserere,
Misererere, miserol sou,
Porem brindo à vida!
Mas que misterio, é a minha vida,
Que mistério!
Sou um pecador do ano de
Oitentamil
Um enganador
Mas onde estou e oque faço,
Como vivo?
Vivo na alma do mundo
Perdido vivendo intensamente!
Miserere, misero sou,
Porem brindo a vida!
Eu sou o santo que te traiu
Quando estavas só
E vivo displicente e observo o mundo
La do céu,
E vejo mares e florestas,
Vejo a mim mesmo que....
Vivo na alma do mundo
Perdido vicendo intensamente!
Miserere, misero sou,
Porem brindo a vida!
Se houver uma noite escura o suficiente
Para esconder-me, esconda-me
Se houver uma luz, uma esperança,
Sol magnífico que resplandece dentro de mim
De-me a graça da vida
Que ainda não tenho!
Miserere, miserere,
Aquela dádiva da vida que talvez
Ainda não tenha.
=================

Quando a beleza te chamar a siga sem teme-la,e vai te dar um presente unico, ira abrir as possibilidades que muitas vezes ignoras na vida, a oportunidade de encantar-se, talvez emocionar-se,saiba fruir e fique em paz.

Fraternalmente.
Fabiano.
=============================================
Aprecie:



Linda...e recordava...

Ontem passei por ela, e estava linda, trajava uma roupa simples uma calça justa e uma camisa clara, com sapatos de salto, puxa nunca a vi tão linda, naturalmente ela não me notou mas isso não era importante, vi que ela estava feliz pelo seu semblante leve e doce, é verdade, as vezes as aparecias enganem, mas ela parecia tão feliz,passou por mim e se foi.
Hoje a vi novamente, então tive a certeza que estava feliz, olhava agora seu ventre levemente dilatado e ela o acariciava com tanto afabilidade como se o quisesse o abraçar, no embalo daquele afago o amor também ali se fecundava em suas entranhas, e a sua emoção era grande e visível, creio que de todas as conquistas a maior de sua vida, a que dá e transforma a vida.
Então o tempo passa...e eu me silencio por um instante.
Agora a tenho visto algumas vezes, plenificada, não trajava mais aquelas roupas, sua beleza havia mudado, com seios dilatados e abundantes amamentava embalando aquele pequeno pacote em forma de gente, de vida, seu sorriso translúcido era a expressão da serenidade amorosa, a visão mais rara que encanta gratuitamente, mas quem de nós esta pronto a encantar-se?Você está?
Passei por ela ainda distante e me fui.
Quando nossos sentidos grosseiros são predominantes, deixar-se levar pela sutileza simples e evidente de tudo que existe não nos diz muito, a beleza nos presenteia a todos os dias de inúmeras formas, mas por nossas cadeias predominantes e condicionadas, o tempo passa, sem muito sentido, sendo justificado por nossas pessoalidades como se a isso somente o que existisse no mundo!
Porque tudo transmuda-se em prisões?
Neste aspecto podemos afirmar que nossas relações estão longe de ser saudáveis porque elas sempre atingem o melhor e o pior do ente humano, se ao mesmo tempo queremos a “beleza” por outro lado a queremos aprisioná-la, para que ela seja nossa e apenas nossa, neste instante todo amor, beleza, encanto e demais qualidades possíveis se perdem na areia movediça de nossas fúteis emoções, e por mais mórbido que possa parecer, é disso que gostamos, gostamos da perda.
Alguns dirão que isto acontece em função da ignorância,bem, mas o que ignoramos? Você sabe?
Ignoramos a maneira ideal, “perfeita” de abordar e sentir a vida,ignoramos a nós mesmos,a liberdade possível eis a maneira de vivenciar tudo o que esta em nossa volta.Desprendimento esse é o grande ensinamento, quando se atinge a maturidade da razão sabe-se que as emoções estão a nossa disposição em uma dicotomia de valores, o burilar mental trás a preponderância ou antes deveriam fazer preponderar sobre o que é real em termos de “emoções”, porque queiramos ou não, existem emoções que não conduzem a lugar algum, a nada ou mesmo a um vazio isso quando não desperta em nós o “vicio” emocional, que naturalmente gera uma castração em nosso coração e em nossa mente!
Amigo tenha claro, nada é teu, como o sol não é teu e a todos encanta, o perfume das flores não é teu, a beleza de um sorriso não é teu embora seja para ti,ela ou ele não é teu mas está para ti,a oportunidade única de abrir os olhos a toda manhãs é para ti mas não tua,as únicas coisas que somos “donos” são de nossas emoções e pensamentos isto quando estão livres e libertos dos condicionamentos, saber fruir com satisfação e sem as preocupações advindas da tua insegurança futurística é maneira ideal de se viver a vida.
Então nunca mais a vi, pois embora eu andasse na rua e fazia aqueles mesmos caminhos, embora nunca tenha trocado uma única palavra com ela ou mesmo sorriso, ela havia me presenteado com seu melhor, com sua gentileza e simpatia talvez provando que por vezes os maiores presentes se passam em silencio no cântico das almas.
Hoje ela visita minha memória acordando no meu coração belas recordações, agora já não é importante onde esteja ou que faz, não, em minha alma vou lhe ser profundamente agradecido, como sou agradecido por este breve momento de comunhão entre eu e você.
Muito Obrigado.

Com meu profundo carinho
Paz e luz em teu caminhar.

Luis Fabiano.

terça-feira, março 25, 2008


Tudo Que se Quer
Verônica Sabino
Composição: Andrew Lloyd Webber
Versão:Nelson Motta

Olha nos meus olhos
Esquece o que passou
Aqui neste momento
Silêncio e sentimento
Sou o teu poeta
Eu sou o teu cantor
Teu rei e teu escravo
Teu rio e tua estrada
Vem comigo meu amado amigo
Nessa noite clara de verão
Seja sempre o meu melhor presente
Seja tudo sempre como é‚
É tudo que se quer
Leve como o vento
Quente como o sol
Em paz na claridade
Sem medo e sem saudade
Livre como um sonho Alegre coma a luz Desejo e fantasia
Em plena harmonia
Eu sou o teu homem
Sou teu pai, teu filho
Sou aquele que te tem amor
Sou teu par, o teu melhor amigo
Vou contigo seja onde for
E onde estiver, estou
Vem comigo meu amado,meu amigo
Sou teu barco, neste mar de amor
Sou a vela que te leva longe
Da tristeza
Eu sei, eu vou Solo
E onde estiver estou
============

Abra seu coração a sensibilidade e permita-se que por um breve instante sentir a beleza de um instante onde se falam e sentem coisas que por vezes são mais importantes que nós.
Toda paz em ti.
Fabiano.

Aprecie

http://www.youtube.com/watch?v=LmObyUKVjyc


Muito Além do teu Jardim -


Quando se Lê o titulo naturalmente Lembra-se da obra monumental e clássica de Peter Sellers (filme Muito Além Do Jardim -Being There) é impossivel furtar-se ao encanto subjacente de Chance Jardin em sua doçura ausente de ideias pre-concebidas, o drama/humoristico trata de pessoas tão estranhas, de qualidades,personalidades e estruturas sociais diversas que em função das circunstancias encontram-se e não conseguem enchergar-se, muito embora tudo esteja evidente, as claras apesar de tais idiossincrasias se entendem plenamente cada um por si mesmo, em mundo muito particular, quase em um egoismo de boa vontade!
Em suas conversações cada um em particular entendia o exato aspecto de seu ponto pessoal de apreciação e interpretação, porem muito embora sendo tão pessoal todos viam-se em um terreno neblinoso onde mais preponderavam probabilidades da boa vontade e gentileza,um palco criado apenas a si mesmo numa junção de qualidades imaginarias e pensamentos que por serem simples demais terminam por ludibriar a razão, este é um ponto a afirmar claramente, tudo é muito simples, e essa é a razão para que não vejamos as coisas como elas são exatamente, o que se entre põe entre o que vemos e sentimos em função da realidade em sí?
É neste espaço que nascem os sonhos,ansiedade(futuro),os medos,traumas(passado)que faz que com não obsorvamos a totalidade da existencia em função destes mecanismos de fuga porem a vida e a natureza nos ensinam que é preciso estar incluso na existencia para viver de forma saudável toda e qualquer emoção, nas derivações de nosso pensamento sempre queremos “eternizar” as ditas emoções esse é o ledo engano e crasso erro, sera que se vive a vida pensando em eternidade de alguma coisa? Quando você mesmo vai morrer,quanto tudo a tua volta vai morrer, quando você não vai partir não se sabe quando deste planeta, é para se pensar em eternidade? Amor eterno? Quando e onde ?
Questão de abordagem, o reino das possibilidades a qual por inteligencia destacamos a que mais se adapta a nós por nossa qualidade e defeitos, amor eterno ou toda e qualquer eternidade só é possivel agora, neste instante,neste segundo que passou, na imensa, unica e inexoravel intensidade deste segundo que você esta lendo(se não existir tua intensidade aqui,não existe intencidade...), aqui é o eterno, os pensamentos unicos que se passam em sua mente neste instante é momento de eternidade e incomum é a manisfestação do amor possivel, a eternidade dentro de um segundo atomico, e quantos você já perdeu?
Será que você consegue mesmo entender isso? Ou você deseja a eternidade de forma objetiva? Lamento amigo,a objetiva não existe, por razões naturalmente fisicas, tudo morre!
Então onde fica a natureza saltutar das emoções? Intelectivamente simples de entender,d e faze-lo dificil, é capacidade de tanto deixar entrar e como deixar sair de ti toda a emoção, é como se fosse deixar respirar as emoções como você respira para viver,a emoção vem preenche você de vida e você a expira e fica com experiencia profunda em ti e esta sim pode ser eterna em sentido simbolico no teu pensamento,onde esta o erro?O erro amigos é que retemos a emoção baseados em exemplos vivenciados no passado, seja ela amor ou ódio e nenhuma delas é real porque a situação gerada ja passou, mas nos retemos em nós(paramos de respirar e vamos nos asfixiando...)cada situação é unica em tua vida, reter é perecer.Quando se consegue “respirar” os pensamentos e emoções tudo está sempre presente e atualizado vivendo a intensidade e duração exata de sua vida e função.
Costumo dizer que morro e renasço todos os dias, ao dormir apago em mim tudo bom ou ruim que vivi no dia anterior, faço questão mesmo de não sentir mais nada relativo a ontem, ontem amigos não existe mais, acordo hoje novinho em folha e sem memória, quase “puro”,o mundo é novo, as pessoas são novas os sentimentos emoções novos e intensos, não existem amigos ou inimigos, nada lá fora, então meu dia vai se moldando em uma plastia unica sem vinculos do ontem, assim mais um dia começa, respiro emoções, repiro ideias, respiro vida.
Abra-se com gentileza para a vida,não permita que sombras se demorem em tua alma fadigada,pela circunstancias tão belas e unicas que vivemos deixe-se levar e elevar, respire paz e hamonia, como a natureza a brisa doce de primavera tras vida e encantamento permeando a tudo pela sua grandeza, deixe-se levar por este intante de prece em uma comunhão de beleza que há em ti.
Paz, amor e harmonia.

Luz no teu caminho-

Com meu meu melhor-


Luis Fabiano.
Para apreciar a obra:

trailler

http://www.youtube.com/watch?v=xYLy1Yj_P_QSobre

o filme

http://pt.wikipedia.org/wiki/Being_There




segunda-feira, março 24, 2008


“Em uma palavra,
A desmoralização era geral.
Clero,nobreza e povo,
Estavam todos pervertidos
.”


Joaquim Manuel de Macedo, em
passeio pelo Rio de Janeiro em 1862.

O tipo C ( Breve diálogo de um homem )

Normalmente não atendo pedidos, alias prefiro ignorá-los naturalmente relegando a indiferença as diferenças existentes aos clamadores de justiça, todos que clamam justiças são passivos arrependidos e portanto tentam purgar o delito de sua consciência, estranho que possa parecer mas a verdade faz caminhos onde as ordens pouco dizem, certo ou errado e outras tantas.
Conversando com algumas mulheres que indignaram-se de minhas humildes colocações sobre as mulheres e ao tão colocado dia internacional da Mulher, diga-se de passagem mulheres inteligentes tão raras como as rosas negras,a colocação que achei bem justa alias,bem eu nunca escrevo sobre os homens mas que me propus, é preciso ser verdadeiro neste instante, não escrevo sobre eles simplesmente porque não vale a pena, o conteúdo é fútil, fraco e muito limitado em se tratando da maioria do sexo masculino. Lamento amigos mas sejamos sinceros e reconheçamos nossas limitações!
Neste ínterim ouvi e li muita coisa que me falaram, de homens, tipos de homens,qualificação e rotulação masculina, achei tudo muito banal, para mim que gosto de pensar e fazer pensar que tenho opiniões definidas embora sinuosas cheias de detalhes mutantes,o assunto homem não vai render muito, mas teve um rotulação que foi dita que muito me agradou e passo a compartilhar com vocês:
A existência do homem tipo C.
Em primeiro momento ferirá a vaidade pessoal, mas que é a vaidade e orgulho diante da nobreza da verdade, os homens tipo C, são assim denominados em função de suas funções, defeitos e qualidades, nada profundo, pense em palavras que comecem com a letra C e explorar naturalmente não irei citar em função de não depreciar a qualidade do blog, como eu disse existem coisas que não valem a pena pois deixam a desejar, se a maioria das mulheres que citei em meus textos são infelizmente limitadas e obtusas, eu nada posso falar sobre homens, não consigo achar nem mesmo três tipos, teria de me prender nas exceções mas isto como já afirmei seria redundância, exceções falam por si mesmas.
De forma que os homens tipo C, ficam bem descritos e classificados em sua manifestação, mas cabe aqui colocar que muitas vezes a própria figura masculina não vê-se em sua manifestação como sendo um de tipo C, mas antes sim de A a Z, autoengano.Mas o que predomina na mentalidade do homem são coisas como:mulher,trabalho e algum prazer esportivo, alguma coisa alem disso?
Por sua natureza pouco emocional (um detalhe, homem quando deixa as emoções de amor,paixão ou assemelhados o predominarem nunca é de uma forma muito saudável deixando naturais seqüelas em sua vida ou na vida alheia, pois estas emoções são sempre mescladas de um profunda insegurança e outras tantas coisas que não caberia agora),a grande maioria de nos é movido por sentidos, tais sentidos limitados não podem permitir a diafanização de sua parte mais sutil?!
Parte sutil?
Isso certamente soará muito estranho para meu amigos, o que iria acordar neste instante na mentalidade do “Macho”?Previsivel, todas aquelas denominações evidentemente chulas, grotescas, primitivas, básicas, fundamentais, basilares,instintiva e outras tantas expressões que significam simples medo! Expor-se é fragilizar-se na mentalidade masculina e isto nada tem haver com o fato de possivelmente ter se dado mal, porque isto seria o natural contato com seu lado mais passivo,emocional, doce e eis a pergunta chave, que homem lida bem com este lado ?Me apresente um, ou melhor, não me apresente um!!
Palavras como carinho, afeto, amorozidade pesam em sua vida, sua tradução ganha o embargo de um peso mais de tal forma a não perturbar a sua razão, não que homem não sinta, sente mas é profundamente desconfortável e talvez essa seja a mais profunda diferença entre os sexos pois a inabilidade de lidar com as emoções é mais incidente entre homens.
Não vou mais alem disso, como afirmei o tema é escasso e de minha parte detesto explorar assuntos sem assunto, emulação de conteúdo, talvez como a maioria dos homens eu já tenha simulado demais, não há mais poesia.


Paz e luz em teu caminho.
Fabiano.

domingo, março 23, 2008

PÁSCOA ?

Bem, quando você não é nem Judeu ou Cristão este dia é mais um dia qualquer sem nenhum significado mais profundo, porem a origem do Pessach(passagem, libertação da escravidão do povo judeu) não é Cristã, como quase tudo que advem do Cristianismoe outras tantas religiões sofreram adulteração ao longo do tempo e da historia seguindo caminhos estranhos a medida que “lideres” eleitos ou impostos assumem a frente de um a religião qualquer, não deveria, mas isso é caracteristico do ser humano deixar que suas emoções prepoderem sobre uma situação intrinseca e por vezes historica(nunca se sabe quando se esta fazendo ou criando historia) trazendo a luz da passionalidade um efeito contra-razão.
Jesus ressussussitou em domigo pascal numa junção de comemorações,sem nenhum problema nisso, é apenas distinção,fato historico, e no ano 325 no Concilio de Nisceia os cristão apropriaram a imagem do ovo para festejar a pascoa que celebrar a ressurreição de Jesus Cristo simbolo do nascimento(renascimento).
Depois disso, o Coelho que nunca colocou ovos na vida(dupla personalidade de um coelho que pensa que é uma galinha) passou a colocar em simbolismo de fecundidade e outras tantas distorções onde preponderam interesses mais finaceiros e profanos que ritos de cunho religioso ou metafisico, mas tudo certo, é do ente humano fazer esta mixórdia generalizada, e como tudo na vida que se em analizado a fundo tratando-se de ser humano você não irá encontrar uma historia “pura”por ser de nossa indole enteder as coisas por simbolos sem que eles por vezes sejam entendidos em sentido profundo “real”, mas ao que nós particularmente associamos, isso nos faz bem?As vezes nem bem e nem mal é apenas tradição.
Sinceramente não me interessa, o ser humano não é literal e salvo raras execeções a manifestação rasa satisfaz todas as almas, inclusive a alma do “Coelho”.
Naturalmente depois que se cria uma fantasia de tal monta para as crianças é preciso assumir alguma responsabilidade, sempre me questionei a este respeito, ilusões e fantasias utopicas porque não se pode ensinar o correto o verdadeiro as crianças?
Não sou nenhum traumatizado(ao menos eu acho...eu sou norma?) mas com toda certeza a descoberta da não existencia do coelho da pascoa foi frustante, a magia havia acabado junto da morte do coelho morreu tambem o Papai Noel e a fada dos dentes todos morreram de um tacada só, você acha mesmo isto justo? Quando você irá matar o coelho da pascoa que seus filhos gostam sonham ?
Aqui paro e penso em meu breve silencio mergulhando, pensa-se exatamente na associação de uma libertação da escravidão Judaica e da proximidade de uma mentira ou fantasia que nos é contada e não me venham com as parcas explicaçõe psicologicas de que a fantasia “ajuda” no processo de maturação infantil, porque cá entre nós, a realidade supera em muito a ficção portanto a beleza evidente da obra tangivel, a consciecia da verdade sempre é profundamente disfarçada deste nossa tenra infancia, aceitar,criar expectativas em função de ilusões, enquanto isto o coelho fica dando gargalhadas de nós?Você sabe realmente o quem é o coelho da pascoa?
Que fique claro,nada de julgamentos apenas constatações,não me importo com quase nada do alto de meu ceticismo tento emular uma inteligencia cínica capaz de interagir com a suposta “realidade”,e neste aspecto uso o que for mais adequado, por vezes gotas de maldade temperadas com toques de um coração que as vezes sente algo dependendo do que seja.E aproveito para instigar um breve reflexão, nunca tente colocar todos os fatos de tua vida em ordem você irá concluir que foi muito pouco coerente, que agiu de conformidade as circunstancias sem muitas vezes apreender a realidade em si movido pelas as tantas fantasias que permeia a nossa existencia, por outro lado sejamos condencendentes, se todos forem viver a realidade intrinseca possivelmente nos dariamos conta que de muitas coisas desagradaveis que é melhor deixar obnubilado pelas circunstacias, a realidade é muito dura, seria ela dura demais para você?Permita-se ao deboche pessoal, e questione-se, quais fantasias você ainda alimenta ?

Com o espirito Eivado de Coelho
Paz e luz em teu caminho.
Luis Fabiano.

sábado, março 22, 2008

Frase


"Existem pessoas que olham para um Stradivarius
como se ele fosse um simples cavaquinho em desalinho."


Luis Fabiano.

quinta-feira, março 20, 2008


Miranda

O nome dela era Miranda, sem duvidas era alguém raro, madura aos seus cinqüenta anos com uma mente lúcida e absolutamente exigente,mas era uma exigência natural implícita como uma raiva adocicada cuja a nobreza encontra-se no prazer de admirar a simples manifestação de algo bem feito,nisso não existe maldade no nível da crueldade ou talvez tenha em função da autenticidade, mas Miranda era maravilhosa, confesso a vocês que não tive oportunidade de conhecer alguém com tal monta e habilidade,ela é o ponto mais elevado de uma Dama glacial com todo o charme de uma mulher bafejada pelo Demônio e por isto mesmo uma rosa negra, rara bela e absolutamente inconfundível!
Pessoas difíceis são mestres em potencial capaz de nos provocar emoções contraditórias e nesta ampla manifestação enriquecer nossa vida pessoal, o grande problema nunca é a pessoa difícil, mas é nossa individualidade, que se recente ,fica com orgulho ferido,sente a fraqueza de não estar a altura? Porque?Do alto da tua fragilidade vaidosa e orgulhosa existe algo muito mais importante que a natural que busca desobstruir a rede neural condicionada de nossos atos, ter uma vida de qualidade é saber-se ser senhor de si e com a sofisticação de um cretino fundamental sorrir ante os inimigos e com a alma eivada de vontade em superá-los,mas na boa batalhas. Mas não,o caminho genérico é o da igualdade, não superamos nos vingamos, não somos melhores,queremos ser apenas iguais e quando agimos assim nos tornamos duplamente perdedores, primeiro a derrota para si, segundo a derrota para o próximo!
Soa irônico, mas as pessoas mais belas e maravilhosas em minha vida foram as que expuseram aos meus piores sentimentos e aos seus piores sentimentos e em meio a esta confusão de luzes e sombras lograr encontrar o equilíbrio.
Mas não confundamos Miranda em sua nobreza, com os déspotas ignóbeis que são guindados ao poder seja ele que natureza for, e usando de tal monta autoritária para tiranizar pelo débil e mesquinho prazer pessoal, uma tortura sem fim nobre é só dor em tempo perdido natural nas ilusões do prazer e nada mais, conheço muitos assim, ridículos e diminutos, e ninguém cresce com eles.
Miranda então olhou para ela e disse:Absolutamente, todos querem ser como eu,e sorriu cinicamente. Naquele instante Andy havia entendido a ultima lição, e ela consiste em ser verdadeiro em que você acredita de tal forma que você transpire autenticidade, a tua autenticidade pode te salvar.
E com um olhar, sem despedir-se ou desejar sorte para Andy,Miranda fez apenas um olhar levemente ladeado para direita, a fixou por cinco segundos, e se foi , naquele olhar estava o carinho, admiração satisfação de ver o crescimento de sua assistente, aquele olhar falava mais que todas as palavras.


Paz e luz em teu caminho.
Com meu carinho.

Luis Fabiano.

Farmacinha

Amanhecia mais uma manhã daquelas “normais” sem entrarmos no conceito de normalidade que sempre é algo complexo de ser entendido a primeira vista, ela acordava e antes de mesmo catar tateantemente os óculos já procurava o seu Toptil(equilibra humor na depre) para possivelmente evitar alguma recaída, então pegando os óculos começava a distinguir a manhã,entre realidade e sonhos de uma noite difícil, era mais um dia! Nunca e jamais era igual aos outros, então mais que rapidamente pegava o Viril Force(estimulante físico) para então evitar um possível descaso em relação a vida e vontade de não ter vontade.Medo?
Era quase sempre assim, então começava uma bizarra melodia em que ao em vez de musica, remédios, era marcada por um estranho desfile, esdrúxulo desfile que faria sem duvida Papus,Nicolas Flamel e Paracelso ficarem “blush”,quase em fila e organizados em ordem alfabética segundo suas indicações e posologia: Buspirona 20mg(o anti ansiolítico),afinal aquela sensação devia sessar e talvez por um breve instante o paraíso acenasse com um sorriso, então vinha agitação o coração disparava, então o Bromazepam 6 mg(calmante) se juntava ao desfile fazendo cambalhotas na caixa em sua estranha cor, mas a inveja é algo esquisito meus amigos, mas afinal que pensariam os outros 28 medicamentos?
O cortejo era imenso, agora podia-se ouvir o som da banda ou da bunda, então o Dimeticone 40mg(para flatulência)entrava em ação para acalmar ânimos e amenizar odores,e olhando para o céu agradecia a benesse da medicamentação, quase em aleluias, afinal ELE detestaria os tais odores...
E um silencio se fez em seu quarto enquanto sorvia não de paz, mas remédios e muitos, bem, ai de quem falasse que ela era hipocondríaca? Nada disso era apenas prevenida,ledo engano, afinal eram apenas uns remedinhos que mal poderiam fazer? O sorridente desfile seguia,agora os orientais Ginkgo Biloba 120mg(estimulante cerebral)precisava ativar aquela mente que arrastava-se tentando lembrar algo, gostava de pensamento lépidos como o papa-léguas,a vezes a velocidade era tanta que alem dos limites perdia-se em si, tanta rapidez para chegar a onde? Isso era estranho,maluca?Impressão sua.
Então levantou-se da alcova,dando alguns passos e a cabeça lhe ardeu,como um chocalho de criança o cérebro debatia-se, então entrava agora um novo cortejo fantasiados de vermelho la vinham, onde esta o meu copo d’água ?
Um ronco no estomago se fez ouvir no silêncio profundo, seria fome? Não, nada disso, era preciso fazer a limpeza intestinal? Onde estaria ele? Disciplinada certamente ao alcance de sua mão...tranquilamente.
Organizadíssima, sua gaveta de remédios era tudo aquilo que sua vida não era,reta, limpa, organizada remédios perfilados em ordem unida, é claro que por vezes ficava irritada com isso! Mas é outro assunto, afinal pessoas inteligências se aborrecem com o corriqueiro, é sempre assim.
Pensou um pouco e descansou, a cabeça em turbilhão observava-se procurando algum sintoma estranho, é claro que estaria sentindo alguma coisa, mas o que ? Queria sentir, precisa sentir, para que pudesse perceber a vida em si, é estranho as vezes, mas infelizmente é pelo contraponto que se vive a possibilidade do um entendimento porque a simples manifestação daquilo que é, nunca é suficiente em função de nosso devaneios pessoais seja de saúde ou doença, sejam elas reais ou imaginarias.
Onde se adoece mesmo ?
Mas que isso importa afinal? Com tantas pílulas mágicas capazes de fazer sua magia curar,salvar e melhorar porque importar-se? Tudo isso passava em sua mente enquanto sorvia uma pastilhinha para garganta, já tava dando um dorzinha, agora estava feliz, uma breve sensação!
Aquele dia seria difícil,ela sempre sentia pela manhã como as coisas iriam andar sua acurada inteligência não lhe permitiria o descanso obnubilado da razão e bom senso, então um sorriso amarelo dizia tudo, queria rir as gargalhadas como uma pomba gira em surto,mas não aquele dia!
Então vasculhou sua mente,com a gaveta cheia de remédios que poderia lhe acontecer, estava preparada para tudo!
Mas opa,mas onde esta minha roupa ? rs.



Fraternalmente
Luis Fabiano

Father and Son (tradução)
Cat Stevens
Father And Son (Pai e Filho)


Não é tempo de mudar, apenas relaxe, vá com calma
Você ainda é jovem, esse é seu problema, há muita coisa que você tem que saber
Encontre uma garota, se afirme, se você quiser, você pode casar
Olhe pra mim, estou velho, mas sou feliz
Eu já fui como você é agora, e eu sei que não é fácil ficar calmo quando você encontra algo pra seguir em frente
Mas vá com calma, pense muito, pense em tudo o que você já conseguiu para você poder continuar aqui no futuro, pois, talvez seus sonhos não estejam
Como eu poderia tentar explicar, quando eu faço de novo as coisas da sua maneira
Isso sempre será a mesma, mesma velha história
Esse é o momento em que eu pude falar, eu sempre era obrigado a ouvir, agora há um caminho, e eu sei que eu tenho que ir embora, i sei, eu tenho que ir
Não é tempo pra mudar, apenas sente-se, vá devagar, você continua jovem, esse é o seu problema, há muita coisa ainda pra enfrentar.
Encontre uma garota, se assente, e se quiser, você pode casar, olhe pra mim, eu estou velho, mas sou feliz
Toda vez em que eu chorei, tentando manter todas as coisas que eu sabia dentro de mim
É difícil, mas é duro ignorar isso
Se eles estivessem certos, eu concordaria, mas isso é o que eles conhecem, não eu
Mas agora há um caminho, e eu sei que eu tenho que ir embora, eu sei, eu tenho que ir.



http://www.youtube.com/watch?v=a48EkBy-SUc&feature=related

======================

Esta é uma daquelas poucas coisas que tecer comentário seria uma estultice, a beleza simples cala fundo a alma daqueles de apreciam o que é belo na vida, e digo o de sempre, apenas abra seu coração, suave e serenamente e a paz vem ao natural.
Paz e luz em teu caminho.

Fabiano.

quarta-feira, março 19, 2008


"Uma margarida mesmo ainda faltando
algumas pétalas, ainda é uma margarida."


Com meu profundo carinho
aos caminhantes.

Luís Fabiano.

segunda-feira, março 17, 2008


Ainda ao dia Internacional da Mulher


“...Adelaide esposa de Durcet e filha do Presidente,possuía uma beleza talvez superioridade de Constance,mas de um gênero absolutamente diferente.Com vinte anos, era baixa,esguia,extremamente franzina e delicada, digna de retrato, e tinha os mais lindos cabelos loiros que se pudessem ver. O ar de interesse e de sensibilidade, que emanava de toda a sua pessoa e principalmente de seus traços dava-lhe a aparência de uma heroína de romance.Seus olhos,extraordinariamente grandes,azuis;exprimiam ao mesmo tempo ternura e decência.Duas grandes sobrancelhas delgadas, mas singularmente desenhas,ornamentavam uma testa pouco elevada,mas de uma nobreza e de um encanto tal que pareciam o próprio templo do pudor.Seu nariz estreito ,ligeiramente apertado em cima,descia imperceptivelmente em forma semi-aquilina.Seus lábios eram finos,bordados do mais vivo encarnado e sua boca um pouco grande,único defeito de sua celeste fisionomia so se abria para revelar trinta e duas perolas que a natureza parecia ter semeado entre rosas.Tinha o pescoço um pouco comprido,singularmente preso,e por um habito bastante natural, sempre reclinava ligeiramente a cabeça sobre o ombro direito,sobretudo quando escutava.;mas quanta graça lhe conferia essa postura interessante! Seu seios pequenos e bem redondos, muito firmes e bem sustentados, mal enchiam a mão;eram como duas pequenas maçãs que o Amor,brincando,trouxera do jardim de sua mãe.Seu peito era ligeiramente apertado e por isso muito sensível.Seu ventre liso parecia um cetim;uma moitinha loira e rala fazia as vezes de peristilo para o templo de Venus que parecia exigir sua homenagem.Este templo era estreito, a ponto de não se poder introduzir um dedo sem fazê-la gritar e,entretanto, graças ao Presidente,havia quase dois lustros que a pobre criança não era mais virgem,nem desse lado,nem do outro, tão delicioso,que ainda nos resta pintar.Quantos encantos no segundo templo!Que curva dorsal!Que nádegas bem torneadas!Quanta brancura e encarnado reunidos!Entretanto, o conjunto era um pouco pequeno. Delicada em todas as suas formas,Adelaide era antes um esboço do que um modelo de beleza parecia que a natureza quisera apenas indicar em Adelaide o que tinha enfatizado tão majestosamente em Constance.Bastava entreabrir essa bunda deliciosa para que um lindo botão de rosa se oferecesse aos olhos em todo o seu frescor e no mais terno encarnado com que a natureza quis presenteá-la .E como era apertada...minúscula !
Adelaide tinha a mente e seu rosto presumia ,ou seja extremamente romanesca.;os lugares ermos estavam entre os que mais lhe proporcionavam prazer e neles costumava derramar lagrimas involuntárias.lagrimas que não se estudam suficientemente e que o pressentimento parece arrancar da natureza!Perdera recentemente uma amiga a quem venerava e essa perda horrenda assombrava constantemente em sua imaginação.
A religião era o alimento da alma de Adelaide, rezava a Deus escondida e cumpria secretamente seus deveres de cristã,mas era sempre punida com muito rigor,que por seu pai ou por seu marido,assim que um o outro percebesse.Adelaide aturava tudo com paciência, convencida de que o céu a compensaria um dia, talvez ?Seu caráter , por sinal, era tão doce quanto seu espírito e sua vontade de fazer o bem, uma virtude que mais levava seu pai a detestá-la,beirava o excesso.Era proibida a tudo!
Não tendo senão suas lagrimas ao oferecer ao infortúnio, Adelaide continuava derramando-as sobre seus males, e seu coração impotente, embora sensível, não conseguia deixar de ser virtuoso.Sou um dia que uma infeliz mulher, impelida por uma necessidade extrema, prostituiria a própria filha a seu marido,mas Adelaide sabendo disso antecipadamente, mandou vender um de seus vestidos, as escondidas e imediatamente fez com que o dinheiro chegasse ás mãos da mãe, desviando-a assim, com esse pequeno socorro e um bom sermão, do crime que estava preste a acontecer.É claro, quando seu marido veio a saber disso, ele procedeu com tanta violência contra ela que esta ficou quinze dias de cama.E nem assim cessaram os ternos movimentos dessa alma sensível.”

Marquês de Sade – 120 dias de Sodoma.

domingo, março 16, 2008


Amor Perfeito
Clara Nunes

Composição: Ivor Lancellotti / Paulo Cesar Pinheiro

O meu amor vê teu amor assim
Assim como um jardim
De flores novas

Por teu amor
O meu amor sem fim
Plantou dentro de mim
Um “pé de trovas”

E cada verso
É um botão de flor
Anunciando o amor
A primavera
Que faz do tempo uma quimera
E a nossa vida mais sincera
E o nosso amor, um grande amor

Teu coração
Jardim dos meus jardins
Me cobre de jasmins
Cravos e rosas

Meu coração
Teu carrilhão de sons
Te enfeita de canções
Versos e prosas

Cada canção é feito um beija-flor
Beijando o meu amor
Em nosso leito
Fazendo um ninho em nosso peito
Um ninho amor, de amor perfeito
E desse amor
Perfeito amor...


Se abra ao que é belo.



http://www.youtube.com/watch?v=KBqFo-Wg9fc&NR=1


É importante fazer brilhar as belezas da vida,onde por assim dizer a arte abre caminhos quase religiosos para encantar corações esclarecidos dentro de uma linha de entendimento profundo, deixemos o que há de barato em nossas vidas, e abramo-nos a abundancia daquilo que é capaz de transportar a alma e faze-la cantar ainda que esteja aprisionada em sua crisalida, para aquele de descobriu-se é possivel olhar ao deserto e ver-lhe através de sua beleza singular,que possamos saber ver a vida na medida exata de sua manifestação,o que hoje as vezes é tragico, faz luz em nosso peito trazendo em seu bojo uma nova vida.Com meu profundo carinho.
Paz e luz em teu caminho.


Luís Fabiano.

sábado, março 15, 2008


"O que não dá prazer não dá proveito. Em resumo, senhor, estude apenas o que lhe agradar."

Fonte: "A Megera Domada"

Ao Dia Internacional da Mulher!
“A verdade,nada mais que a verdade, somente a verdade em nome de Deus ?”

Mulheres, as glaciais, vulcânicas e intermediarias...


Quando se tem muita vivencia em muitos âmbitos da vida pode-se falar com categoria do alto de nosso púlpito particular em um discurso ao vento apenas pelo prazer de contar historias, um contador de historias sempre é um mentiroso por excelência, é fatalidade, e talvez mesmo eu me inclua entre eles afinal lembranças as vezes são profundamente carregadas por sentimentos que a época prevaleceram mas que atualmente nada ou muito pouco dizem, justamente por naturalmente sofremos atualizações no que tange as nossas emoções e pensamentos, bem ,ao menos alguns de nós pelo menos, posso dizer conheço muitas pessoas que vivem do passado! Mas isso agora não é importante, é que ao longo de minha experiência pessoal com as diversas mulheres de minha vida fui aprendendo algumas coisas sobre este estranho conluio dos sexos, que em verdade deveria ser uma tranqüila pareceria embasada no entendimento as luz do bom senso, mas se Eva teve seus problemas com Adão...então,onde estaria o bom senso do ente humano?
Essa é uma boa piada que em outro texto irei explorar,tema irresistível.
Mas quero agora me acercar destas concepções não estanques sobre as mulheres “modernas”, é estranho em meio a tanta tecnologia a mente do homem e da mulher comporte-se de forma a idêntica a milhares de anos, apenas mudando aspectos aparentes e requintamentos!
Tudo isso pensava enquanto andava pela rua observando a vida e as pessoas, homens e mulheres, e fui me dando conta dos breves tipos que tive contato, e embora não goste de definições por serem castradoras,cheguei as minhas pessoais definições:
Mulheres glaciais, um tipo muito em voga, a mulher que pensa longinquamente em família, pensa sua carreira, trabalho, que se utiliza de homens para breve prazer momentâneo sem raízes profundas, geralmente são belas, um pouco altas e elegantes mesmo que estejam de chinelos,a voz é metálica e fala com firmeza, praticamente não é uma mulher, não expressa emoção, é objetiva e direta, as vezes é inteligente mas isso não é um detalhe determinante, sexualmente tem dificuldades para o orgasmo ou quase nunca os tem, sua feminilidade tornou-se fria também, veste-se com discrição, não deixando quase nada de sua ausente sensualidade a mostra, praticamente é inatingível pelas cobiças do sexo frágil, sua característica mais marcante é a profunda solidão,tem companhia se quiser ao mesmo tempo e não tem ninguém, para manter distante a “paixão” capaz de roubar-lhe a razão, uma beleza fria, um sorriso absolutamente branco, mas sem alma, conheci várias deste estilo.Cabe aqui colocar que não interessa a causa do problema da “Dona Glacial”, cada um justifica os seus “flatos” da melhor maneira que convier, o texto é apenas uma breve constatação vivencial e portanto desimportante.
Mas se existe a Dona Glacial, existe também a Senhora dos “prazeres”, a mulher Vulcânica, o extremo oposto, passional e movida por total emoção a flor da pele, sua razão é dirigida pelo coração porque em si tudo é absolutamente quente e vibrante de vida, tudo fala alto demais e toma proporções imensas, bem, não preciso dizer que quem assim age é naturalmente limitado,obtuso, pois o coração sem a devida orientação é um é um tornado de classe F5(ventos acima de 450km), tem força, tem intensidade e não tem direção.
Estes dias conversa com o Magalhães sobre estes assuntos tão delicados e repletos de contradições, e chegamos a conclusão mais ou menos coerente, a inteligência real é aquela que trabalha na linha do exato controle emocional, pois saber tudo, de quando, onde e porque, é algo banal,simplório e não constitui real inteligência ou sabedoria, eu disse para ele que conhecia pessoas de Qi 180 e que não passavam de bestas vivenciais, contraditório e verdadeiro, pois é necessário a real inteligência para alimentar algumas qualidade e outros tantos defeitos, para que haja pleno equilíbrio entre ambos e para que nada se transforme em “monstro”, uma hidra de muitas cabeças.
A nossa mulher vulcânica geralmente não é bela, veste-se com diferença e muitas vezes não é discreta, gosta muito de decotes exacerbados e cores estranhas e com abuso dos vermelhos e pretos, típicos,vive sua vida com plena intensidade,usa muito das artimanhas corporais mas nem sempre,sabendo o exato poder que tem, este tipo é muito comum, mas mal interpretada recebe outra denominações em nosso hediondo mundo de formas e conceitos, de algo tão intenso assim, não é preciso explorar mais.
Finalmente, temos a mais comum de todas, a intermediaria, e estas posso dizer-vos com toda certeza, constitui a grande maioria delas, as que nem são uma coisa ou outra, aquelas que se contentam e se acomodam em sua situação vivencial, seja boa ou ruim, incrivelmente, estas aceitam condições “impossíveis” de vivencia para manterem seu mundo idêntico,mesmo que o preço seja a sua infelicidade. Estas mulheres geralmente não possuem “personalidade” alguma, embora gostem de auto-afirmar, é uma inteligência media para baixa, mas não a usa, sua vida é basicamente calcada na tradição herdada, e disso nunca ou jamais irá se afastar, pois é sua margem de segurança, é uma mulher que nunca irá ousar nada, ela ainda é fortemente dependente das opiniões dos outros, e é serva por assim dizer tanto dos filhos como do esposo amado.
Embora pareça um tanto canalha de minha parte, afirmo categoricamente, esta mulher não tem brigas homéricas e domesticas em casa, mas geralmente seus problemas resumem-se aos colegas de trabalho, a vizinha que é grosseira e gêneros, seu entretenimento é basicamente as novela que espelham sua vida,e adora repetir o jargão dos personagens (nada contra novela,apenas para situar),essa é sua diversão,psicologicamente ela não é vulcânica embora as vezes seja ”quente”, mas sem ousadias exacerbadas, e não é totalmente glacial porque sua vida é naturalmente muito ocupada. Se todos afirmarem que isto ou aquilo é correto, ela ira concordar mesmo que nãos seja sua opinião real apenas para nãos ser “diferente” do meio! Esta mulher sorri com facilidade e chora copiosamente aumentando a dimensão do que realmente sentee sofre, por ser um tipo comum vive as voltas com os mesmo problemas de todos, com as mesmas soluções e em seu mundo não há espaço para o saudável imaginário,embora sonhe!
Eis ai as nossas três deusas, muito bem, cabe aqui fazer as partes do Advogado do diabo, o que falo ou menciono neste texto é justamente a minha experiência pessoal, com algumas mulheres e das muitas que tive a felicidade/infelicidade de viver, que repetiram-se ipsis litteris em termos de personalidade, como já afirmei isso, não é imaginário utópico e vil que manisfesta-se, é a verdade de “uma” experiência que como tudo em se tratando de vida não deve ser tomado de forma absoluta, não nego é claro, talvez a culpa seja realmente minha de as tê-las transformado em seres tão estranhos,doentes,tristes,e outras tantas coisas,(sei conscientemente que a convivência comigo é um desafio) não é fato, talvez minha amalgama seja impura e minha fragilidade termine por fraturar a estrutura feminina em sua melhor essência, é talvez, mas como falso humilde profissional, é necessário ter esta noção para que se possa apreciar a verdade seja ela qual for.

Quanto se pensa nunca deves descartar nada!

Uma crueza adocicada.

Paz e luz em teu caminho.
Fabiano.

sexta-feira, março 14, 2008


"Tenho em meu coração uma estrada bifurcada, de um lado fica uma doce criança, do outro um sangrento guerreiro, enquanto um dorme, o outro esta desperto.”

Luís Fabiano.

terça-feira, março 11, 2008


A Meu Deus Um Canto Novo
Elomar Figueira Melo
Composição: Elomar

Bem de longe na grande viagem
Sobrecarregado para o descansar
Emergi de paragens ciganas
Pelos mãos de Elmana, santos como a luz
E em silêncio contemplo, então
Mais nada a revelar
Fadigado e farto de clamar às pedras
De ensinar justiça ao mundo pecador
Oh lua nova quem me dera
Eu me encontrar com ela
No pispei de tudo
Na quadra perdida
Na manhã da estrada
E começar tudo de novo
Topei in certa altura da jornada
Com qui nem tinha pernas para andar
Comoveu-me em grande compaixão
Voltando o olhar para os céus
Recomendou-me aos Deus
Senhor de todos nós rogando
Nada me faltar
Resfriando o amor a fé e a caridade
Vejo o semelhante entrar em confusão
Oh lua nova quem me dera
Eu me encontrar com ela
No pispei de tudo
Na quadra perdida
Na manhã da estrada
E começar tudo de novo
Boas novas de plena alegria
Passaram dois dias da ressurreição
Refulgida uma beleza estranha
Que emergiu da entranha
Dos plagas azuis
Num esplendor de glória
Avistaram u'a grande luz
Fadigado e farto de clamar às pedras
De propor justiça ao mundo pecador
Vô prossiguino istrada a fora
Rumo à istrêla canora
E ao Senhor das Searas a Jesus eu lôvo
Levam os quatro ventos
Ao meu Deus um canto novo.




Elomar é um cantador de moda de viola, alguem muito especial que elegeu a simplicidade de sua vivencia para a profundidade de suas musicas, em uma abordagem muito singular mas repleta de beleza, tenho suas musicas e as guardo como tesouros, infelizmente esta musica não tem no Youtube para compartilhar com vocês, mas me será um prazer enviar para quem estiver interessado, é de uma canora e sutil beleza uma poesia cantada, a espera do novo e a renovação que surge em nosso coração, acontecendo no trupicar do caminho, dulcificando arestas, burilando inarmonias e a paz vai chegando fazendo morada na alma, a alegria vai nos abraçado acarinhando nosso semblante, e silêncio, aquele silêncio filho da tranquilidade que deixa tudo em serena quietude.
Mergulhe na obra de Elomar e deixa-se encantar, pois é preciso saber se encantar-se com a vida.

Paz e luz em teu caminho.
Com meu profundo carinho.
Fabiano.

segunda-feira, março 10, 2008

Ao dia Internacional da Mulher.

Nem Machista,nem Feminista...

Em primeiro lugar detesto posições deterministas, o que naturalmente já quer dizer limítrofes da razão, embora respeitando ambas as partes no caso em questão (Macho e Fêmeas), mas obviamente as idiossincrasias destes gêneros, onde a tolice neste ínterim é a que mais se sobressai, uma guerra de sexos onde a inteligência não participa,não somos concorrentes somos parceiros envoltos na luta de viver.(mas o bom senso tirou férias)
Todo homem que deseja apenas consumir a mulher sem duvidas que não gosta de mulher gosta de si mesmo, gosta talvez do seu membro ereto ejaculando litros de seu prazer espermático, porque para apreciar uma mulher é preciso parcialmente mergulhar em seu mundo e saborear seu mistério, e em uma rápida convivência isso não é possível ou não seria possível, pois se um simples vinho é necessário um paladar afiado para interpretar suas nuances de qualidade quanto mais um ente humano de natureza emocional mais sensibilizada, isto é um aspecto, por outro lado quando se cria mitos, como o mito atual da mulher “perfeita”,”poderosa ” e fatal, onde atributos físicos devem sobrescrever valores pessoais, como ética e inteligência, obviamente cria-se a fatalidade da fantasia consumista e imediata, o que não deixa de ser mais um ledo engano de interpretação de ambas as partes, como um canalha inveterado e “aposentado” posso dizer que beleza excessiva e volúpia sexual não combinam e vivem em universos diferentes.
As “Feministas”, naturalmente todo o direito deve ser buscado com justiça ainda que por vezes a tal “justiça” se faça de uma maneira estranha, a isso sempre respeitarei porque faz parte de um certo bom senso que independe do gênero, mas devemos ter claro algumas coisas, entre elas nada justifica em função chocante destes direitos desrespeitados, a igualdade em sentido pejorativo e literal, a copia da mulher masculinizada com unhas bem pintadas mas feições,bíceps,tríceps e toda a musculatura mais rígida que a minha, com testosterona acima do normal e se dizendo “feminina”.
Isto nada tem haver com defesa e igualdade, creio mesmo que a mulher tem direito de fazer o que quiser e como quiser, como toda e qualquer pessoa independente do “sexo”, mas existem coisas que Irão ser danosa a sua contextura física, ira deformar não somente o físico mas como todo o gestual que passa então a ser grosseiro e chulo como dos homens em maioria, direitos iguais até na mediocridade?
Eu entendo isso, e talvez seja mesmo vingança, mas quem perderá mais?Não julgo apenas proponho pensamento em breve questionamento de direção e caminho.
Entendo que em países subdesenvolvidos os direitos femininos são praticamente inexistentes, como disse, aí cada um justificará seu erro/acerto a sua moda, tradição, cultura, religião, filosofia e outras tantas apenas para citar as mais comuns,naturalmente que mutilar uma mulher para ela não sentir prazer é tão desumano como amputar a mão de um homem para que ele não roube mais, coisas de países Árabes com tradições muçulmanas fundamentalistas onde a justificativa existe ainda que não concordemos.Nestes países mulher não tem vez, voz ou força,são excluídas da vida em comum.Lamentável, onde a sensibilidade é obstruída uma morte parcial começa, um princípio de deteriorização e todo o mal cheiro nos sentimos todos os dias nos noticiários.
A ausência de bom senso é a coisa mais em voga, homens que não conhecem mulheres, mulheres que instigam o pior dos homens eu lamento por ambos, cativos em circunstancias tão relativas de pouca compreensão, talvez realmente fosse a hora de abolir a constituição de genital e começarmos a nos tratar como humanidade como pessoas mais ou menos civilizadas embora saibamos de longe que isso é praticamente impossível pois fatores condicionantes se tornaram tão bem maquiados,então emula-se o reconhecimento de direitos mas sabemos que em verdade não é assim, e a realidade não é das mais harmônicas, homens e mulheres não se respeitam como pessoas, nas coisas mais simples da vida quem dirá nas mais complexas,o começo de todo o direito pessoal é o auto-respeito em relação a si mesmo,não mutilando emoções,não violentando-se,não estuprando valores em função de interesses,não impondo a força aquilo que você não é ou será,não se submetendo por segundas intenções, nem machos nem fêmeas, pessoas.

Paz e luz em teu caminho.
Fabiano.
Letra de que mata!

Quase tudo que é visto, entendido ou que de alguma forma sensibiliza nossos sentidos requer um filtro considerável, aos “bons” e puros de coração de alguma forma não o possuem sendo portanto mais vitimas de si mesmos que qualquer coisa, pois depositam credito nas pessoas ignorando a fragilidade alheia, em fragilidade entenda-se o conluio moral entre o bem e o mal, as então famosas tentações a que somos expostos dia a pós dias com um jogo entre a Divindade e o Outro...briga velha é verdade, mas não a muito o que fazer a não ser tomar posicionamentos, creio que não em favor de um ou de outro, mas alem da dualidade que é um ledo engano, o ato “justo” é sempre o mais acertado.
Em Teosofia lemos a respeito do ato natural de se fazer o bem com a entrega, ou seja um ato sem segundas intenções, a não ser de o fazê-lo e isso é plenificador e correto porque neste instante você já paira alem do bem e do mal e obviamente quem vai alem já entende as então naturais fraturas da alma o ato falho de cada um de nós, portanto a entrega já esta feita, com carinho e sublimidade, o ato de entrega é o filtro mais perfeito que podemos ter porque nele jamais iremos ser atingidos pelo então concebido “mal” porque ele esta derrotado em nossa essência, em nosso coração,independente de todo e qualquer resultado o bem já esta plenificado, muito alem dos vales de lagrimas ou dos sorrisos, nossa alma já esta em paz. Essa é a essência do bem, mas porque as boas pessoas não se sentem plenificados neste ato ?
Pela arvore conhece-se o fruto, se algo não acontece é justamente porque estamos “falhando” em intenção e atitude, não basta amigo ter um coração que ame é preciso saber fazer isso, não falo aqui de regras do coração, nada disso, falo de bom senso, falo de tempo certo, falo de instigar e de deixar descansar, percebi a muito tempo o quanto o pior de nós atrapalha o melhor de nós , não precisaria ser assim.
Se aprende com a pratica que a realidade sempre é diferente de toda teoria, isto sempre será assim em função da exclusividade de nossa personalidade, a maneira de interagir com as coisas é sempre única,porem algo nos é exigido, a capacidade de interpretar, em se tratando de ser humano tudo é conotativo tudo, porque as intenções subjacentes em nós falam mais alto, quando as vezes o ato em si é uma mascara, uma mentira feita para ludibriar a todos e as vezes nós mesmos, vejo isso todos os dias com as pessoas com quem converso, uma vida “perfeita” a superfície um vulcão em erupção no coração, o disfarce de uma mentira pode ser bom mas nunca perfeito, ficam as marcas, o gosto e o aroma do falso, você já percebeu ?
Toda historia literal é uma mentira e claro contada por um mentiroso, porque ao se reproduzir-se toda historia ela virá carregada com as impressões do narrador e quem disse que estas impressões são verdadeiras? A letra mata, mas o espírito vivifica, não acredito em historia alguma que me contam, prefiro saber de fatos, a partir disso removo a emoção, tiro os aspectos negativos e positivos da personalidade alheia e todo falatório fica reduzido ao seu tamanho real, parece uma piada, mas quando converso com alguém não presto atenção ao que diz, mas me interessa mais o que a pessoa não diz, a linguagem silenciosa de seus olhos, gestos e tom da voz, porque a vida é assim os temas são panos de fundo para o que se passa em teu intimo.
Poderíamos chamar isso de imparcialidade e talvez fosse correto, não sou passional de fato quase não tenho personalidade mais, porque nada me ofende, agride ou atinge aprendi a dar o desconto ao ser humano, faça isso também saiba que a fragilidade do próximo é a mesma tua, que embora não aceitemos existe muito pouca diferença entre você e ele, uma versão diferenciada de uma mesma coisa, nem mais importante e nem menos simples, olhe com os olhos despojados e verás.

Paz e Luz em teu caminho.
Com meu carinho.
Fabiano.