Pesquisar este blog

terça-feira, julho 29, 2014

Fio da Navalha – Diálogos

Fio da Navalha – Diálogos

-Tu escreve sempre de forma pessimista, isso eu acho... na boa
-Ok, a descrição das fodas são ruins também?
-Não...as fodas são boas,bem boas...
-Então ta legal
-É mas existem temas mais bacanas...a explorar...
-Não me interessa... não me interessa o mega... eu quero ficar na zona muito humana
Aquela que todos fogem,onde a sujeira cria crostas... onde não existe vaselina, onde
é o que se vive... to cagando pro resto.
-Assim serás um péssimo escritor...
-E a quem isso importa?
-É tens razão...
-Quem me lê...é cúmplice de um crime também... bum!


Luís Fabiano.




domingo, julho 27, 2014

AFAGOS DA BELEZA


AFAGOS DA BELEZA

O entardecer acaricia as ruas do Porto de Pelotas.



A Calcinha é uma Promessa




A Calcinha é uma Promessa

Então estávamos no jogo novamente
Eu sentado na sala
Um copo de rum
Semi-escuridão...
A tela pronta para imaginação galopar nas costas de um dragão
Estou bêbado, o meu melhor estado de vida

Ela surge vindo do quarto
Fica em pé na minha frente
Veste uma calça justa
Nada a falar
Ela desabotoa o botão da sua calça
Abrindo devagar
O diabo em câmera lenta
Os anjos disparando cagados pelo ralo

Meu pau sobe...
Ela está a meio metro de mim...
Vai descendo a calça revelando a calcinha...
Puta que pariu....
Uma calcinha tigrada pequena enfiada na frente
Enfiada a atrás...
Marcando o horizonte de suas dobras

Ela sorri...
Só isso já me basta...
Ela para apenas de calcinha... me olha fixamente
Calcinha engolida por sua intimidade
Eu engolido por sua tigrada
Sou o tigre mastigado

Ela agora mexe devagarinho...como se uma sonata tocasse
Calcinha em minha alma
Minha imaginação de beleza liquida
Que escorre como fio de baba
O ar fica carregado de tesão...

Quero ser uma bomba atômica devastando Pelotas inteira
Desintegrado os gritos que calam
Ela dá um passo em minha direção...
Meu nariz colado naquela calcinha tão macia
O hálito do prazer me captura fatalmente
Ela está escorregando por dentro
Lambo a calcinha dela por sobre sua pele

Calcinha fio afiado
O fio que foderá
Ainda não há palavras
O sibilar da serpente no escuro prestes a dar o bote...
Então ela ataca furiosamente
E o que eu vier a dizer
Não  importa
Apenas me foda.



Luís Fabiano.


sábado, julho 26, 2014

Poesia Fotográfica



Fio da Navalha - Diálogos




-To dando uma grande força para pessoal da faixa de gaza...

-A é? E como assim?

-To compartilhando no face em outras redes sociais...

-Compartilhando que cara?

-Assim Fabiano: Contra a Guerra na Faixa de Gaza...já tem milhares de compartilhamentos...

-Puta que pariu hein isso a ajuda pra caralho lá... a juntar os pedaços das crianças, arrancados por bombas e mísseis... ajuda muito, me diz uma coisa tu compartilha essa merda e vai dormir na tua cama quentinha né?

-Fabiano...tu não entende nada destas coisas...te liga...é ação subjetiva social...

-Porra que nome elegante. É não entendo mesmo... esse tipo de merda que tu faz é uma maneira das pessoas limparem suas consciências, porque na verdade ninguém faz porra nenhuma...e todo mundo dorme tranquilo, porque isso tudo ta longe pra caralho daqui... e tem mais, vai te fude.


Luís Fabiano.

quinta-feira, julho 24, 2014

" Trecho SOLTO...



" Trecho SOLTO...



“ Embarcamos num táxi, e enquanto ele circulava, Mara impulsivamente trepou por cima de mim e me abriu as pernas. 

Entregamo-nos a uma foda cega, com o táxi guinando e descaindo, nossos dentes batendo, as línguas e o suco fluindo dela como sopa quente.

Quando passamos por uma praça aberta no outro lado do rio, precisamente ao romper do dia, capturei o olhar espantado de um policial enquanto trafegávamos velozmente – Amanhece Mara –disse eu, tentando suavemente desvencilhar-me. – Espera, espera – implorou ela, ofegante e agarrando-me furiosamente, e com isso lançou-se num orgasmo prolongado durante o qual pensei que esfacelaria meu pau.

Finalmente despendeu-se e afundou-se no seu canto, o vestido ainda bem acima dos joelhos. Inclinei-me para abraça-la novamente e quando o fazia passei a mão por sua buceta molhada. Agarrou-se a mim como uma sanguessuga, sacudindo sua bunda escorregadia num frenesi de abandono. 

Senti o sumo escorrendo-me através dos dedos. Tinha todos os quatro dedos enfiados em sua xoxota, agitando o musgo liquido que vibrava com espasmos elétricos. Teve dois ou três orgasmos e então caiu para trás exausta, sorrindo fracamente para mim como uma corça acuada”.


Extraído da Obra – SEXUS
Autor – Henry Miller.



quarta-feira, julho 23, 2014

Fio da Navalha - Diálogos


-Ei ,você não dizer nada depois de tudo que eu falei?
-...
-Não vai dizer nada não Fabiano? Hein...? Nada?
-...
-O silencio é a resposta dos imbecis.
 -...

Fio da Navalha.

Pelotas Tatuada


       PELOTAS TATUADA      

Guerrilheiro da Esquina


Local - Barroso Esquina Dom Pedro


Parte 2 - Melhor Bar do Fim do Mundo




O Melhor Bar do Fim do Mundo -  Parte 2

Profecias se realizam as vezes... será? No meu entender existe uma anatomia existencial quando as coisas se anunciam nas entrelinhas do viver... mas que grande porra...muitas vezes somos cegos deslizando num mar de gosma feliz...

Fosse como fosse eu tava lá...onde tudo é bom...yes, O Melhor Bar do Fim do Mundo... ainda neste dia aquelas mulheres lindas seguiam cagando no banheiro e porquê?

Estou meio bêbado, agora e permaneço com ótima companhia... Então outra mulher de lindos cabelos chapados entra na cova do banheiro. O cheiro de merda com o aroma de vinho argentino é uma combinação das poucas que a existência pode nos presentear.

Estou feliz... e comento com uma desconhecida, quando a moça cagona sai do banheiro pela terceira vez:

-É my love... hoje a noite vai ter sexo anal queira ou não...

Risos, deboche e ironia.
O Blues daqueles caras seguia firme, evocando as boas décadas de vinte e trinta... é isso, gostamos de coisas novas assim. Estamos no Melhor Bar do Fim do Mundo... boa música é tudo e dirão para mim é tudo? Merda e música?
Não... existem também mulheres rastejantes...você já viu uma? É apoteose do fracasso.

Estava agora conversando com Jajá, um bom amigo. O álcool faz o tom é como gasolina para fazer o motor funcionar, a conversa flui, então como uma pandorga gigante e solta e fora de controle e louca e bêbada ela aparece. Puta merda... o semblante do fracasso.

Você já fuder com mulheres fracassadas? Eu já, mas não aconselho, porque elas grudam como merda no sapato...e isso é terrível, você não tem mais vida, não tem mais liberdade ela fica ali...
E ela era uma pandorga bêbada também... e Jajá me olha com cara de bosta. E diz:

-E ai Fabiano... te anima?
-Não me animo... já tive mulheres loucas o suficiente em minha vida...

Então a pandorga bêbada fala:

-Oi Jajáaaaaaa... fala comigo Jajáááááááááááááá
-To falando...e ai ...tais feliz?
-Para com isso Jajá... tu sabe o que eu quero Jajááááááá...

A voz dela arrastada, bêbada, cansativa, implorante, uma minhoca delirante rastejando aos pés de Jajááááááá... na pica de Jajá, as bolas de Jajá....ela queria tudo.

Ela nem percebia o Blues que é mais importante... nem as bebidas são mais importantes... a final caralho, estamos no Melhor Bar do Fim do Mundo...
Silvio também estava conosco...o melhor amigo de Jajá... Silvio bêbado também...gargalhava e debochava da fracassada.

Os mais apiedados defenderão a mulher bêbada... mas não façam isso, vocês não sabem da história...não tome o partido dela. Ela não é burra... ela é um poço de carência... lembro de Dra. Shirley que disse uma vez: se quando eu ficar velha, chegar a um estado de carência sexual profunda, eu contrato um garoto de programa e foderei muito...”

É sempre a mesma história amigos, não importa a classe social. A vida gira em torno de dinheiro, sexo e por último amor. O restante é tudo artifícios para essas emoções. Você acham que acaba por ai? Errou:

-Jajá... vamos ali na esquina Jajá...(diz a fracassada)
-Fazê o que ?
-Jájá, tu me dá uma comidinha ali na esquina em pé mesmo...rapidinho, não vai te custar nada...não vai mudar em nada tua vida Jajá...

Eu me sentia nas nuvens...mais uma taça de vinho, mais uma e mais uma e claro outra... o blues preenche a alma enquanto desfilam todos os tipos no Melhor Bar do Fim do Mundo...
Não quero estar em nenhum outro lugar...deixe-me morrer criador...entre bucetas, bebidas e boa música.


Luís Fabiano.
Segue.


segunda-feira, julho 21, 2014

Navalha da CENA - O homem do Ano



Navalha da CENA...  O homem do Ano.


Um tapa na segunda feira pô...

Ta pensando o que malandro?
Que virar matador é assim? Que porra é essa? As vezes os caras não passam de uns merdas com armas na mão...

E ai vem aquele monte de balela...  eu isso, vou faze e acontece... e nada.
Vai nada rapá...nada. E ai Bezerra da Silva diz...” é preciso disposição para apertar o turbina...”

É isso, O Homem do Ano é um matador... mas os caras que ele se mete... puta merda...são uns bostas...vem ai umas ideias bizarra...qual é? O filme é de 2003, traz o Murilo Benício assassino e herói... O filme é foda, tem ai no youtube de grátis pra tu assistir... e fica também um agradecimento ao Maciel que mostrou a cena.



Fio da Navalha.





Fio da Navalha – Diálogos



-Vamos fuder hoje Fabiano?

-Ta perguntando?

-É...

-Como assim?

-Fuder cara, tu me comer, fuder...

-Mas assim? A seco? Tudo bem, mas calma ai...vamos beber algo primeiro, depois ficar fora de controle como uma vagoneta do inferno...e então e ai então, quando o fogo chegar ao céu, começamos a foda... que tal?

-...

Luís Fabiano


domingo, julho 20, 2014

Simples Arte


Simples

Arte





Paula



Paula

Amanhece mais um dia
Abrir os olhos
Esticar os ossos
Erguer-se uma e uma vez mais
É assim...
Hoje
Amanhã e depois
Paula joga com a rotina voraz

Paula vai ganhar?
Paula vai perder?
Paula abrirá suas asas?

Mas este era o seu sonho antes
Casamento
Filhos
E amor eterno
Mas os vidros embaçam
Orifícios se entopem
E ela segue em frente

O varal cheio de roupas que brilham
Sorrir outra vez neste dia
Tentando engolir que a vida é boa

Paula quer seu sonho de volta
Paula quer que o tempo volte
Mas o tempo não volta...
O tempo não muda

Toalhas pra lavar
Cebolas para cortar
Camisas para passar
No escritório, pilhas de papel
Ela sabe como você, que algo que não está certo...
Deixou-se sufocar
Deixou passar do ponto...
Por tudo
Por mim e por você...
Copos sujos na pia
Talheres fora do lugar

Paula frente ao espelho
Mas não há pinturas hoje
Nem esmaltes também
Mas ainda há sorrisos

Paula quer virar o jogo?
Paula, é preciso perder algo...
Paula esse é o preço a pagar
Paula, você pagará?

Agora a noite caiu...
Filhos, o homem, a casa todos mergulham no silencio
Paula deita apaga a luz e fica olhando o escuro
Ela tem certeza que amanha
Tudo vai ser diferente.

 Luís Fabiano.



Sarau da Navalha - Carla Avila


     Sarau da Navalha     

A Carla nos brindou no Sarau da Navalha, com um poema que abriu o Sarau.
E aqui Fio Da Navalha deixa você com as palavras do Mundo Palavra.


Fio da Navalha.






Poesia Fotográfica...




sexta-feira, julho 18, 2014

Fio da Navalha – Diálogos



-Fabiano, tu já te apaixonou?

-É claro porra, cada vez que acordo pela manhã to apaixonado...

-Mas alguma buceta já te fez perder a cabeça?

-Não, nunca aconteceu, a cabeça do pau ta bem longe do cérebro...

- Nem eu faço tu ficar louco?

-Prazer é tudo, mas to tranquilo...

-Tu me acha uma merda de mulher?

-Não, te acho massa, é apenas meu estilo... e ter estilo é foda.

-Mas tu matarias por mim né?

-Ai depende da situação, se for uma situação eu ou tu? É claro que é tu.



Luís Fabiano.

quarta-feira, julho 16, 2014

Fio da Navalha - Dialogos



Fio da Navalha  - Diálogos...

-Fabiano...assim só pra te dizer, eu trepei com três caras essa semana...

-...( ergui as sobrancelhas)

-Só pra te dizer entende...dei pra três essa semana.

-Tudo bem. Você me conhece né? Sou invulnerável ao amor e ao ciúme também...

-Tu não ama ninguém então né?

-Não disse isso... apenas não tenho a fragilidade que o amor as pessoas... aquelas velhas besteiras de submissão, eternidade e a porra toda...

-Tu é de ferro cara...

-Não, eu sou de aço...

-E eu achando que tu ias ficar de cara...

-Que nada... agora seguinte...me conta as fodas, pois eu preciso de material para o Fio da Navalha...

-...
  
Fio da Navalha.





terça-feira, julho 15, 2014

Pelotas Tatuada



    PELOTAS    TATUADA    


Local Praça 20 de Setembro


Fio da navalha – Diálogos




-É Fabiano...graças a deus eu parei de beber...bah
-É? Porra... que merda hein, que posso dizer, parabéns?
-Sim...eu encontrei Jesus sabe...
-Como é?
-Isso eu agora sou de deus...
-Deixa eu me apresentar...
-Porque?
-Eu sou o filho do outro cara... (copo na mão) quer um gole?
-Não...já parei com isso, sou de deus.
-Sei...quer um gole?


Fio da Navalha          


segunda-feira, julho 14, 2014

O melhor Bar no Fim do Mundo



O melhor Bar no Fim do Mundo

Sou um andarilho da noite, gosto das estrelas, das sombras e becos. Gosto de ver as putas nas ruas, as travestis, as bebidas e o amor que a noite pode oferecer. Minha preferência, os arredores da cidade, no centro da cidade nada de muito interessante, lugares previsíveis, pré-definidos tão entediantes como valsa de quinze anos.

Cavalgo a noite sempre a espera do melhor, do local dourando que brilhe em uma madrugada insana, dando boa música, boas bebidas... eu sonho com o Melhor Bar do Fim do Mundo... e eu achei em nossa cidade... mas não adianta, contarei o segredo.
As coisas precisam ser descobertas para terem sentido... O Melhor Bar do Fim do Mundo.

Noites vem e noites vão, e lá estava eu no bar cheio como uma panela de pressão... e a música mais do caralho que esta cidade pode oferecer, Blues, Jazz e sonhos. Puta que pariu eu me sentia bem pra caralho.

Me acomodei em pé no corredor que dá acesso ao banheiro, eu uma excelente taça de vinho e uma boa companhia de Shirley. A música preenchia horizontes, converso com os transeuntes que a bebida acaba tornando irmãos. Isso é o bom do beber... estranhos anônimos ficam mais tranquilos, baixam a guarda que durante o dia carregamos com tudo e com todos, as pessoas conversam mais... querem opinar tranquilas, sorriem mais com facilidade... noite, noite, noite é bom.

Então uma mulher sai do banheiro, tem cara feliz, cara de alivio com os seus dentes separados, com dentes faltantes juntados com um aparelhos verde, lembrando a seleção falida. Ela sorri feliz para todos que ali estavam... eu ri também.

A gente sempre ri, sabem como é...talvez né... mas o que se seguiu foi o horror transitando em uma mar de merda incinerada. O cheiro que veio atrás dela, vindo daquele banheiro foi terrível... parecia que a merda do planeta havia saído daquele cuzinho lindo... ela passa feliz... deixando um rastro de merda que todos sentimos... os mais afoitos apontavam para ela de costas... e se foi.

Então como a profecia de meu amigo Moizes, aquelas mulheres lindas que enchem o bucho no bar, e depois ficam cagando sem parar por ai...diria ele... pois foi exatamente o caso.

Então como um porteiro de banheiro, eu passei a avisar a todas as pessoas que iam ali...para levarem máscaras de gás pois fedia demais (de porta fechada)...imaginem uma merda cozida... em um ambiente fechado por que estava frio... mas ainda assim nada me tiraria dali.

Estamos sempre em busca de uma salvação... a música daquele grupo trocando Blues, porra era uma apoteose nos levando para o tempo... tudo isso no Melhor Bar do Fim do Mundo.


O Melhor Bar do Fim do Mundo... segue.
Irei contando as historias do bar devagar...e ai penso se revelo ou não...um lugar do caralho é o Melhor Bar do Fim do Mundo.


Fio da Navalha


Navalhadas Curtas – Dá um teco...



Navalhadas Curtas – Dá um teco...

Encostado no bar de boa bebendo. Ouvindo boa música em boa companhia, desejando nada mais. Minha vida simples feita de nada. Me sinto tranquilo, a noite terminará normal, talvez com uma boa punheta em casa.

E ai entra em cena o acaso malévolo que cavalga a noite, esgueira-se de dia. Tudo bem,cada um curte a sua.Me perguntam indiferente:

-Vai um tekinho ai?
-Como?
-Um tekinho... ta ligado né?
-Sei, sei, mas não obrigado... prefiro as drogas licenciadas...(levando o copo de vinho)
-Bah...mas um tekinho é tudo de bom...
-Vai fundo tranquilo...
-Mas tu não quer ai um tekinho...hã? Hã? Hein...um tekinho...

Fico olhando em silencio concatenando a o silencio...

-Não obrigado...to tranquilo.
-Atá...então vou ali...sabe dar um tekinho...

Então, uma mulher meio quarentona que estava passando disse:

-Eu quero um tekinho...
-Ta beleza...então vamo lá...

E foram para o banheiro felizes da vida como se tivessem entrando no céu. Mas vai saber lá o que é o céu...




Luís Fabiano.

Pérola do dia



domingo, julho 13, 2014

sábado, julho 12, 2014

Fio da Navalha - Diálogos...



Fio da Navalha -  Diálogos...

-Fabianooooooo
-Diz.
-Enfia no meu cuzinho agora?
-Claro love, é pra já...
-Isso, isso... que delicia, vai assim
-Ei, que é isso aí saindo do teu cu?
-Hã ?

Luis Fabiano.


sexta-feira, julho 11, 2014

A Navalha da Cena – Drácula Bram Stoker - 1992





A Navalha da CenaDrácula Bram Stoker - 1992


É foda... tenho ótimas recordações deste filme em 92. Puta que pariu...sai do então cine capitólio muito impressionado...era lindo, e naquela noite eu me animei muito e bati algumas punhetas para as vampiras.

Esse é o tema...você está na porra de um castelo de um vampiro...então na madrugada você é atacado maravilhosamente por três vampiras absolutamente lindas...elas querem o teu sangue...tua alma...elas querem te chupar mordendo o pau...caralho!! E você não vai deixar? Hein...a puta que pariu para o mundo...eu sou aquele cara ali...venham vampiras venham... me suguem totalmente...rompam minhas artérias ...rasguem minha alma...me esgotem...até a morte. Essa é cena.

Keanu Reeves fez a cena com Monica Bellucci, e ele narra que uma cena muito difícil... só imagino...ser a vítima, a entrega... a cena é foda, tira o folego, assusta e excita ao mesmo tempo. Foda.


Luís Fabiano.





quinta-feira, julho 10, 2014

Momento Boa Música - Ze Ramalho


Momento Boa Música

    Zé Ramalho - Trupizupe   





Fio da Navalha – Diálogos...


Fio da Navalha – Diálogos...

-Fabiano, o que é poesia pra ti?
-Porra! Difícil responder...sei lá, talvez um sopro da alma? Um lampejo da emoção? Talvez a forma mais gloriosa de dor. Cara poema é a faca entrando...o estalo do açoite e a lambida no rosto...poema é meu pau duro apontando para o céu.
-Legal isso...
-É, mas a maioria das pessoas pensa que escreve poema, na verdade não fazem nada...só merda, tudo enganação, tu termina de ler, e não tens nada em ti...isso é foda, e fica ligado, se tu terminar de ler algo e nada ficou em ti...a leitura é uma bosta, vai bater uma punheta que vai ser mais útil.


Luís Fabiano.

quarta-feira, julho 09, 2014

Poesia Fotográfica




Quando você não puder mais




Quando você não puder mais

Quando você não puder mais beber
Quando não puder mais comer
Não puder mais fuder...
Quando você não puder mais fumar

Eu pergunto e ai?

Quando você não puder mais dizer a verdade
Quando não puder mais olhar
Quando não puder mais andar
Não puder mais modificar
Quando você tiver passado do ponto...

Eu pergunto e ai?

Quando não puder mais sentir o gosto
O cheiro
A textura
A dor...
Quando não puder mais ajoelhar
Quando você não puder mais não recusar
Quando não puder mais desviar
E nem mesmo gritar

Eu pergunto e ai?

Quando não puder se livrar das amarras
Quando não puder se retorcer
Quando não puder tremer
Quando não puder mais ganhar
Quando não puder mais jogar
Quando não puder mais perder...
Não puder mais trepar
Quando não puder aguentar mais

Eu vou perguntar e ai?
E ai?
E ai?
E ai?

E tudo que restará será a confissão do silencio
O suor das pedras
A pele das estrelas
O abraço do vento
E o beijo do mar
Mas tudo isso
Quando não puder mais.

Luís Fabiano.



terça-feira, julho 08, 2014

Pérola do dia:


Fio da Navalha – Diálogos...



Fio da Navalha – Diálogos...

-Fabianooooo...
-Fala
-Tu acha a minha xexequinha pequeninha?
-Não, mas eu gosto das coisas espaçosas...
-Porque tu disse isso?
-Porra, porque é verdade, vou dizer o que? Que tu é apertadinha como uma virgem?
-Também não é...
-Então relaxa de boa, a real é que és arrombada e ta tudo bem, gosto assim esse é nosso amor.

Luís Fabiano.


segunda-feira, julho 07, 2014

Maria - 01




Maria –01

Ela é daquelas raras
Sofre espontaneamente sempre
Entre suas labaredas e tensões
Suavemente brilha na seriedade quase hostil
Sorrisos entre dentes
Mas no fundo não sabe muito de si

Maria meio nova
Maria uma experiência
Maria segredos do encanto

Traz em si um pesar
Como traços inconfessáveis de um trauma
Quando pensa tenta achar natural
Mas no silencio
Ainda ouve os gemidos dele
A força dele
O cheiro dele
Os desejos dele rasgando mais que o corpo

Maria lembra
Maria abraça-se ao convés
Maria arte que sorri

Sabe que deve abrir as grades do peito
Deixar escapar a dor
Mas ela lembra
E a memória é uma lamina
Que dança dilacerando
Ela sorri
E é como se uma ponte se estendesse

Maria salva
Maria abraços da esperança
Maria dores que disparam

Então caminhando pela praça, encontro Maria
Nos abraçamos
Falamos banalidades
E eu não sei mais como ela esta
Mas parecia feliz
É melhor não estragar nada
Nossas porcelanas são sensíveis.

Luís Fabiano.