Pesquisar este blog

terça-feira, setembro 30, 2014

segunda-feira, setembro 29, 2014

Phototextografia - 01


Phototextografia - 01

Uma rua a céu aberto, uma avenida movimentada de domingo, pouco depois do almoço, carros lentos trafegam, modorrentos quase cansados, eu também estou ali. Dirijo com displicência, arrotando churrasco e feliz, estou entregue ao tempo e o ócio.

Não acelero, estou num cortejo sem mortos. Então... Ela surge sentada no “cordão da calçada”. Veste jeans surrado azul e uma camiseta preta estilo polo, para fora das calças.

Tem os cabelos compridos e muito negros como carvão, uma expressão fechada, os olhos claros de um tom de verde, lábios finos e um nariz discreto. Está com as pernas abertas e um bebe nos braços. A ponta de baixo da camiseta esta erguida de onde um seio está pendurado para fora.

Ela dá de mama para a criança e olha o vazio... distante. Ela é meio animal e meio presa ao mesmo tempo, e é tão linda e tão vulgar em uma paisagem desmaiada de trivialidades, ela era o ponto de luz e o ponto de fuga.
Tudo isso num piscar de olhos... eu não tinha minha câmera ali.


Luís Fabiano.

domingo, setembro 28, 2014

Poesia Fotografica



Um tipo de beleza cada vez mais rara...


A real



É preciso fuder sempre...
Precisamos de comida
Bebida
Oxigênio...
Da mesma forma
É preciso fuder...
Foda !

Fio da Navalha.


segunda-feira, setembro 22, 2014

Pérola do dia:



Parte II - Boneca de Pano, Bar do Sujeira, fodas rasgada e trapaça




Boneca de Pano, Bar do Sujeira, fodas rasgadas e trapaça



Foda-se Deus... Entrei no bar com este espirito e foi algo maravilhoso me deparar com aquela amarrada de Sujeira, com seu tradicional mal humor e sempre pronto para ser grosseiro com tudo e todos... e ele olha nos olhos e rosna...

-Muito bom te ver também Sujeira...bom saber que estas vivo...
-E porque não “taria” vivo?
-Sei-lá pra morrer é preciso só estar vivo...
-Tu és um filho da puta Fabiano...
-Eu sei...que posso dizer obrigado?
-De nada...
-Ainda tem rum nesta merda de bar?
-Tem...mas só que bebe esse lixo é tu...
-Então serve um bem caprichado pra mim...

Ele rosna uma vez mais...e só então percebo as criaturas que estavam no bar... em canto sonolento Rebeca Sharon, mais loira que a lua sorria parecia feliz...linda como sempre então como um cafajeste chegando ao puteiro apenas abri os braços e ela veio passos lentos em um salto que a tornava uma gigante...e parecia tão tranquila, tão bela... nos abraçamos e ela me fala ao ouvido: não me aperta muito porque meu marido ta olhando. Eu respondo: O Sujeira?

-Sim Fabiano...estamos casados e tão felizes...
-Parabéns...eu fico feliz também...
-Mas não conta pra ele... eu lembro de ti as vezes...

Sujeira começa a tossir no balcão. Não tava por umas de arruma confusão. Em outra mesa Pedro Boludo sorria com seus dentes cariados tomando sua cachaça, ele é uma figura. Um teimoso renitente não aprende...ja fez uns rolinhos na vida, apanhou muito dos homens...o que lhe custara alguns dentes, mas sempre tinha uma paradinha sinistra pra vender... perguntava de onde ele tinha tirado aquilo...e ele sempre dava a mesma resposta:

-É caiu ai na minha mão...sabe né...
-Sei o que?
-Sabe né...

Ficava nisso horas. O bar estava conosco...o cheiro do bar do Sujeira ainda era o mesmo, um misto de sujeira, banheiro, frituras e perfume barato. Estranhamente eu sentia saudade disso. O cheiro limpo social são tão falso...o perfume não perfuma almas, você convive com o cinismo que cheira tão bem... com pessoas que te olham nos olhos e te fodem por trás... mas os filhos da puta cheiram bem...sem dúvida. Respirei fundo e me senti bem. Sentei junto ao balcão, o rum em um copo duvidoso veio. Parecei meio engraxado...mas isso era natural. Rebeca sentou-se junto a mim...e começamos a conversar:

-Fabiano que tens feito baby?
-Muitas coisas...tenho trabalhado pra caralho... muitas coisas envolvida no Fio da Navalha, tais ligada?
-To sim... já vi as coisas horríveis que escreves lá...
-Nem tão horríveis assim, eu já escrevi sobre a tua pessoa...te falei né?
-Sobre mim?
-É...
-Que tu escreveu?
-A verdade...somente a verdade nada mais do que a verdade...
-Das drogas também?
-A verdade...
-Fabiano...eu vou te processar...
-Não faz isso...eu não tenho onde cair morto...relaxa...além do mais to na vontade de fazer umas fotos tua pro site do Fio...que tu achas? Vais entrar nas poesias fotográficas? Nada de sexo...apenas fotos lindas, tuas pernas...cruzadas e um vestindo branco...cabelo pra trás...
-Nada disso Fabiano – fala sujeira – a Rebeca não faz mais essas coisas...é uma mulher casada...

Fiquei quieto...mas Rebeca responde:

-Como assim amor? Porque não? São apenas fotos...bonitas de roupa, eu linda né Fabiano?
-Sim é isso... vamos tirar umas fotos...eu mais ou meu brother Moizes...vai ser bacana...

Sujeira rosna...mas contra Rebeca ele não tem vez...o poder da buceta de plástico é algo?
Ficamos em silencio enquanto Pedro Boludo falava com alguma alucinação...e gargalhava...

Então ouve-se um estrondo na porta...e entra um cara manchado de sangue...com olhos esbugalhados, tinha o pavor da morte no rosto...
Mas que merda eu pensei... não se pode estar tranquilo nunca em lugar nenhum caralho? Sempre tem uma porra acontecendo?

O desconhecido cai ao chão...e sangra a ali...todos se alvoraçam... que teria acontecido? Merda é certo.
Todos nos acercamos do cara, era um coroa bem vestido...com um ferimento no ombro... não entendo porra nenhuma de medicina...mas ferimento no ombro não mata rápido...pensei comigo:

-Que houve cidadão?
-Ele ta vindo ai... e vai me matar...eu tenho certeza...eu preciso sumir...
Eu estava com meu copo na mão, e dei um gole dos bons... tem coisa que só bebendo...
-Ta meu velho –pergunto eu – que tu fez pra machucar assim?

Rebeca chorava ao meu lado... sinceramente não sei qual é a da Rebeca...seria saudade? Mas que merda...muitas decisões pra tomar...se bem que ela ta gostosa...bem...

-Não fiz nada...eles querem meu dinheiro...todo...eles são uns filhos da puta...
-Quem são eles porra?
-Meus filhos...

Isso parecia drama que acontece apenas em capitais...em filme, em novela barata... matar por grana...é foda. Você mataria? Qual é o teu preço...diga ai, todo homem tem um preço...

-Puta que pariu...esse ferimento ai é de faca?
-É um punhal de família

Eu estava gostando da história...mas o puto sangrava ali... e ai?

-Queres ir pra um hospital?
-Não, não...nada de hospital...quero me esconder.

Tudo bem.
Sujeira disse que não ia juntar bandido no bar dele... Rebeca chorava eu estava disposto a esconder o cara, Pedro Boludo Gargalhava com um fantasma louco que apenas ele via...e dizia rindo:

-A morte está vindo... montada em um cavalo de sangue e gargalha com dentes de aço e a foice brilha como ouro...a morte vem...a morte vem...

Eu estava com vontade da ruma porrada nele...pra ele calar a boca...aquilo já estava tenso demais... então em um surto anormal de minha parte eu gritei:

-Vamo parar porra! Deu dessa merda... Para todo mundo caralho! Deu de loucura... mas que porra...

O pessoal ficou em silencio... aquilo era a pausa de um sinfonia. Foda-se eu iria ajudar o cara sangrando... Sai até a porta do bar...espiei a rua, tudo vazio ainda bem, talvez a morte não venha hoje. Rebeca Sharon me ajudou com o cara, e colocamos ele no carro. Olhos de Gato sendo batizado com sangue... confesso que gostei disso. Então eu ia me arrancar com o cara de lá...e Rebeca entra no carro também... e Sujeira aos gritos:

-Mas que merda Rebeca...que tu fazendo?
-Não posso deixar o Fabiano sozinho com este cara...

Eu digo:

-Eu vou despejar ele no PS...e deu...

O cara:

-Não, Ps não...fora de questão me joga no lixão, mas só em tira daqui...
Então todos estávamos no carro...e arranquei, rasgando a noite em um destino ignorado...Sujeira ficou berrando com Rebeca, o cara sangrava no banco detrás e eu... bem que tinha a perder agora?


Segue e com fé... mas que merda...

Luís Fabiano.


sexta-feira, setembro 19, 2014

El Tigre



El Tigre

Ele acorda pela manha
E sai a caça de grana
A nova carne
El tigre trabalha ou faz que... 
Ele rosna para o nada
Mas não há ecos
El tigre disfarçado passando por você
Ainda a pouco
Comportamento servil de um doente
Entre silêncios e sorrisos

El tigre não corre
Não foge nunca
E te olha neste momento
De um lugar que não consegues perceber
El tigre que irá te fuder lentamente
Em breve
Quando a noite vier...
E ela virá...

É noite...
Me deparo com que a noite enfia em nossas vísceras
Noite bela noite
Maldita noite também
Tem coisas que me tiram do prumo

El tigre é justo
Numa justiça que esta além
Não duelara em vão
Eu me esgueiro lentamente
Através dos neons queimados, poças d’água e dos vidros vorazes

Enxergo o homem mau
Batendo com raiva em uma mulher que já sangra...
Depois ele ataca a criança
El tigre está furioso
A vingança vem...
Você está fudido e não sabe
El tigre não gosta de injustiças...
Foi naquele momento que senti vontade de matar um homem.

Luís Fabiano


terça-feira, setembro 09, 2014

Fio da Navalha – Diálogos



Fio da Navalha – Diálogos

-Fabiano tu és um tremendo papo furado...
-É... e ai?
-Que papo esse de comer qualquer mulher...ninguém faz isso...as pessoas tem limites...
-Besteira...eu penso em meu pau e uma buceta... e tudo se torna lindo...
-Ainda que a mulher seja uma desgraça?
-Que seria uma mulher desgraçada?
-Cara, sei lá...horrível, suja, sem dentes, careca...horrorosa...acho que isso...suja eu já disse?
-Isso não é nada...como na vida a gente precisa ter olhos pra ver as coisas...quando olho uma mulher nunca vejo isso, nunca vejo nada defeitos, vejo uma obra de arte...que preciso descobrir os encantos...é isso me fascina...
-Puta que pariu...

Luís Fabiano.

ps- As vezes sou elegante...mas de uma maneira geral sou um animal.



sábado, setembro 06, 2014

Estranhamento



Estranhamento

Sou adepto de mulheres peludas...
Gosto de seus pelinhos
Desenhados
Disformes
Ralinhos
Mas gosto de pelos...
Pelos na buceta...
Pelos debaixo dos braços
E aqueles que ficam nas proximidades do umbiguinho

Então os contrário se erguem
Como o pau do diabo
Dizem...

Mulheres devem ser depiladas...
Totalmente depiladas...
Sem nenhum pelo...
A alegação da lógica?
É mais higiênico
Limpinho...
Lisinho

Mas ai eu pergunto...
Qual é o animal que quando nasce
Não tem um pelo nos genitais?
E porque um adulto
Presumivelmente maduro iria querer
Ficar igual a um ser que nasce?
O que estaria por detrás da higiene solene ?
Talvez algo que você não gostaria de saber, não é?
Pense nisso...
Ser limpinho.


Luís Fabiano




Dra.Shirley



Papo com a Dra Shirley:

-Vai fazer academia Dra... por que ?
-Simples, para ter mais folego para fuder...ando se folego!

Dra Shirley.