Pesquisar este blog

sexta-feira, agosto 31, 2007

Amor

Deixa-me hoje falar de belezas, permiti que meu coração tome um austo na imensidão da vida e que em palavras consiga aprisionar momentaneamente a pureza de raros e nobres sentimentos, pois quando se fala ao coração, não podemos ser miseráveis e pobres de espírito, mas antes sim abundantes como a natureza, como amor de mãe, que liberta,alimenta,afaga e liberta ainda mais.
Mas como sondar o amor em sua manifestação mais bela e profunda?Não, não precisamos sondá-lo, antes sim mergulhar nossos cântaros vazios em sua fonte e ergue-los transbordantes,abundantes com a certeza infinda de que a fonte nunca seca, mas por vezes nos cântaros ficam velhos carcomidos e rachados, e o precioso liquido foge entre nossos desesperados dedos sem que nós alteremos nosso cântaro,é precisos amigos, trocar nossos cântaros, purificá-los para que ele não perca ou torne imunda a água da vida.Mas que seria isto?
Em palavras simples é apenas transpirarmos nossas emoções, libertar algumas, granjear outras, mas com todo vagar, e imensa paciência, por que todas estas coisas vós sabeis e a natureza sabe nosso limite.Mas ainda aqueles que não sabem ou entendem o porque de seu cântaro esta sempre vazio e sede é imensa? Por que com tudo em nossa vida é preciso saber, entender como fazer ou sentir, será que basta ter o alimento a mesa para saciar-se a fome?Não, é precioso come-lo,saboreá-lo, mas este gesto é seu, ninguém poderá a ti satisfazer, desejai que outros comam e que tu sintas a satisfação? O teu amante torna-se assim, por que ele nada faz a não ser acordar o amor que existe em ti, mas ele não é o amor em si, se na sua falta tua fonte fenece, sabei que nunca amaste na verdade, tinhas uma necessidade, e um apego ao cântaro, mas o cântaro não é amor.
Perguntaram então a formiga o que era o amor para ela?Para ela o amor era a pequena folha que carregava que então lhe permitiria viver e compartilhar a vida com suas semelhantes.Então perguntaram ao anjo que seria ao amor?Ele sorriu e disse:amor é toda e qualquer manifestação ou imanisfestação de vida, que permite a vida. O anjo e a formiga são unos, pois aquilo que não te acrescenta amigo(a) certamente não é amor.
Curiosamente amigos, nós fazemos do amor tudo aquilo que ele não é,e com isto matamos em nossa alma aquilo que verdadeiramente ele é, e isto nos conduz a um turbilhão de conflitos em uma ânsia incontida que aprisionar o amor,muitos misturam o amor as misérias humanas, e o tornam miserável, iguais aos mais baixos sentimentos humanos .Poderiam os prisioneiros amar o seu objetos de tortura?Muitos amam, mas não sabem o que estão fazendo.
Gostaria de dar-vos instrumentos para que pudesses sentir o amor, mas meu cântaro é raso, por um breve instante aprisionei o amor as minhas palavras e dele pouco disse, por que quando a fonte é infinda todos somos muito diminutos, tornei-me pequeno diante deste altar, que o silencio que é a voz mais profunda possa a ti dizer o que sentes, por agora não quero adulterar o refinamento, e nem empoeirar tua plácida luz.
Para que ele viva é preciso que morra, sempre e quieto, por agora morramos para vivermos ainda mais.


A palavra amor em verdade me dá asco e enfado, por estar profundamente corrompida,mas é palavra humana para humanas emoções,e a estas estamos de alguma forma atrelados, presos e cativos.

Fraternalmente

Luís Fabiano.

quinta-feira, agosto 30, 2007

Min, a min.

“...me dêem licença para então agora contar uma historia, desta feita irei guardar minhas adagas feitas de verbos fortes, carregadas na ironia que a própria vida significa, para então tornar-la mais diáfana leve e profunda essa bela representação, ainda lamentavelmente somos muito limitados e tomamos os acontecimentos de tudo com a passionalidade daqueles que são os nossos, mas afinal amigos, todos são os “nossos”,mas não nos interessa crer nisso.
Naquele dia saímos de casa normalmente, uma família feliz tranqüila, eu, minha esposa Isabel e uma filha emprestada chamada por nós de Min, mas curioso como é vida, biologicamente a filha não era ou é minha,mas sua alma, seu espírito e coração me tomou como tal, e por assim dizer eu descanso em seus frágeis braços naquilo em que é seu pequeno imenso coração soprou.
Minha esposa, mulher forte determinada e que busca sempre fazer o melhor dentro do melhor possível, como toda mulher moderna muito centrada nas preocupações com seu trabalho, filhos e família, por tudo que a vida a fez passar ela tornou-se eternamente grata a isto, e assim o é, a grandeza de uma coisa reside não naquilo que aparenta mas, naquilo que essencialmente é, as aparências são tão frágeis como grãos de areia de um deserto ao sabor do vento do norte. Bem eu não tem muito o dizer de mim, posso dizer que possuo alguma responsabilidade e nada mais,não me considero importante porque é de minha alma ser assim, não desejo ser importante para quem quer que seja, sou apenas eu, e isso de alguma forma estranha me satisfaz.
Aquele dia era para ser um dia comum, mas a tudo que é comum guarda em seu cerne, em embrião o nascedouro de uma revolução, por vezes boa, por vezes nem tanto, até mesmo insípida, acontece, bem fomos todos em direções opostas em busca de seus destinos, deixamos a filha em casa com os avós ,e cada um partiu para seus respectivos serviços.Tudo certo.
No entanto e isso é a curiosidade, a tarde fomos notificados pelos avós que a Min, não estava bem, apresentou de um momento para o outro um quadro estranho,parara de escrever e revirou os olhos nas órbitas, mas que teria ocorrido? Até aqui ninguém sabia, pelo telefone a voz insegura de Isabel que traduzia uma preocupação pelo que estaria ocorrendo, afinal nós saímos e tudo estava bem. Isabel trabalha como secretaria de um médico,notem a ironia, ao chegar a Min, então o susto definitivo, de uma criança alegre sorridente e cheia de vida ela converteu-se em uma criança semi-paralitica, tinha os olhos estáticos e fora de suas órbitas normais, o pescoço estava voltado para baixo como que se uma força estranha a tivesse empurrando, não falava,não chorava, não sorria, não espremia nada, apenas deformidade e alguma dor, neste momento percebemos o quanto era grave.
E então começam as colocações dos médicos inseguros ou excessivamente seguros e errados, um disse que ela estava com gripe, outro que estava com medo de alguma coisa, outro com mal estar, no entanto,ela apresentava febre muito alta, vômitos e todo o aspecto acima descrito era difícil adivinhar o que estaria ocorrendo.Advinhar?
E assim Isabel voltou para casa com a Min, com alguns medicamentos a mão e aquele estado de estupor que ela estava continuava, que estaria acontecendo? Eu estava no trabalho quando o telefone tocou, Isabel me disse que ela estava a mesma coisa e que o medico tinha dado um medicamento e mandado para casa, bla,bla,bla, naquele momento fiquei muito perturbado, mas minhas perturbações são em forma de ação,então anotei todas as características que ela apresentava e fui em busca de informações, e encontrei! Mas o diagnóstico me alertou mais ainda, não era possível mas estávamos diante de uma provável quadro de meningite,em uma criança de 3 anos?Ironia novamente.
Sai de meu trabalho e fomos fazer os exames recomendados, radiografias, sangue e o que fosse necessário, o curioso em o episódio da radiografia, entramos em um hospital de nossa cidade e o mais estranho que ninguém nos barrou na porta, não havia ninguém lá cuidando naquele momento, meio estranhos entramos , neste momento burocracias haviam cedido a interferência de tudo aquilo que é bom e vem em busca de ajuda o que não deixa de ser amor em oculto. Tiramos a radiografia com muita dificuldade, as lágrimas de Isabel diziam tudo, a Min, não erguia o pescoço, apenas um fraco gemido muito baixo que para mim era como se mil vozes entoassem aquela dor, como mediremos isso? Um sussurro de dor assim grita mais alto que as torturas das incompreensões humanas,ou uma dor que até a surdez entende, me calei. A radiografia tirada, fomos para o exame de sangue, o curioso Min, não sentiu a agulha perfurando sua pele, calada, excessivamente calada. Então chegamos no medico, uma doutora simpática que após olhar todas os exames fazer alguns testes sem a reação de Min, e com todas as duvidas possíveis do mundo decidiu afirmar que o que ela apresentava naquele momento ou seria uma meningite ou um tumor cerebral! Que golpe. Neste momento você se faz uma pergunta, afinal que estaria acontecendo?Porque algo assim estaria acontecendo tão repentinamente? Que seria aquele pesadelo? E neste momento eu me lembro que pensei na imensa gama de probabilidades que a vida tem, tanto boas como ruins,neste segundo tudo amigo tudo esta acontecendo, a segurança é um cristal a beira de um precipício, frágil e flutuante.Eis um porque de falar tanto no presente.
A recomendação medica era ir para o hospital urgentemente, e assim foi feito. No hospital a espera foi breve em função da gravidade, embora se tratasse de um pronto socorro fervilhante, ao menos naquele dia, naquele momento, mediante a todas as dificuldades existentes fomos acolhidos em braços maternos, acariciados mesmo, para uns um inferno para outros uma benção,então não é assim a vida? O que será que muda? O ponto de apreciação, o que precisa flexibilizar amigos é a nossa alma, por que o corpo acompanha. Naquele dia fui embora para casa deixando para trás Isabel e Min, em uma cama de mini UTI,não podia ficar lá porque era apenas um responsável por pessoa que entrava, e segundo pela total inutilidade de minha presença ali, sou de espírito prático, como uma faca de dois gumes e muita afiada, o que cura certamente mata. Fui embora deixando lá elas, e crendo no fundo de meu espírito que tudo daria certo,não sei ser diferente,embora realista.Sentíamos todos de alguma forma a presença da morte a rondar Min. A noite dormida passou pesada e lental.
O dia que se seguiu o contato telefônico com Isabel as noticias de sua transferência para UTI pediátrica, dividindo a cama com outra criança tão enferma quanto Min, mas Min apresentava sutil melhora, relaxara o pescoço pela manhã, então faria novos exames de todo tipo desta feita para então confirmar ou descartar efetivamente o que estava ocorrendo. Assim foi, o dia passou pesado, duro e difícil, a espera das revelações dos exames, a tarde Min apresentou fome, falou que queria leite o que foi providenciado,queria água, gradualmente parecia que ela estava saindo de um “umbral”,seria isto? Mas ainda ninguém havia relaxado, existia a tensa preocupação presente no ar.
Então ao findo do dia a tardinha a noticias chegaram, ela não tinha nada! Felicidade e alivio para nós, para os médicos e enfermeiras que fizeram uma comemoração, então naquele momento as coisas começaram a ficar mais nítidas, a vida fica sem a visão de sua verdade quando estamos assim, tudo fica meio pardo,triste, mas a luz estava voltando, para iluminar nossas almas, e dar paz aos nossos corações. Um mar revolto, se abrandava depois da tormenta. Silencio e quietude em fim.
Minha maior alegria foi ir buscá-las no hospital, ambas bem, a vida é algo muito significativo e as vezes tem final feliz e nós estávamos neste final,ela estava viva.

Gratidão.
Com os fiapos de meu coração,e traduzido pela minha alma.
Carinhosamente.

Luís Fabiano.
"Se a fealdade existe, é, decerto, apenas as
escamas sobre nossos olhos e a cera
que obstrói nossos ouvidos."
Khalil

quarta-feira, agosto 29, 2007

"Tenho uma ternura em mim,
quase tirânica."

Fabiano.
Sede de sí
Necessidade Evolutiva

Quando existe uma natural necessidade, houve amadurecimento ainda que nem sempre em sentidos ascensional, é como um flor que em determinado momento necessita das caricias do sol e para tanto precisa e tem a necessidade de abrir-se literalmente em flor, romper as trevas de si em busca de algo maior, de um aroma maior.
De certa forma assim somos nós e a grande maioria de nós possui necessidades muito basilares que dentro de um conjunto é capaz de produzir felicidade relativa,paz e de certa forma harmonia porque trata-se de uma estruturação bem estabelecida e limitada por aquilo que sentimos, pensamos e que absorvemos do meio onde vivemos, praticamente repetimos padrões e nesta repetição esperamos o retorno glorioso em forma de prazer pessoal, até aí tudo certo e bastante entendido.Até nisto creio não haver erro, afinal é o que cremos com as viçaras da alma ,então onde reside o erro?E como observados, tornar despóticas tais convicções sem, a devida atualização destas, porque amigos a própria natureza nos ensina isto, será que o rio que vemos agora é o mesmo rio de ontem, ou de amanhã? Esse é o ponto, gostaríamos que fosse, mas não é, e nos comportamos como se o rio fosse o mesmo porque? Por que alterar-se iria permitir que eu acompanhasse o ritmo do rio, da vida, acompanhar este ritmo é sondar o desconhecido e nadar por onde nunca se nadou, porque uma vida real embora tenha padrões, estes padrões são flutuantes, realidades de probabilidades, mas por outro lado tudo isto é absolutamente simples e muito comum,atitude comportamental fruto de uma necessidade interna que busca a si mesmo, mas o que ocorre, que ainda não temos a necessidade de assim agir, porque simplesmente não estamos maduros o suficiente e talvez nunca amadureçamos dependo do quão ficaremos anexados aos padrões daquilo que não somos literalmente cognitivos.Faltaria ao homem um órgão suplementar para sentir sua realidade profunda?
É preciso sondar o Incognoscível em nós, o padrão dita mas a duvida é sempre onipresente, por que amigos, se o padrão funcionasse realmente com toda certeza em caráter absoluto o mundo seria um paraíso, os problemas não seriam problemas e sim oportunidades, a dor não seria dor, seria rompimento,nascimento.
O que necessitas agora ? Poderia o mundo externo suprido em tua vida totalmente dar-te paz profunda e ser aprisco sereno para tua alma?Gostaria de deitar serenamente minha fronte em teu regaço e ali permanecer em silenciosa comunhão de paz, existem coisa que falam mais alto em nós trazendo grandeza que mescla emoção profunda e entendimento velado, sutis como asas de uma borboleta e reais como um rugir de um tigre.
A necessidade é a sede da vida, que almejemos da flor ser o aroma, do pensamento ser vivo e presente, das emoções serem reais e humanamente impalpáveis, que desejemos da vida extrair essência a vida.

Meu carinho

Fraternalmente
Fabiano.

terça-feira, agosto 28, 2007

Eu me calo

Diante de um mundo em delírio esquizofrênico a utopia maior seria querer mudar a paisagem externa, trabalho hercúleo e mais que absurdo, talvez mesmo a prova cabal da real esquizofrenia coletiva, não há “salvação” possível que venha da periferia,da superfície desértica de nossas vidas, não, não sou dos pessimista ou tão pouco realistas, apenas me calo.Entendo que de uma forma ou outra todos fazem seu papel, todos,mas em geral somos péssimos atores e a historia que representamos é milenária e repetitiva ao cerne.
Então eu calo,não quero ser mais um no coral,uma voz sem sentido.
Ouve tempos que não me calava, que repleto de um sentimento eufórico e a euforia é uma mentira que contamos como verdade, e acreditamos em pleno, mas toda fuga é impossível e naturalmente sofre a oxidação, o nosso envelhecimento em tudo, como envelhecemos também assim tornamos senis pensamentos, sentimentos e a paisagem externa, que por mais bela que seja certamente sofrerá, mas nada precisa ser exatamente assim, a ciência moderna é bastante incisiva em afirmar que podemos alterar pelo simples pensar a paisagem a nossa volta, e para isso é preciso remodelar o caquético modelo que criamos, que aceitamos, que desejamos que seja, que aspiramos a tudo, é preciso remodelar a partir de do si profundo, não falo de derrogação das leis, mas falo de nossa essência energética, falo da imposição que colocamos a nós mesmos como sendo o modelo idealizado, breve fácil e feliz, e mais que somos cativos a ele, aprisionados ao que deveria ser certo ou errado,reto ou torto, claro ou escuro.
Amigos as coisas da vida são complementares, elementares e não absolutas, isso em se tratando de energia, de pensamento e de sentimentos, tudo o que é eterno não é exatamente eterno, tudo que é finito não precisa ser exatamente assim, mas é preciso fazermos a viagem os para novos paradigmas de sí, desfazer a construção que é nossa prisão e abrir, libertar-se e reaprender a observar a vida melhor, bem melhor.Onde esta a chave para isso?
Pensamento,um ente humano que julga a qualquer coisa castra-se, um ente humano que teme a todas as coisas, castra-se, um ente humano egoísta, afunila-se, um ente humano que não sabe o que é, é um perdido!Isso são poucas dentro de tantas perguntas?Você sabe exatamente o que é? Você é um apanhado de probabilidades, você pode fazer a escolha, ascensionar ou buscar o inferno mais próximo, e digo assim porque o inferno esta realmente é muito próximo, tanto fisicamente como na imensas gamas de sentimentos conflituosos que existem subjacentemente em você mesmo, mas é preferível deixá-los no canto escuro,não é?
Você tem medo do canto escuro?
Mas hoje eu calo, meu silencio é a profunda revolta e indignação plácida, esculpida pelas belezas que pode-se vislumbrar,o que sinto a mim pertence é intransferível, como o que sentes é a ti que pertence, podes sentir as ondas de amor agora? Ou será mais fácil vibrar nas partículas mais grosseiras das inarmonias? Quando somos onda, somos leves, somos belezas e vibráteis as mais sutis energias, quando nos tornamos densos,viramos partículas, duros, rígidos e pesados, disso são feitos os sentimentos.
Eu me calo, porque meu silencio é a completude que as vozes não alcançam, porque não é possível dimensioná-las , do que eu falaria que pudesse saciar a tua sede? Teria a tua alma a sede de meu silêncios? Satisfar-te-ia calada e plena? Ou, o ouriço de uma algaravia desmesurada, preencheria teus vãos vazios? O que fala mais ao que sente são as palavras ou que se passa em oculto em ti, que as vozes mudas tudo e absolutamente tudo dizem?Como encontrar a plena satisfação quando o desejo é infindo e aprisiona a tí mesmo em seu limitado símbolo?Não és tu um catador de significados que fica atrelado ao símbolo,e assistes a morte dele,na vã esperança que o que é morto traga-te felicidade?Assim eu me calo, e espero que escutes minha silenciosa canção dolorosa e melancólica.
Hoje eu me calo.

Meu carinho, meu respeito e minhas melhores vibrações a todos.

Fabiano.
"...serei eternamente um
espirito que marcha com a tempestade
e ama com a brisa."
Kalill

segunda-feira, agosto 27, 2007

Agosto.De quem?

De uma vez por todas deixemos de lado todas inúteis superstições ,até poderia crer nelas se tivessem alguma utilidade real e funcional, o crer-se precisa ter resultados do contrário,não tem sentido, mas o mês de agosto, e resolvi escrever agora sobre ele em seus últimos estertores por que existe uma tola crença da malignidade do mês referido,um velho problema que se repete, amigos, o equivocado não é o mês sempre é a criatura humana,não existe nada mal fora de você,é você mesmo o tempo todo.
Posso falar de pessoalidade, porque umas situações são marcantes e outras nem tanto, para mim o agosto lembra muitas coisas,nascimento e morte de meu pai, mas isso é absolutamente natural e para ser bastante sincero não tem importância alguma dentro de uma apreciação mais real e profunda da vida ocorre todos os dias, em verdade e aqui falo de mim,vivo integralmente no momento presente, minhas emoções, pensamentos e convivência não deixam resíduos, quando me despeço de alguém, alguém comum qualquer um de vocês,ao dar o adeus vocês já “morreram” para mim, como se não existissem mais e ou se não fosse tornar a vê-los, aplico isto a mim mesmo também estou sempre pronto para morrer,vivo tudo que posso com vocês da maneira mais intensa e depois naturalmente tudo acaba-se,e morre, como cada sol que põe.Não temos amanhã, tenho este segundo e diga-se de passagem amigos este é o único tempo real que você, queira você crer ou não, o amanhã é imaginação é probabilidade não é real e você não tem o menor controle se irá tornar real ou não, não tem como é impalpável, impossível.O passado é um fantasma que vagueia na memória, não tem como capturá-lo,apreende-lo, fazê-lo tornar-se o agora, embora a grande maioria das pessoas ficam neste inútil e eterna tentativa de trazer o passado de volta, uma forçada tentativa de vestir uma camiseta que você usava quanto tinha 3 anos, isso é o passado.
O presente é agora e o único momento que você pode viver com todo seu ser, e a culpa amigos deriva exatamente daí, o depreciar do precioso tempo com as imensas futilidades humanas, então o tempo passa e começam os jogos das culpas, as eternas cobranças dos feitos ou não feitos, tudo isto é muito simples, é culpa por você não estar integralmente ao que estava fazendo, toda vez que agires assim, tenha certeza ficou resíduo de suas emoções para trás, e eles irão cobrar,ou você mesmo irá fazer isto, pode-se chamar isto de muitos nomes modernos, remorso,dor da alma,arrependimento,saudade patológica,culpa,cobrança,depressão e quanto tudo isso atinge níveis mais profundos, chamamos de câncer,doenças degenerativas de uma forma geral!É curioso amigos, o ser humano moderno lamenta a falta de tempo para tudo e todas coisas,por que exatamente não esta integralizado ao tempo do que se realizando,tudo passa muito rápido porque você acelerou ,você está no amanhã, e depois lamenta-se pelo tempo que teve e não aproveitou,o ser humano é uma piada de humor negro(o meu caso literalmente!!)a percepção de tempo altera-se,amanhã o tempo de agora torna-se importante e onde estamos agora?
Onde estamos quando damos adeus as pessoas que amamos?Temos noção será que pode ser a ultima vez que nos falamos,nos vemos,nos olhamos ?Onde você está?
Está aqui, ou o texto esta muito chato,e você lembrando que pode fazer algo diferente daqui a pouco ?Se assim foi, você perdeu tempo novamente.

Um segundo em tua companhia é mais tempo do que um ano na companhia daqueles que não comungam.

Meu carinho.

Luís Fabiano.
Quanta da Felicidade

Cada vez mais a ciência acadêmica caminha para as linhas sutis da vida a passos largos em direção a energia fazendo derivações e vindo ao encontro com as filosofias orientais mas propriamente da índia, estes conceitos sondam o oculto, arranham as paredes da matéria em direção a quarta dimensão ou simplesmente dimensão espiritual a porta fronteiriça em rumo as mas profundas e revolucionarias apreciações da vida, este é um ponto de emergência, somos essencialmente energia,que moldamos, modificamos, e que temos padrões exatamente como um átomo de nosso corpo se comporta, nosso comportamento em nível macro assim o é.
Essa é nossa tragédia e nossa beleza.
Tive a oportunidade no sábado que passou de assistir uma palestra, onde estas modernas/antigas concepções foram apresentadas, com bastante clareza,destreza e beleza por parte do palestrante, naturalmente que o meu interesse era o foco periférico ,as pessoas a volta em tentativa de entender alguma coisa,mas pelos comentários observados se compreenderam um por cento do que foi dito é uma “vitória”, bem explico por que:ao chegar percebi a presença do famoso chá com bolachinhas,até aí tudo certo, é educado e de bom senso uma vez que chá não pensa e nem tão pouco as salgada/doces bolachas, antes da palestra as pessoas já estavam conferenciando com as bolachas e chá, um detalhe o almoço havia acabado não fazia muito,mas o foco da palestra eram o chá e as bolachinhas!E assim decorreu, o ente humano sempre procura o caminho de fuga, ainda que seja para sua iluminação, enquanto o calvo palestrante queimava neurônios amigavelmente os observadores trituravam sofregamente as bolachas, inclusive com direito a fila para a repetição!Perceberam?O mundo objetivo aqui me é mais importante que as especulações sobre as probabilidades infinitas do Eu, da sua manifestação mais real e profunda, de seu fator de influencia, onde tudo aquilo que observo pelo simples fato de perceber e como perceber altera-se naturalmente, estes vínculos energéticos e unos que tornam minha energia parte da tua e parte da flor e parte da serpente!
Tudo ia bem segundo a manifestação e apreciação das pessoas, quando a final para confirmar o que realmente eu havia percebido, as perguntas, foram apenas quatro perguntas em uma platéia considerável, e diga-se de passagem perguntas completamente idiotas, quase fora do contexto da palestra, porque espíritas inveterados não conseguem fazer o vôo para alem de Andre Luiz ou Kardec,quase como um Evangélico e sua bíblia surrada e nada entendida, tudo certo, a limitação de cada ente deve ser respeitada ?Por favor não respeitem minhas limitações porque considero ofensivo demais,é me ofender e não me dar oportunidade de entendimento mais real e profundo, quero rasgar,descerrar as fronteiras de minha alma e buscar o infindo, o infinito aquilo que é a mim mesmo.Então o Sr Palestrante faz a ultima colocação respondendo uma pergunta insipiente quase pueril, a pergunta pode ser,mas a resposta seja do que for precisa sempre ser digna,podem lhe perguntar sobre alhos e cebolas, responda sempre o maximo que seu raciocínio intuitivo puder alcançar.Então a pergunta, se aquilo que fazemos de bom para outras pessoas pode alterar a nossa energia ?A resposta:Sim pode, o coração é a sede do espírito é o coração quem manda,é seguir o coração.
Detestei a resposta, que foi da altura dos convivas da palestra.Quase disse a ele que então experimentasse seguir o coração as cegas coloque uma venda em seu coração e siga-o, as pessoas se envolvem com coisas, outras pessoas, onde a paixão é a dicotomia,fazem deste sentimento algo grandioso tornando-o absoluto e então descobrem que a realidade não é bem assim,o coração é um órgão retardado com alguma síndrome degenerativa qualquer, por ele você se envolve com qualquer pessoa sem pensar na sua individualidade , faz caridade as cegas e outras tantas coisas.Se você não controla suas emoções o coração torna-o cativo e sujeito, e vítima e presa das mais funestas emoções humanas, de todas as tradições que consideramos corretas,de toda passionalidade degradante,mas siga seu coração!Ame quem não deve,se envolva com pessoas complicadas,afinal muitas vezes o coração age assim, e o resultado deste seguir as funestas emoções humanas é sempre o trágico, nem muito limpo e nem muito sujo.As emoções devem receber o consentimento do pensamento,e este deve ser burilado para a melhor percepção do nível emocional e não o contrário, quanto mais aprofundarmos nosso entendimento do ente humano como manifestação da energia cativa, saberemos que tudo em nossa vida é observação,aprender a observar é aprender a sentir,quanto sentir e como sentir.
Sou senhor de minhas emoções, todas as pessoas que convivem comigo podem ser excluídas instantaneamente sem que isso me gere nenhum transtorno,culpa, medo, karma e estes diminutos sentimentos que animam as pessoas! Aquilo ou quem que naturalmente não me acrescenta em nível algum,é naturalmente excretado,por falta de função.
Minha vivencia é integral, mas isto é um outro assunto,para um próximo texto.



Dedicado as emocionalóides rastejantes a cata das fagulhas de sentimento do lado de fora, apenas uma coisa, você está errado

Fraternalmente, advindo dos vapores de minha alma.

Fabiano.

quinta-feira, agosto 23, 2007

De muitos e poucos e nadas!

Bem dizia Jesus aos seus céticos discípulos “...aquele que muito tem,muito lhe será acrescido, e aquele que pouco tem,o pouco que tem ainda lhe será tomado.” Muito piedosa esta frase, quando entendida em sentido literal, afinal tudo aquilo em que o ente humano precisa perscrutar em entrelinhas que fuja de uma linha formal, naturalmente já trás um certo enfado que é a mensagem subliminar do medo!
Tudo isso, porque eu vinha caminhando pela rua e um mendigo entre milhares de “mendigos” que vejo pelo caminho, que costumava dormir em uma esquina de minha cidade, agora não tem mais a esquina que o abrigava das intempéries, não tenho pena, um ente digno de pena é a mais lamentável das baixezas humanas, certamente o amigo desconhecido mendigo estava causando transtornos naquela esquina, fedida, suja e sempre com restos de todo tipo de coisa que você possa imaginar. A esquina agora tem uma grade no vão que era sua pseudo-morada, afinal o meu olfato é mais importante que a suposta morada alheia, afinal aquele rebotalho nem sequer era humano, que ele tem ou poderia oferecer?Nada ele é mais um João ninguém,como somos eu e você diante de alguém mais rico!Poder virtual que nunca representa grandeza.Aquele que tem pouco e nada sabe usar, naturalmente perde-se,e por sua inabilidade termina por arruinar-se a si mesmo e muitas vezes torna-se presa fácil da próprias ambições,e por incrível que pareça essa dicotomia existe, quanto menor maior a ambição e quanto maior, maior ainda a ambição, qual a causa?Você acha mesmo que a fonte da miséria, é a falta de coisas?Olhamos apenas as conseqüências de tudo a que aí está, a causa primitiva, a causa remonta a Abel e Cain, dois imbecis que por tédio desenvolveram existencialmente, inventaram uma medíocre guerra de poder ante aos olhos arregalados do Criador e a esta altura literalmente retirou-se para o seu descanso no sétimo dia!
Expliquem os psicanalistas, psicólogos e todos e claro piada a parte, mas o homem faz o que faz por total tédio daquilo que é, a insuportável imagem e semelhança Divina lhe causa asco, então ele lança-se penhasco abaixo em busca daquilo que afronta a si mesmo, numa tentativa de fugir de sua essência! Pense bem, o homem não suporta a si mesmo, ficar a sós consigo mesmo, ouvir-se profundamente é a utopia dos “religiosos”. Não, preferimos os gritos inarmônicos de um mundo que berra todas as obscenidades e que agradecemos de bom grado!
Não é revolta não me entenda mal, é vomito,uma verdade presa na garganta de minha alma,em uma tentativa que nascer do parto de mim mesmo, e então toma caminhos estranhos obscuros mesmo.Tenha certeza o Demiurgo rola de rir do quanto o ente humano é patético, a piedade foi inventada pelo homem em uma tentava de humilhar homem e com isso subornar o Criador para obter o perdão eterno!Porque aquele que muito tem mais ainda lhe será acrescido, entrelinhas, quem é mais digno, o que tudo tem ou quem nada deste mundo tem? Questão delicada de avaliar considerando-se as ambições pessoais de cada.

Ao mendigo sem esquina, aos mendigos bem ornados e aos que de alguma forma comungam com a futilidade da vida.

Fraternalmente

Fabiano.
"Vários são os pensadores que, ao estudar os sucessos e reveses das nações e grandes impérios, têm-se surpreendido com uma característica idêntica em suas histórias, a saber, a inevitável repetição de acontecimentos similares, depois de iguais períodos de tempo."
H.P.B
Limiar

Quer pensemos em ciência, filosofia ou mesmo alguma manifestação religiosa o ente humano não consegue por assim dizer tocar os limites mais básicos de suas possibilidades, como se por questão de lógica o limite de cada manifestação fosse a fronteira terminal, absolutamente nada é levado ao limiar,limite para alem, a passividade do ente humano para consigo mesmo é a sagrada jaula em que o embotamento faz morada e contempla-se vaidosamente.
Me refiro mesmo até aqueles que possuem uma mente privilegiada, que embora possuindo uma “ potencia ”vilipendiam a si mesmos, usando tão precisa ferramenta para analisar como funcionam as novelas, ou magia moderna dos modismos a moda da casa, ou a profundidade de toda sorte de futilidade a guisa de coisa útil, a que por uma maneira muito curiosa temos insistência de chamar de “muito importantes”,necessidades imprescindíveis, nossa vida realmente depende de tais ?
Na verdade o homem olha sua sombra próximo ao meio dia de sua ignorância e se presume um anão e toma tal observação um aspecto absoluto, qual é o limiar de uma anão?A mera satisfação com o comum e pueril é o nosso topo máximo, acuado em canto de nossas finitas possibilidades simplesmente não sabemos fazer ou ser diferentes do meio, e toda e qualquer mudança ainda é interpretada como um prurido patológico ou um embotamento iluminativo muito mal interpretado.
O limiar de si mesmo, por algum momento de sua vida você já se questionou a respeito? Amigo o único limite real é sua imaginação,é sua inteligência e sobretudo sua vontade,as grades são feitas por você mesmo,pensar na impossibilidade é o prazer pessoal a que cada pessoa se deixa crer, porque diferente disso, tudo é esforço impalpável, intocável,intactil, e afinal esforço para que mesmo? Ir ao limiar significa saber o que há por alem da fronteira de si mesmo,e tenha certeza que é caminho escarpado e difícil.De um segundo para outro dar-se conta que tudo que você sempre acreditou não é verdade, em pelo menos quase nada,a imensa porcentagem de mentira embutida em um contexto de verdade é golpe duro de absorver, você ousaria se colocar em check? Eis uma das características da vida e verdade humana toda verdade possui sua cota de mentira,tudo é visível a imensa parte é invisível, eis o ponto de flexibilização que todos precisamos ter.
E claro o limar de tudo que é ascendente sempre termina por arranhar a realidades mais sutis, entramos ai no reino dos quanta ou quantum da energia em si, neste contexto é claro toda as regras vigentes daquilo considerado o normal e o seguro tornam-se obsoletas, carcomidas e oxidadas e simplesmente não tem “sentido” algum.Toda a segurança da vida que aí está é a ilusão brincando de ter noção exata do que esta fazendo, tanto quanto um cego mirando em um algo com um arco e flecha.

Mas isto é longo assunto, faremos prestações.

Toda tranqüilidade

Luís Fabiano.

quarta-feira, agosto 22, 2007

"Ninguém negará que o ser humano está na posse de várias forças, magnéticas, simpáticas; antipáticas, nervosas, dinâmicas, ocultas, mecânicas, mentais; numa palavra, de todas as espécies de forças; e que as forças físicas são todas biológicas em sua essência, pois se entremesclam e se fundem freqüentemente com as forças que denominamos intelectuais e morais, sendo as primeiras, por assim dizer, os veículos, os upadhis, das segundas. Ninguém, entre os que não negam a existência de uma alma no homem, hesitará em dizer que a presença e a combinação dessas forças são a essência mesma de nosso ser, e que, de fato, são elas que, no homem, constituem o Ego."

H.P.B

terça-feira, agosto 21, 2007

A virtude do Martelo.

O ser humano é um mistério, esta máxima eu uso para entender que na verdade não há mistério algum no ser humano, infelizmente o mistério do ser humano, torna-se tão embotado pela sua natureza irreal que por assim dizer grita mais que sua própria essência.Esse é um bom começo, nós idolatramos a mentira, a chamamos de muitos nomes, bonitos, complexos as vezes até pomposos, para apenas adornar o lixo que em verdade a realidade mais grotesca da vida, aquela que em modo comum estamos muito bem familiarizados!
Então encontrei uma criatura empurrando conceitos religiosos, filosóficos prontos em uma vã tentativa de conseguir acordar a virtude, fiquei curioso com a cena, o esforço era imenso e inútil, porque seu estomago revoltava-se contra tão tosca e lúgubre alimentação, então ele percebendo que não estava funcionando, que seus desejos tornaram-se frustrados e nenhum crescimento ocorria!Então teve uma idéia de gênio, ele colocaria a martelo estes conceitos em sua vida, modelaria sua alma a força e então ficaria ela de acordo com seus mais profundos desejos, certamente encontraria o Criador, talvez os mestres, a iluminação mesmo.
Começou a sua empreitada, pegou os conhecimentos e começou a martelar!Martelar!Martelar!Até não agüentar de dor!Quando finalmente terminou sua obra percebeu que ela era totalmente inacabada,as virtudes pesavam em si, e de certa forma haviam deformado seu semblante, e o engraçado que em seu coração...uma estranheza as virtudes estavam ali, coladas,penduradas mas não vibravam, faltava-lhes energia.Então instante de lucidez que todo ébrio tem, percebeu a dimensão da própria ignorância.E é o que em maioria os entes humanos erram, tentam humanizar algo profundamente sutil e diáfano.
Temos a capacidade de perder a essência de todas as coisas por querer que elas sejam especificamente humanas. As virtudes são energias de vibração alta, que em jaz em busca da unificação com o todo,a virtude é a representação em vibração mais densa de uma manifestação de nossa alma.A tudo entendemos mal, não sabemos amar se prender ou prender-se, não sabemos ter uma paciência que não seja estudada e por interesse, somos “caridosos” na vã tentativa de conseguir granjear o céu! Eis a maior mentira!E neste ínterim todos são absolutamente mentirosos. E que mentira é essa?
Simples de não entender que a alma não é, a alma não é humanizável ela é de natureza divina, e a medida que entendemos esta relação podemos ter a capacidade para acessar esta alma mediante de nada “fazer”, calar fundo e sentir o ato do não ato, o desejo do não desejo,força da fraqueza, a vida plena em sua ausência, a força do nada,para tanto é preciso apenas tornar-se consciente ser um observador simples e quieto, essa é a força real da transformação, essa é a essência que permite nos tornamos simples manifestação daquilo que realmente somos, naturalmente as virtudes são em verdade coisas diminutas dentro do contexto, elas são a manifestação natural dessa apreciação profunda daquilo que em verdade nossa essência!Todo o resto é martelar virtudes ou maquiar defeitos, ou simplesmente densificando o que em natureza o que não somos, uma ficção em forma de ego, e como naturalmente invertemos tudo, tornamos a ficção realidade e a realidade algo profundamente fictício.
A primeira regra é discernimento.

Aos que ambicionam a verdade, os que lutam contra
si mesmo e aos que aprenderam
a ver o diamante em si.

Fraternalmente

Fabiano.

segunda-feira, agosto 20, 2007

O que realmente falta?

Permita-me ser sincero, não sinto falta de ninguém,sou assim e a muito tempo sou assim, me acostumei a ter presença residual das pessoas, ou seja quanto elas estão presentes, na minha frente interagindo comigo elas são reais e verdadeiras,vivas e únicas, quando naturalmente se afastam, vão para suas atividades,simplesmente elas literalmente tornam-se inexistentes,como se tivessem morrido ou algo parecido, nunca espero vê-las novamente, não sei tornarei a vê-las, mas toda sua manifestação está em mim,tudo que tenho e tive me supre, claro isto quando trata-se de alguém relevante para mim, em minha consciência a manifestação das pessoas desimportantes o que são a grande maioria para mim, não dura mais que um relâmpago,antes das despedidas já não existem a muito.
O mais curioso que é aquelas poucas pessoas que são importantes para mim eu as literalmente ” mato” dentro de mim,em minha consciência, sobrando só que é absolutamente essência, sua manifestação grosseira nada diz ou significa.
Não sinto saudade,nem fico ansioso para ver alguém e para não ver também, não odeio ou amo, sou mera manifestação da casuística interajo com o que é, não tenho regras prontas para nada, e num segundo sou dócil e noutro posso me tornar um tigre faminto! Não espere entender.embora seja muito simples.
Guardo minhas navalhas junto com meus diamantes.Não cativo nada, pois este cativar humano significa aprisionar, e não tenho ninguém preso a mim, as pessoas são manifestações factuas, num piscar de olhos já não estão mais,desejamos em vão eternizar tudo,queremos mesmo congelar,cristalizar o momento que vivemos e não permitir que ele se escape entre nossos dedos, quanto mais desejamos isso mais ele se oxida, torna-se putrefato e claro perdido e com odor horrível .Desapego é a chave, quanto mais livre, mais nosso , quanto mais solto e ganhando o infinito mais verdadeiro,será que você não sabe que o seu egoístico desejo que quer prender a felicidade, termina por asfixiá-la? Você extermina as coisas em seu campo objetivo, eu as aniquilo na sua manifestação mais grosseira. Desejo apenas aromas, cheiros e vibrações leves. Nenhum chumbo.
Digo apenas quanto mais falta sentimos de algo, alguém, é porque nossa vivencia não foi plena,bem vivida e entendida, bem, o que o ser humano sabe viver plenamente? Nada.Essas manifestações são uma eterna confusão, intensidade não significa plenitude, continuidade não significa plenitude,ordem não significa plenitude.Tudo que entendemos como pleno é profundamente equivocado. Mas não direi porque, cansa,estou cansado.Mas fique tranqüilo a culpa não é sua, mas claro que você vítima também não é, você está implícito apenas isso.


Desapegue de tudo e tudo plenificará você.

Meus carinhos.
Fabiano.
Inquietas emoções

De alguma forma ou de outra todo o ente humanos é passional, uns mais e outros de forma irrisória, mas de alguma maneira a dor de nossos “próximos” e aqui me refiro a próximos, parentes,alguns amigos,mãe,pai,filhos e etc...termina sempre por nos afetar, isso é um pouco e passionalidade,bem até aqui até entendo um pouco, mas não muito! Por que entendi que a dor destes próximos é que acorda em nós sentimentos de piedade,compaixão, de pena ou comiseração e que é erroneamente chamado de amor, nada mais é a manifestação objetiva da dor que trazemos em nossa personalidade, que fique claro não digo que não se deva sentir, mas como sentir!Atender aqueles que são “nossos” é por assim dizer é um dever,mas infelizmente a mesquinhez de sentimentos é mobiliza toda essas forças.O outro, vale alguma coisa é certo, talvez mesmo o outro mereça nossa gratidão?Sim, talvez, mas por favor não faça do ato de dor alheia a tábua de sua própria salvação, por que simplesmente não tem como isso ocorrer, salve-se todos miseráveis do mundo e nada muda,sua mente não muda.
O nível do perdão dos”pecados” se dá em si mesmo, nas camadas mais sutis e profundas da consciência, o que surge a partir dali é mero resultado que não deixa de ser a busca compensatória da energia para a reorganização pessoal da individualidade bioenergética. Salve-se a si e salvarás o mundo,agora não faça o emaranhados das suas emoções doentias junto com as do seu próximo tornado-as um amalgama onde é sabido que você não entende onde começam suas emoções e onde terminam a dos seu próximo?A tradição lhe tornou cego, e como escapar,és um escravo aprisionado a si mesmo, as algemas ali colocadas foram tuas próprias mãos que a confeccionaram, agora seu pai, mãe ou filhos adoeceram, que fazer?
Eu digo,atenda, mas sem nenhum sentimento de inquietação ou culpa, atenda dentro das suas possibilidades, tranqüilamente,e naturalmente haverá um determinado momento em que todo atendimento torna-se vão,apenas saiba transmitir paz, e naturalmente liberte e deixe liberta-se, não é frieza e bom senso e entendimento daquilo que é mais profundo, e por isso mesmo a única verdade que não sofre estes danos.
Você acha mesmo que a pessoa humana é orientada pela inteligência? Claro que não, somos mobilizados pelas simplórias,fúteis e bizarras emoções, nossos vícios gritam mais alto, nossas ridículas ambições gritam mais alto, enquanto a delicadeza,inteligência e refinamento sussurram e sua voz se perde no éter .
Quanto mais um ente humano sabe o que é, mais breve,sutil e energético ele se torna, deixando gradualmente as manifestações mais grosseiras e naturalmente mergulhando nos níveis mais reais da vida, onde por vezes entra em total contradição com o mundo objetivo, diga-se de passagem o mundo objetivo é absolutamente ridículo, praticamente sem cor, graça ou beleza, e as pessoas fazem um esforço imenso para ficarem por aqui?Apenas para derivar, você sabe porque naturalmente o planeta esta aquecendo e todas catástrofes naturais estão ocorrendo?Muito simples o planeta com um ser vivo (Gaya) coletivo está manifestando no plano objetivo a consciência do ser humano, estamos fazendo o favor de trazer para “mundo” o inferno de nossas consciências, e isso numa total manifestação de nossa inconsciência,prova cabal que nossa ambição é maior que nosso espírito de vida, que nosso dito amor pela vida!Mentirinha?O bom senso no ente humano tirou férias coletivas a muito tempo, creio mesmo que desde Adão!
Quanto tudo mais grita é impossível ouvir o sussurros da vida.
Sentimento amalgamados,misturados, forjados na fundição de nossas mais primitivas emoções e ai isso idolatramos e coroamos, todos os dias, a todos os momentos sempre o que gritar mais!
Não lamento, tudo mais estiver acabando,quero apenas uma cadeira de praia e um confortável lugar para ver o bizarro espetáculo,me sentarei nos eucaliptos e ficarei tranqüilo batendo um papo!

Aos que ouvem o sussurro e o escutam.

Fraternalmente
Luis Fabiano.

sexta-feira, agosto 17, 2007

Companhia das estatuas

Vinha caminhando pelas ruas da cidade, tranquilamente fugidio da chuva que hora se iniciava, naturalmente pensando sobre a vida meu tema predileto e vasto sempre, entender, interpretar e mesmo desenvolver capacidade de associação, leva-nos sempre a uma abordagem diferenciada,e aqui agradeço a sagrada oportunidade de assim ser e estar.Quando olhei para o lado ao atravessar a rua e deparei-me com uma estátua em um jardim e na hora ela me disse coisas que nenhum ser humano dito de carne e ossos talvez me diga!Sua comunicação foi profunda e imediata,e disse-me tudo em um piscar de olhos, bem sabemos que o tempo é muito relativo, por vezes as pessoas .Agradeci a inspiração.
Prefiro a companhia das estátuas essa é a verdade, as criaturas humanas pouco ou nada tem a me oferecer, e como por ironia a pedra fria da estatua me oferece mais que as quentes emoções humanas, ali calada estava mãos ao alto e semblante contemplativo quase um leve sorriso.Quando aprendemos a ver com os olhos da alma jamais existe morte tudo é vida e riqueza por que na verdade somente ela pode nos oferecer isso, tudo toma um ar especial e belo e talvez exista mesmo um inverter de valores, aquilo que se move com a vida talvez esteja apenas abanando com vento, morto e sem vida, e aquilo que esteja solido, congelado pulse em vibrações tão elevadas que não percebemos!Aquilo que se anima por vezes é tão superficial, artificial que a sua manifestação nada é em verdade.Alguns pensarão que é a arte que me inspira e a estes eu digo que não é arte, as coisas realmente falam mas poucos escutam.As vezes as cantigas dos seres humanos me chegam aos ouvidos, seu canto melancólico cheio de falsa dor.Eu respeito embora não devesse.
Bem que aconteceu, de hoje em diante eu estou preferindo a companhia das estatuas em sua voz muda e seus movimentos vagarosos, aqueles entes humanos que agitados, falantes,nervosos e sem sentido algum, desejo ficar apartado, inclusive aconselho a eles que tentem conversar com as estátuas, falem com elas, digam seus dramas, suas dores, falem de seus sonhos novelísticos e das proezas que você faz junto aos teus amigos e conhecidos.Façam suas queixas a elas se confessem em fim.Tenho certeza que elas terão algo a lhe dizer, bem agora se você entenderá e outra historia, e algo de você e suas débeis limitações, alguém pode lhe ajudar?Não, as vezes amigos ajudar é romper, e rasgar a alma,e implodir seqüelas e destruir condicionamentos.
Certamente você acha que sou louco, não há problema, sua opinião não tem importância alguma, alias observe-se, e pense, para quem sua opinião tem relevância ? Estatuas ? Bem elas preferem a quietude, o silencio mesmo porque sabem que toda movimentação é vã se faltar essência, mas para os vivos isso não tem lá muita importância, é mais relevante a movimentação sem sentido que da aparência de sentido.


Obrigado as estatuas que me brindaram com o seu melhor,agradeço a pedra dura que inspira e me leva a sutilezas vaporosas.

Fraternalmente , bom final se semana a todos.

Luís Fabiano.
Peneira de dignidades

Amiúde tenho tido oportunidade vislumbrar julgamentos e sentenças letais ou letalizantes daquilo cuja a aparência é suja, para o ente humano de raso entendimento tudo é mais ou menos sujo,sua obscuridade projeta sombra a aquilo que não entende muito bem, e todo e qualquer julgamento sempre deriva destas sombras que com prazer assim procedem por total falta de alternativas da luz, literalmente colocados no corner do ringue, semi-nocauteados.Por outro lado uma mente mais sutil,mais intelectualmente preparada,não esbarra nas barreiras de falta de luz,talvez nos crivos inflexíveis da moralidade, o que não deixa de ser uma ignorância rindo e bestialmente, mas sabendo por que ri! Longe de ser advogado das imundícies humanas que de fato algumas existem como é normal,se a beleza existe com toda razão a bizarrice esta em oculto observando-nos sorrateira e aguardando.
No entanto ser digno ou indigno não é questão de atos, o ato as vezes desmente aquilo que é verdade em si, por vezes meras e necessárias condições externas, uma espécie de fantoche de atitudes difusas e imundas, o corpo desmente quase tudo e as emoções verdadeiras gritam em teu peito.
O ser humano é um mar revolto de emoções e todas estão muito próximas quase amalgamadas, juntas, então imoralidade é cristã junto com a culpa, mas tudo é redimível a alma pode ser absolvida quando sua manifestação for o espelho profundo de si mesmo. A impureza não está no ato amigos, mas em si, em seu cerne, fonte de toda maldade e todos os sórdidos sentimentos que adulteram mesmo os melhores atos de beleza.
Por que mesmo os nossos melhores atos podem ser interpretados erroneamente, negativamente? Por que a aparência dita as nossas ações, não vamos muito longe, as historias sempre se repetem, vi padres que embora rezassem excelentes e inspiradas missas mas em sua vida “real” viviam na sordidez profunda, com vícios de toda sorte,atos de libidinosos, será que uma coisa invalida outra? Conheci espíritas conscientes que eram boas pessoas no centro espírita, mas no lar se tornavam obscuros, reclusos e muitas vezes ásperos, excelentes palestrantes é certo, que emocionavam as pessoas, inteligentes mesmo, mas uma coisa invalida a outra? Um estuprador profissional, mas que tem uma família que ele ama muito e tem muito respeito, carinho, que ama sua mãe e pai, irmãos e filhos? O que prevalece, o crime ou sentimento nobre? Será que não somos meio assim? A mãe prostituta que vende o corpo mas jamais a alma, em função de tentar manter a dignidade de sua família com víveres básicos,me soa mais nobre que mães de família ou pais de família que embora tendo tudo traem por mero desejo primeiro a si,depois e seus companheiros(as), mas por outro lado toda traição soa como uma justificativa quando existe no seio do lar desamor profundo,desrespeito e mesmo animosidade.Você julgaria com que balança isto?
A dignidade reside na fonte de nossos sentimentos e não no resultado final de um ato, por vezes quando sou bom as vezes soa mal, por outras vezes quando sou mal, soa como uma bondade plena sublime, onde reside a sujeira? Ou sublimidade?
Como disse não sou advogado, com toda certeza vos digo que antes de pensar em julgar a qualquer coisa na vida, devemos olhar-nos profundamente no espelho, e tenha certeza encontrarás impurezas em você,eu estou vendo daqui umas poeirinhas...


Aos dignos, aos indignos e os que são uma ponte entre uma coisa e outra!

Fraternalmente

Luís Fabiano.

quinta-feira, agosto 16, 2007

Ojeriza

Algumas poucas almas tem a noção exata do que significa realmente esta palavra, porque talvez nunca tenham tido a oportunidade na vida de sentir esta aversão a algo, uma mistura de asco e nojo ao mesmo tempo por um insolúvel problema, e por favor não pense que estou de má vontade, em verdade até tenho boa vontade até em demasia,tanto que ainda insisto em escrever,mas por favor, humanamente tudo é finito não é mesmo ?
Mesmo Jó, teve seu limite esgarçado, era largo com toda certeza mas ainda humano,O Criador foi um pilantra ali, ou simplesmente resolveu jogar dados!
Não me coloco acima de ninguém, ao contrário bem abaixo, por tenho noção profunda de mim e a minha imensa insignificância, de fato não sou nada ou sequer importante,meus sentimentos não são de raiva, ou mesmo tem ódio em seu cerne,são a manifestação da verdade profunda latente em mim, ante a infinita e redundante ignorância, confessemos a humanidade está assim porque quer!? Não usemos desculpas evolutivas,religiosas,filosóficas ou mesmo cientificas, talvez involutivas sim, não busquemos a anestesia imediata nem mesmo panos quentes como geralmente fazemos em nossa vida,fugindo da dor de si da dor alheia, antes sim aceitemos!
Aceitemos que muito pouco evoluímos ante o Homo-neanderthal, de lá agora muito pouca coisa aconteceu efetivamente, ainda temos as mesmas necessidades a unica diferença se é que podemos levar isto em consideração é a questão tecnológica que cria esta falsa aura de evolução,mas os dramas humanos ainda são os mesmos e ainda serão perpetuados, isso realmente não é dar uma ojeriza profunda? Não.Creio que você sente-se a vontade, se puder seguir cultivando exatamente o que seus antepassados fizeram,lhe ensinaram, o que chamas de tradição eu chamo de ignorancia congênita continua e imutável!
Por vezes tento fazer algo em função disso, dou pequenas doses de verdades em forma homeopatica, mas infelizmente ninguem quer entender,minha solidão aumenta, aqui amigos a limitação não é questão de intelectividade mas sim de entendimento no que se refere a Sí e a vida, atire-se um osso ao cão e ele certamente irá atrás, coloquemos as futilidades acessessiveis aos homens e mulheres certamente eles vão busca-las famintamente! Dou aquilo que as pessoas querem, por vezes falo de coisas que não sei ou sequer entendo, mas como toda a futilidade é previsivel e natural, é só repetir os futeis personagens da vida humana, tudo igual identico e nem ouse fazer algo diferente disso, o mais curioso ninguem dar-se conta?
As vezes falo uma verdade,mas o dano que gera é imenso quando está cai no campo fértil, a natureza fria da verdade não tem paridade para as nossas quentes e borbulhantes emoções e assim tudo é perdido,meu tempo, seu tempo e o tempo do mundo.
Por vezes estar preso não é algo lá muito sequer importante porque de alguma forma estamos todos algemados a alguma coisa, a questão é idolatrar a cadeia, o grilhão é adornar-lhe com beleza, na vã possibilidade de alcançar a liberdade, esse é o inicio do problema, a maioria de nós sequer sabe que está preso,amordaçado afivelado mesmo , prisão sem muros, sem grades ou cordas, que infalivelmente nos prende! Quanto maior o desejo de libertar-se mais preso se fica.
Quem está preso mesmo?
Ninguem, esqueça tudo, tudo isso só foi um sonho ou pesadelo, mas agora você já acordou e esta tudo bem, olhe o mundo e fique tranquilo tudo está em paz.

A todos os idiótas, imbecis e profundamente ignorantes que a vida tem a felicidade de me oportunizar contato.

Meu carinho e admiração.

Luís Fabiano.
"Eu vivo muito fechado dentro de mim,
como uma ostra . Sou uma ostra
tentando produzir uma pérola
que venha
do meu coração, mas dizem que a pérola
nada mais é senão a doença da ostra."

Gibran.

Isto é um agradecimento as pérolas que me são enviadas.
Toda paz.
Fabiano.

quarta-feira, agosto 15, 2007

Um sentido


Um sentido

A coisa mais insensata na vida, é esperar que tudo tenha uma resposta correta ou um sentido real e profundo, que de um modo todo irônico, é na mais das vezes raso.

Talvez as pessoas até gostariam que as coisas fossem assim em um nível muito subconsciente, que todos os sonhos, que um mundo feito de futilidades, que sentimentos fátuos e falsos, piegas mesmo, fossem em verdade reais, e iguais ao ideal, que tudo quando observamos, pudesse ser presumido em verdade ou algo bom ou mal, certo ou errado, mas isso também é mais uma imbecilidade criada pela imaginação.

Gostaríamos que todos os desejos objetivos e subjetivos, pudessem ser largamente satisfeitos e na ridícula espera que leva o entendimento pleno da satisfação, impossivelmente total! 


Isso não existe. Imaginamos com a mente em efervescência, que concatenando todas as possibilidades de ser feliz, que ajuntando elementos corretos, seja possível produzir alquimicamente felicidade em nível objetivo? Mais uma utopia.

Ao contrário do que pensamos, todas as coisas não tem um sentido ou sequer vários sentidos, elas não são feitas para darem certo, na medida correta(falo de vida, dos acontecimentos da vida ,dos sonhos que se esfarelam etc...) segundo a ótica humana, elas são desordenadas propositalmente, seria o Demiurgo um brincalhão?


Tentamos obcecadamente, dar ordem ao caos que existe, numa tentativa de brigar com cata-ventos ou fazer troça das tempestades , sem nunca atingir o tão almejado descanso,mas em que consiste essas lutas e com 

quem se luta ? 

A mente faz projetar o inimigo exterior, que é um fantasma ululante sem face e com todas as faces a nossa volta, acaba que todos se tornam teus inimigos, e você inimigo da felicidade, e todos os nobres sentimentos humanos, se é que existe algum?!

É preciso que tenhas um sentido, então você se sente seguro, para que a tua fé naquilo que imaginas ser correto, crer seja algo real e palpável, visível, táctil, quase matéria, eis onde que morrem os nobres sentimentos, por esta identificação funesta, porque onde incorremos em vislumbres daquilo que é nossa essência profunda, intocada, impalpável e sutil, nos perdemos e as vezes não há temos!

Tive pessoas singulares em minha vida, algumas me ensinaram muito, outras a nada me acrescentaram, e este ultimo cortejo é o predominante é claro, no entanto a culpa nunca é de outrem amigos. Esta palavra culpa, ridícula que mancha a personalidade e transfere uma dor subjacente em mim para ti, quase tudo é justificável.


Mas minha sede sempre foi de oceanos, e minha fome sempre intensa quase insaciável, hoje já não me sacio mais, hoje meu almejar é o infinito em mim, e pode o finito abrigar o infinito? Por vezes desejo descerrar as portas de minha alma e desfazê-la, como se possível fosse desintegrá-la.

Não há sentido algum amigos, nada há lá fora, há sim antes, entendimento, o que nada tem haver com a razão com a lógica, com esta conseguimos explicar muito pouca coisa, dentro do dualismo presente e determinante, ou as coisas são ou deixam de ser, nenhum sentindo é encontrado, mas calado na intimidade, envolvido nas vaporosas energias sublimes que é possível simplesmente ver!
Paz


Luis Fabiano.


Vista panorâmica

Quando observamos o mundo que nos circunda,não podemos ocultar de nós mesmo a existência de um imenso quadro de dor e sofrimento.Em verdade,grande parte é por culpa dos que sofrem,e podia ser facilmente evitada com o exercício de autocontrole e senso comum;mas também há muita coisa cuja causa imediata não está em nós, e que procede,sem duvida,do exterior.Muitas vezes parece que o mal triunfa,que a justiça falha em meio ao tumulto e á pressão da tempestuosa confusão da vida e em conseqüência desta desmesurada e incontida ânsia do resultado final, e da duvida sobre se existe realmente um plano efetivo de progresso por trás de todo esse caos desnorteante.
É tudo uma questão de ponto de vista:o homem que está no aceso do combate não pode ajuizar do plano do general ou da marcha do conflito.Para compreender a batalha em seu conjunto,é mister que dela nos afastemos para observar do alto o campo de luta.De modo análogo, a fim de entender o plano de batalha da vida teremos que dela nos apartar por algum tempo e contemplá-la do alto em pensamento - não do ponto de vista do corpo que perece,mas da alma que vive para sempre.Devemos ter em conta não só a pequena parcela da vida que os nossos olhos físicos podem ver,mas a imensa totalidade,da qual tanta coisa é para nós invisível no momento.
Até que o possamos fazer ,estamos na posição do homem que olha da patê de baixo para o lado inferior de um grande tapete cuja tecedura se acha em processamento.Tudo não passa então de uma confusa mistura de cores, de pontas que pendem a esmo, sem ordem nem beleza, e somos incapazes de conceber o que esse louco barulho das maquinas pode estar fazendo.Mas quando,através do nosso conhecimento do lado oculto da natureza,estamos em condições de olhar do alto,o desenho principia a desenvolver-se ante os nossos olhos,e o aparente caos se converte em progresso ordenado!

C.W.LEADBEATER - O lado Oculto das Coisas.

terça-feira, agosto 14, 2007

Trecho Solto - Aldous Huxley - Contraponto

“...é a imaginação com seus princípios, sua tradição, sua educação. 

Abandonem-se os instintos a si mesmo,e veremos como eles hão de causar pouco dano. Se os homens amassem somente quando levados pela paixão, sele se batessem unicamente quando estão irados ou aterrados,se eles só se aferrassem á propriedade quando tivessem necessidade ou quando fossem arrastados por um desejo incontrolável de posse - então ,eu lhe garanto, este mundo se pareceria muito mais com o Reino dos Céus do que se parece agora,sob o nosso presente regime cristão-intelectual-cientifico.

Não é o instinto que faz os Casanovas, os Byrons, as Ladies Castlemaines:é uma imaginação e prurido, que esporeia artificialmente o apetite, que acicata desejos sem existência natural. 

Se os Dom-Juans e as Donas-Juanas obedecessem somente a seus desejos, teriam muito poucas intrigas. Eles tem de excitar a si mesmos em imaginação antes de poderem afundar nos seus amores promíscuos. E o mesmo se passa com os outros instintos. 

Não foi o instinto de posse que tornou a civilização moderna louca por dinheiro.Para isso é preciso que o instinto de posse seja sem cessar excitado artificialmente pela educação, pela tradição e pelos princípios morais. É necessário que se repita aos amontoadores de dinheiro que amontoar dinheiro é coisa natural e nobre, que a economia e a industria são virtudes, que persuadir as pessoas a comprar aquilo que não tem necessidade é um dever cristão. 

Seu instinto de posse não seria nunca bastante forte para impeli-los a amontoar sem cessar, da manhã a noite durante toda vida. É necessário que ele seja constantemente excitado pela imaginação e pela inteligência... Depois pense na guerra civilizada. Ela nada tem haver com a combatividade espontânea.

Os homens precisam ser constrangidos por lei e depois excitados pela propaganda ,para se baterem. Far-se-ia um trabalho muito mais eficiente em favor da paz se se dissesse que obedecessem aos reflexos espontâneos de seus instintos belicosos , do que fundando não importa quantas Ligas das Nações.”

CONTRAPONTO – Aldous Huxley
Ver e não ver!

Muito vêem, mas poucos enxergam dizia o mestre e complementava, que os cegos cairiam todos nos abismo, uma colocação muito generosa se formos pensar a frio, Jesus a encarnação do amor, da bondade etc..etc...todas aquelas baboseiras que vocês já sabem, naturalmente que não estou faltando com o respeito,mas é preciso que se “veja” toda e qualquer verdade sempre na sua manifestação mais pura, crua mesmo por que o resto é um delírio de imaginação que a lógica faz esporear em prurido patológico, ditadura de coisas pessoais e pessoalidades com alguma emoção que seja predominante em nós , bem perdeu-se.
Em verdade que a maioria de nós apenas vê mas jamais enxerga, as vezes as verdades são tão obvias nos cegam objetivamente, quer falemos de verdades relevantes ou as mais simplórias de que a vida das pessoas são feitas, profundamente passionais e identificados com as situações da vida a verdade termina por cegar, porque a estrada é insegura e nos levaria a questionar tudo, a nós mesmos, a vida que levamos e de nossas “reais” felicidades, para grande maioria de nós tirar a mentira de cena significa simplesmente ser infeliz, perder esta capacidade de dizer para nós mesmos que somos ou não somos felizes é uma tragédia épica.
Olhamos as pessoas a nossa volta, as pessoas a quem amamos ou mesmo odiamos e ainda sim não conseguimos vê-las, são os nossos desejos concretizados ou não, nossos sonhos feitos realidade ou derrocados esta balança oscila, mas a bem da verdade não queremos que nada se altere, talvez o amor da sua vida não seja exatamente isso?Talvez seu filho não seja tão bom assim?Talvez mesmo você nunca tenha gostado de sua família?Talvez você não seja tão justo quanto se imagina?Talvez você não esteja levando a vida que queria levar...foi carregado pelas circunstancias funestas e aí estás ?
Ver implica amigo em saber apartar-se, ver-se, e sobretudo desapegar-se, libertar-se de normas e conceitos prontos estratificados ,amarras insondáveis do tempo, algemas criadas pelas próprias mãos raízes de um mundo finito.Não basta então dizer-se quero ver, desejo a verdade existe uma trilha a ser palmilhada,ela é árdua extenuante,nascerás e morrerás várias vezes,mas a liberdade é possível.
Mas quem está realmente disposto a ver?O melhor realmente é deixar assim, entregues a obscuridade consoladora e dolorosa, não destrua nenhum mundo sem a convicção de que esteja apto para isso, porque quando vemos a verdade,não existe mais retorno, tua consciência desperta e o que eras jamais voltara a ser.
Todo cuidado é pouco!

Aos cegos, banguelas, pernetas e coxos de espírito.

Fraternalmente

Fabiano.

segunda-feira, agosto 13, 2007

Quem é meu Pai ?
Dia dos Pais?

Datas comemorativas sempre implicam principalmente em jargões, feitos, calculados e sem o menor sentido como é a sabedoria do povo,coisas como(pai é quem cria,Ela é mãe e pai ao mesmo tempo,mas casos particulares a parte talvez alguns mesmo sejam verdades outros não passam de justificativa por falta de remédio, sabem como funciona, em ferida aberta apenas curativo.
Mas Marcelinho aquele dia sentia-se solitário, amanhã seria dia dos pais nesta época ele tinha quatorze para quinze anos, sua família era uma tragédia, sempre fora assim, mas para ele ali tudo era explicito, explicito até demais, sempre foi pobre, mas sua mãe uma batalhadora como se diz, fazia o impossível para manter a casa em ordem relativa,não havia abundancia de nada mas o básico para viver tinham, ali a miséria era outra, uma miséria feita de sentimentos, construída pela ausência de uma moral mais básica, sua mãe jamais reclamava para ela a vida era dura e feita de lutas e graças a Deus conseguiam ter o pão de cada dia, e graça a honestidade de sua mãe a vida ia.
Mas toda historia que se presta não pode ser construída de contos de fadas,fantasismos de um mundo que não existe, a realidade sempre nos evoca e sua mão é áspera e calejada, Gerson seu pai não tinha digamos as melhores virtudes,boêmio, beberrão de primeira jamais se furtava a mais leve bebericada, então chegava em casa trôpego sempre,era um espetáculo que se repetia dia a dia, Maria tentava acalmá-lo conduzi-lo para o leito e talvez o sono desse o descanso que faltava naquele lar a todas as noites.
Mas amanhã dizia Marcelinho para si mesmo eu darei o presente a meu pai, em si havia expectativas,ansiedade e medo, é certo.
Então amanheceu, no sábado a noite Gerson dera o mesmo espetáculo de costume, mas agora era domingo, ao levantar da cama Marcelinho sentou-se na cozinha e ali aguardava com um pequeno e estreito pacote praticamente um envelope, mas que diria ?Então seu pai acorda, ele escuta atento as reclamações rotineiras,sua mãe dizia apenas para que Gerson se afastasse,Marcelinho não estava entendendo bem, naquela manhã ele estava mais agitado, que estaria acontecendo ? Ele apenas falava a respeito de um dinheiro, então entendera o que estava ocorrendo ele queria dinheiro para beber...
Marcelinho não se conteve e correu tentando chamar seu pai...quando Gérson se voltava-se para o filho,quadro digno,ele sem camisa de cuecas, a sua mãe acuada em um canto,então Marcelinho dispara meio gago, Pai...feliz...dia dos Pais...Gérson tem um choque e senta-se na cama então cala-se um minuto, seu filho se aproxima estendendo o envelope com tremula nas mãos, ao que Gérson em uma voz ríspida diz:Que isso?É dinheiro??Marcelinho pede para que o pai apenas leia o conteúdo. Ele rasga o envelope sem ler as palavras carinhosas que estavam na frente e então abre o pequeno bilhete que dizia:” Pai não sei escrever direito mas gostaria de dizer,na verdade te pedir que você se desce um presente já que não tivemos dinheiro para comprar algo,mas todos te amamos e te queremos bem, pai eu amo você,por favor pare de beber você não deve continuar esta fazendo muito mal para você, quando você terminar de ler entenderá que nos queremos o seu bem.
Assinado Marcelinho e Mamãe.”
Gerson, como estava ficou,em primeiro momento não mexerá um músculo,então procurou a carteira de cigarros,acendeu um quando Marcelinho e dona Maria lhe abraçaram desejando feliz dia dos pais, então entre uma baforada e outra disse em boa voz, eu entendi tudo mas agora digo que ainda preciso de dinheiro para beber, onde está o dinheiro?Não irei parar de beber.Levantou e saiu.
Naquele dia Marcelinho entendeu o sentido do dia dos pais, naturalmente seus valores nunca mais foram os mesmos, certamente você conhece muitos Marcelinhos da vida quando vocês o virem por aí digam a ele que o dia dos pais esta se aproximando,qual será o presente?

Aos pais, bons e maus, a consciência é a sede da tragédia e a entrada do céu.

A todos os pais de alguma forma.

Fabiano
“Se a vida toda se resumir num pássaro
Que amas e alimentas com grãos tirados
De teu próprio coração, e alojas num ninho
Construído em teu próprio peito - e se este
Pássaro escapa de tuas mãos, sobe ás alturas
E depois desce e escolhe um outro ninho, que
Haverás de fazer, homem? E onde
Encontrarás consolo? E como conservarás
A esperança?

Gibran – Almas Rebeldes
Interrupção

Dizem os entendidos e os desentendidos a vida tem momentos “especiais”, isso até poderia ser verdade se a fonte destas informações fossem fidedignas, como isso não é verdadeiro naturalmente isso torna tudo muito simples, a vida não tem momentos especiais, digam o que disserem, o momento especial amigos está acontecendo neste segundo,neste momento e nenhum momento antes ou depois disso, o que de certa forma não deixa de ser pura especulação, normalmente não comparo as coisas, tudo é pela metade daquilo que realmente aparenta, peguem qualquer ente humano vislumbrem aquilo que voz mostra subtrai de cinqüenta a setenta e cinco por cento e tereis aproximadamente um vislumbre da meia verdade.
Então o momento especial está acontecendo agora, mas tudo mais é importante que o agora amigos, menos o que ocorre aqui, porque? Porque cativos da jaula cotidiana, já não percebemos o que é realmente importante, queremos a impossível repetição, prazer sem fim,eternos natais, e a todo momento estamos quebrado a beleza do agora, a felicidade esta presente aqui, mas a interrompemos pelas nossas agonias,dores e medos, interrupção de um coito quando se está prestes a ascender aos Céus , a beleza de nascer do sol(detesto ser poético, cheira a romantismo barato infantil) o momento de agonia que cessa pela mão de alguém, nada disso é lá muito importante se as coisas continuarem acontecendo exatamente como estão agora e eternamente, quem pensa assim já atraiu a dor para si, a dor do impossível.
Certa vez fui em espetáculo circense , se passou em um hospital de minha cidade, era para ser um dia “especial”, nascimento de uma criança, sinceridade não considero isso lá muito importante e não me venham com esta conversa fiada de pureza, de acreditar no amanhã e coisas do gênero porque em verdade o que fazem é perpetuar o que nós estamos fazendo hoje, neste momento, você acha mesmo que a uma criança trás esperança ao mundo?Também acho, aquelas que são devoradas por corvos na África por exemplo,por causa da fome,bem os corvos estão satisfeitos!Mas esta contado do dito nascimento,quando vi a pobre mulher semi-nua deitada na mesa cirúrgica e uma turba ensandecida a beira do vidro que separava o publico do espetáculo, se acotovelando para ver o novo rebento,fui empurrado, amassado até xingado e tudo isso com algaravia e espocar de flashes para não perderem nem um segundo do momento “especial”, nasceu, e me perdoem as mães(melhor, não me perdoem porque é pura verdade) mas nenhuma criança no mundo recém nascida é bonita ou bonitinha ou parecida com este o ou aquele ou tem a boca deste ou daquele, na verdade parecem um velho cansado de longa e extenuante viagem, mas o costume e a tradição e a necessidade de auto- salvação impelem a estes ridículos comentários naturalmente levados pelas rasas emoções do momento, quando a criança saiu do ventre da dilatada e enorme mãe,esta foi esquecida “literalmente”,só rindo,a mãe sangrando, passando mal,vomitando, e todos sorrindo para o rebento! Momento especial? Confesso que já vi arrancadas de veículos preparados que me deram mais frisson nas entranhas que aquele bizarro espetáculo de horrores, humor negro com toda certeza,confesso que por dentro eu ria.Ainda bem que ninguém perguntou o que eu achei! Me neguei a olhar deixei os compactuavam da aquela especialidade tomarem conta do espetáculo.
Interrupção.
Estamos fazendo isso o tempo todo, e toda a beleza se vai pelo esgoto, toda a essência é perdida sempre e ficamos com aquela feição bovina de culpa eterna, fazendo os ingentes esforços para compensar o que é morto,a eterna viúva traidora que chora a beira do ataúde!Drama de consciência?
O que é mais importante agora?
Responda você mesmo, mas por favor,não seja mais um que perde a preciosidade do agora, o que se perde agora é irrecuperável,nenhuma dor de consciência pode lhe dar a absolvição, este é o crime e naturalmente este é o castigo também!
Aos que se perdem de si mesmos, aos que choram arrependidos,e a todos os momentos que o vento levou!

Fabiano.

sexta-feira, agosto 10, 2007

Eu estou surdo! O que ?

Dizem que com o tempo o natural envelhecimento vem-nos ao encontro, irremediável e inescapável, ao tempo nada e ninguém consegue desviar, rota de colisão que leva-nos gradualmente ao apodrecer daquilo que longe é se ser o Si maior.Bem, essa é nossa comunhão profunda, mas deixemos esse incômodos comentários que lembram muito nossa morte e então vamos adiante, estou ficando surdo!
Creio eu que esta surdez deve-se ao fato de escutar tanta estultice a guisa de conhecimento profundo ou Pop, então a natureza esta sendo bondosa comigo, não estou aqui certamente para respeitar as opiniões alheias que são infelizmente as mais rasas possíveis, é infeliz mas verdadeiro, não venho dos partidários da auto-ajuda,no meu entender quem nos presta maior auto-ajuda é o vaso sanitário em ocasiões especiais, porque o resto é consolo barato que não adiciona um til vida!Talvez mesmo a providencia tenha me dado a maior da justificativas da existência, ou não escuto, sou surdo!
As pessoas não amam o silêncio, porque dentro de si existe uma constante tempestade, no silencio de suas almas teriam de ficar apenas consigo mesmas, e esta convivência pode ser dolorosa e mesmo incomoda, ninguém gosta de estar consigo mesmo, neste instante nos damos conta o quanto somos muito limitados e mesquinhos, e aos bem resolvidos psicologicamente certamente ririam, aos realmente patológico ficariam tristes, absolutamente depressivos, talvez seja esta a maior justificativa para “anarquia” do mundo, tudo é estrondoso, barulhento, gritante mesmo, escutar-se é tarefa do impossível.Isso justifica muitas outras coisas, porque é tão interessante a vida alheia, porque a crucificação é uma diversão de bizarros em um delírio alucinante na vã tentativa de sobreviver.
Então as vozes das pessoas chegam a mim de forma distorcida, veja que maravilha a patologia propicia a sublimidade, porque através das distorções as pessoas aparentam estar falando algo digno, a doença é um beneplácito que galvaniza as agruras da infinita tolice humana, as vozes de você me parecem vindo de abismo, chegam a mim muito baixas, quase nulas,então atentado me chega como elevado, adoentado significa maravilhado, bem mas poucos entendem, eu ainda ouço um pouco agora, a grande maioria das pessoas por se repetirem sempre o que é escutado, seus ouvidos se tornaram embotados, eu não sou escutado.Tranqüilo amigo, surdo e louco eu estaria muito bem classificado,rotulado, pelo resto!
Desta forma realmente não me elevo acima do mundo ou tão pouco da humanidade, simplesmente não preciso suportar o enfado de sua simplória convivência, do humano demasiadamente humano. A evolução é certa e existe naturalmente, e com toda certeza todos temos a mesma essência, somos irmãos de Hitler,Nero, como de Jesus, Francisco de Assis e outros, somos o mesmo hiato que liga o Céu ao Inferno, de que lado você aparentemente gosta de estar ?Bem eu sorrio, porque para bom entendimento é preciso diz um amigo butequeiro que tenho, é preciso eventualmente tomar uma cerveja com o Diabo pela manhã e tarde render graças ao Senhor, o Arquiteto do Universo, e é claro a noite fica para si mesmo, pois afinal é preciso descansar de ambos depois de tal monta!
Por agora amigos, bem vindo ao silêncio, aquele que entende a voz do silêncio sabe que aquilo que realmente é puro e nobre fica inexpresso eternamente e cala nas entranhas de nossa alma!

Aos que falam demais e nada dizem, aos que pouco escutam e aos que nada entendem!

Fraternalmente

Fabiano.
"Imaginar que um cérebro humano possa conceber algo que nunca dantes foi concebido pelo "cérebro universal" é falácia e vaidosa presunção. No melhor dos casos, o primeiro pode apanhar, aqui e ali, perdidos vislumbres do "Pensamento Eterno" depois que este assumiu alguma forma objetiva, quer no Universo visível, quer no invisível."

Estudos Teosoficos.

quarta-feira, agosto 08, 2007

Um baile de Máscaras

Um belo dia, nestes dias comuns da vida, resolvi fazer uma reunião com meus Eus, a fim de saber como eles estavam e assim foi:Sentei-me eu e meus Sete Eus, em primeiro momento um silêncio predominava ninguém queria dizer absolutamente nada, diga-se de passagem um constrangimento que satisfaz a minha alma,um transtorno nervoso e incomodo, então para que não perdermos tempo eu disparei ao ar:Quero saber de vocês como estão, se estão felizes em paz, tranqüilos, afinal como estão?
Meu primeiro eu o Eu prático disse:Estou muito bem,aliás sempre bem,nada tenho a dizer ou me queixar, a vida é simples e objetiva e ponto.Sorri para ele. Então meu segundo Eu, o Debochado disse:Olha eu estou bem ,sempre bem, mas digo isso para ironizar com as pessoas, afinal dificilmente alguém é saudável ou está bem, digo e sorrio no mais profundo de mim mesmo, como poderia ser diferente! Agradeci a ele. Então meu Eu Emocional disse:A vida é maravilhosa oportunidade de aspirarmos a sutis e nobres sentimentos, talvez suavizar a dureza do coração dos homens pela exemplificação plena daquilo que realmente é belo e traduz da melhor forma o que passa na alma do homem.Sorri para meu Eu Emocional, e confesso que o achei meio chato e enfadonho, repleto de sentimentos estudados, soando quase como um hipócrita, sinceridade dele não gostei, faltava algo nele que não consegui determinar, talvez um pouco mais de realidade ou mesmo praticidade, não sorri para ele, apenas resmunguei.
Então meu Eu Mau se manifestou : Atirou-se na cadeira, deu um sorriso sarcástico repleto da mais funda frieza, e disse:nunca vi tamanha perda de tempo, o que vocês desejam?Fazer uma exposição do ridículo que isolados cada um somos?Será que não basta as fraquezas e insegurança pendentes em cada um de nós é necessário esta execração?Nada tenho a dizer porque não compartilho de fraquezas,me alimento de um pouco de cada um de vocês,emoções fracas,pálidas, objetividade,praticidade e outros e vocês dependem de mim.Calou-se e deu uma gargalha que lembra os ares de Satã.Olhei para face de meu Eu Mau, e agradeci, afinal aprecio que tem personalidade, ainda que seja das mais descontroladas, ou mesmo malucas, isso é sempre mais preferível que os “certinhos” que nada tem, nada dão e nada são.Então meu Eu Filosófico ergueu-se como se subisse uma tribuna invisível sorriu a larga boca, e disse:Meus amigos,creio sinceramente que todos aqui estão certos, nada há de errado, cada um de voz cumpre o que precisa cumprir e é chamado a função em tempo hábil e necessário, creio que subliminarmente é isso que nosso amigo Fabiano está tentando dizer,não é necessária a altercação ou mesmo o inflamar de emoções, sejamos ridículos mas com a honra a que cada um tem,se é que tem.
Então meu Eu General, ergueu-se subitamente e em pé, primeiramente agradeceu,e disse, somos feitos de estratégia,e esta estratégia não deve nunca ser repetida pois o suor e sangue de uma batalha são vertidos uma única a cada momento, cada um de voz tem sua especialidade,mas todos aqui estão armados,uns com armas leves, outros mais sofisticados, e outros ainda muito sutis.Um bom militar obedece inquestionavelmente seu líder,eu aprecio o Fabiano e na qualidade de meu superior até aqui não tem havido nem baixas, nem derrotas para mim estou satisfeito e tenho a certeza que cada um aqui irá cumprir o que tem de cumprir, se não eu mesmo me encarrego do castigo, pois fazer sofrer e causar dor é minha especialidade pois muitas vezes é preciso torturar o inimigo,encontrar onde ele sente mais dor e lentamente, as vezes com agulhas ir-lhe minando a inteligência, a tranqüilidade,mas sem pressa, tudo deve ser a fogo brando.Prestou uma continência e sentou-se. Gostei dele muito alias, realmente aquele tinha muito haver comigo. Mas uma personalidade ficou no canto mais escuro da sala, e nada falou, então provoquei-a para ver sua reação, e nada.Calada estava e calada ficou, apenas percebia a sua respiração, profunda,não o sorria,nem estava triste, apenas normal.Decidi deixá-lo em paz.
Então disse aos meus Eus, folgo em saber que todos estão saudáveis e afiados, agora afastem-se de mim, porque por agora nenhum de vocês me é necessário.E foram saindo um a um, ficando apenas o Eu misterioso, então ele me disse, eu não posso sair, quando então eu perguntei porque, ele apenas me abraçou e sumiu, evaporando-se no ar.
Calei e entendi, ele é a chave que prende todas a mim e nenhuma em mim,ser tudo ou nada é ser absoluto.

Fraternalmente.

Luís Fabiano.
"É sobre a serena, plácida e não encapelada superfície da mente que as visões colhidas do invisível encontram representação neste mundo visível. De outro modo, em vão buscareis essas visões, esses lampejos de luz súbita que vos ajudaram a resolver tantos dos problemas menores, e os únicos que podem trazer a Verdade aos olhos da alma. Devemos conservar com zeloso cuidado a placidez de nossa mente no meio de todas as influências adversas que diariamente surgem em nossa passagem na vida terrena."

Os Mestres

terça-feira, agosto 07, 2007

Crer e confiar

Crer em algo é o atestado profundo de ignorância, porque a crença em si é absolutamente cega, crer é imaginar que se utilizarmos tais ou quais tradições, procedimentos o êxito é alcançado, bem isso não é uma verdade e nem meia verdade, porque existem outros fatores influentes, todos dizem que crêem em vida em outros planetas, mas crer não é cientifico, pode ser as vezes intuitivo mas aí amigos andamos por outros caminhos, e começamos a nos aproximar da confiança.
Confiar é entender as sutis leis da vida, interpretá-las corretamente e através de calculo de probabilidades reais chegar-se a um resultado verdadeiro esse é o terreno da confiança, é como alguém ao longo de uma vida crer que se católico irá salvar sua alma e ponto final, porque isso?Porque a tradição assim afirmou, digo algo a vocês meus amigos, derramem toda a sua bílis sobre as capengas,cegas e formas deformadas da tradição, fabrica de homens mesquinhos e cegos.
Aprenda antes sim a ver por você mesmo, tire as tuas próprias conclusões, este é o sacrifício amigos, não busque respostas carinhosas, consoladoras, salvadoras, porque isso não é a verdade de forma alguma, isso é apenas maquiagem, não creia porque alguém lhe falou que funciona ou porque sempre foi assim, pegue todas as regras de certo e errado e questione, questione a exaustão até que isso faça sentido, algum sentido para você.Ironia, e hipocrisia escrita, você acredita em Deus?No Altíssimo?Bem se você “crê” nele certamente também crê no Diabo, porque afinal de um termina onde começa os interesses do outro! Isso é muito curioso, as pessoas acreditam em Deus, sabem que são “filhos” dele mas isso é apenas para os duros momentos da vida, afinal as pessoas precisam de consolo, precisam ser salvas, então amigos Deus é um bom objeto, talvez um crucifixo que usamos quando o coisa fica feia!Você não crê em Deus, você usa ele quando é conveniente, afinal se nem Deus te ajudar você teria que se superar-se, muito mais ao limite de si, nunca chegamos a isso, fazemos nossas preces e esperamos o cortejo angélico chegar, você não ousa questionar se Deus existe?É talvez não seja hora de fazer inimigos!Esse é o mal da crença deixa embotado os sentidos, e a verdade é perdida completamente, você nem sabe se Deus existe porque não sente ele nem em você nem no próximo nem em nada!Prefere encantar-se com a mesquinharias da vida, é claro quanto tudo anda bem, porque na dor Deus da um jeito.
Pode dizer que crê em Deus se você não o sente?Se você não o vê?Se você não fala com e nem o escuta? Diga-me agora mesmo, onde ele está? No céu?No inferno? Pense.
Errado amigo, ele esta aqui agora, neste segundo, em você, em mim e em toda parte, não creio nisso de forma alguma, eu confio porque sei, por tudo que aprendi e sinto, ele chora comigo, sorri comigo e me fala não de consolos, mas de verdades, verdades que libertam de toda dor, o consolo é o curativo para ferida aberta, a verdade é a chave para não ferir-se, temos milhares de feridas, e outras serão abertas se nada entendermos e aprendermos, não há consolo, não há curativos eternos, a libertação é possível, comece a libertar-se hoje.


Aos cativos de alma, aprisionados das emoções e cegos da verdade!

segunda-feira, agosto 06, 2007

Pensar e entender


"...uma pessoa de entendimento é verdadeira.Mesmo que ela disser:"Eu não sei", sua ignorancia é mais valiosa do que o conhecimento da mente, porque pelo menos sua ignorância, sua aceitação da ignorância, esta proxima da verdade.Pelo menos não está tentando fingir, ela não é hipócrita
Observer e perceberá que todas as suas respostas vêm da sua memória.Então, tente encontrar o lugar onde a memória não funciona e a pura consciencia funciona.Entendimento é isso."
Ouvi:
O médico entrou no quarto do paciente.Cinco minutos depois ele saiu e pediu ao marido da paciente um saca-rolhas e então voltou para o quarto.Depois de cinco minutos, saiu mais uma vez e pediu um formão e um martelo.
O atormentado marido não pode aguentar mais e implorou:Pelo amor de Deus doutor, o que há de errado com a minha esposa?"
"Ainda não sei", respondeu o médico, "não consigo abrir minha maleta."

Osho - Inteligencia a resposta Criativa ao Agora.
"Quando lagrimas fustigam o peito,
Quando dores laceram a alma,
Um sentido muda, talvez dois...
Tudo fica simples e cala fundo, de uma fuga impossível talvez,
Corrida ingrata e desesperada.
Então cansada, tombas ao solo,não é morte, é vida, entrega!
E então rendida sorris, o peito já não dói mais
Um segundo de paz a custo de anos de dissabores, infindáveis.
Acabou, um silencio preenche tudo, calma e paz agora.
A quietude após a guerra,breve armistício "
Luís Fabiano