Pesquisar este blog

sexta-feira, julho 31, 2009



O amor é um suspiro!

As expressões iniciais de amor em uma relação são algo realmente interessante, são repletas de uma profunda ilusão infantil, pueril mesmo, de uma espécie de eternidade ideal e inalterabilidade daquelas emoções iniciais, então vemos casais de toda sorte e todos os sexos manifestando aquele carinho, usando expressões doces e quase infantis para dar vazão ao que sentem, com a total certeza que nada se alterará no andar da carruagem. A beleza disto é que é verdadeiro o pensar e o sentir, ao menos de nossa intenção inicial, porem isso não quer dizer que seja inalterável, me digam o que é inalterável na vida?
Absolutamente nada.
Com toda a autoridade que me é outorgada pela experiência vasta, posso falar disso, amei varias vezes, me apaixonei uma dezena pelo menos, fiz juras de amor eterno um numero incontável, e diga-se de passagem falo com o coração, tudo foi muito importante e verdadeiro, acrescentou muito ao meu ser, me lapidou em alguns momentos, afinal a vida não é uma obra acabada e perfeita, é uma eterna construção, e se de inicio o amor é repleto de inocência, se ele “vale” a pena, ele metamorfoseia-se em algo maior,melhor,depurado, uma amizade sem peias, um carinho sem mãos, um beijo sem lábios, um passo além do cárcere de palavras que invariavelmente o vento leva.Enquanto tive amor, amei feito louco, sorvi prazer interminável, e beijei sentimentos com meus sentimentos, como se o vento da primavera levasse para longe o aroma de doces encantos.
Mas é preciso ir alem, nem tudo é assim tão certinho, e esse era o caso de Adriele, nossa ilustre personagem, alma boa e coração gentil, porem profundamente apaixonada, amando possivelmente, pois o tropismo de sua vida era Zelão, tudo era Zelão, homem sem muitos princípios, de aspecto primitivo e feio segundo os padrões eleitos para homem, mas o amor é assim as vezes, torna cego, surdo e mudo diante dos fatos mais bizarros.já vi homens fazerem verdadeiras besteiras em sua vida em nome deste ” amor”, cuidado com esta palavra, e vi também mulheres literalmente perderem a cabeça e outras partes do corpo, sem querer ser grosseiro, em nome da nobreza de tal sentimento, tanto homem como mulher dando prova que, o amor precisa de manual!
Adriele, falava o tempo todo com Zelão, sim, mesmo quando ele não estava presente(Zelão poderia passar como se fosse um espírito ao lado de Adriele), Zelão era mais que o significado de sua vida( esse é o primeiro erro...), enquanto o Zelão em si gostava dela de forma carinhosa e ardente em sua paixão primitiva, o corpo de Adriele para ele era o templo do prazer, adorava mulher mignon, e ela representava isso, mas em sua grosseria, vivia dizendo não, aos diversos pedidos de Adriele. Mas por agora nos esqueçamos de Zelão, nos fixemos em Adriele, a típica mulher excessivamente apaixonada(mulheres que amam demais?) e que por isso mesmo converte-se em uma chata, era o caso fatal dela, quando alguém faz isso, transforma algo ordinário em uma espécie de semi-deus de sua vida, um monstro tem nascimento, é parido das entradas da ignorância, e o que deveria ser um movimento natural,converte-se quase em uma insanidade, temporária, conheço um terapeuta que diz que a paixão é uma espécie de insanidade temporária, ele é bom!
Mas claro um dia o exagero converte-se, por sua própria maneira em algo esdrúxulo, então Adriele, sempre suspirava o nome de Zelão quase um gemido:” como eu te amo Zelão”, onde quer que fosse, logicamente as pessoas já pensavam que ela era meio abobada, porque isso por assim dizer não muito comum, nos dias de não ?Estou errado?
Num dia desses comuns de inverno, Adriele verdadeiramente extrapolou limites, sentada no vaso sanitário, com uma prisão de ventre daquelas, fazia força, alias muita força, e então com uma dificuldade tremenda, um pequeno flato saiu de si e claro quando estava no auge da força, ela suspirava dizendo “Zelão, como eu te amo...” a voz tremida e grave por causa da força ,” Zeeeelaaaõoo, como eu te amo...”, vocês já fizeram força no banheiro não ?Pois é então imaginem a cena...
É, no caso de Adriele, essa é a autentica força do amor, the Power of Love!!

Os- é claro e inegável a beleza do amor, digo e repito, tudo em nossa vida pode tornar-se um abismo, conotações a parte, quando algo é belo, mais cuidado se deve ter.

Paz profunda a todos.

Luís Fabiano.

PÉROLA DO DIA:


"O reverso da disposição de lutar contra a maré montante do amor-próprio, na busca do conhecimento é a capitulação da mente que se entrega e se deixa levar pela doce vazante do auto-engano. Quando as águas profundas se agitam e desgovernam, a lógica naufraga e o intelecto, por mais formidável que seja, vira joguete na correnteza do acreditar."


Eduardo Giannetti


quinta-feira, julho 30, 2009



Ecos do Silêncio


Ontem eu te vi
teu rosto, que o tempo lentamente apagou em mim,
Rastros da lembrança
cujo o sentindo difuso e etéreo
Confunde-se, entre o ideal e as serenas ilusões que nos fazem bem.
Lentamente, as palavras,
dardos repletos de mágoa,
dor invencível e tempestade sem fim
Mas a natureza,
mãe sábia, afaga a ferida aberta, e o doce olhar amansa onde tudo é dor.
No meu utópico querer,
pudesse o silencio fazer entender, o que clama dolente coração
Mas não,
a algaravia estridente,
desespero e ninho quebrado
Do fim, da humilhação ao querer,
levado pelo vento aos confins, o mais longe possível..vá..
Deixe-me, eu e minha dor a sós...mas não.
Tempo amigo fiel,
converte-se em inimigo agudo,
agrilhoando a mente, comprimindo o coração
Recém nascido, de amor dor que não cala.
Porque o é preciso açoitar o filhote?
Talvez tua dor seja ensurdecida, pela dor alheia?
Onde deveria quietude e comunhão, ser a digna manifestação de nosso querer.
Não.
Apenas, o eco de nada.

Paz profunda a todos.

Luis Fabiano.

quarta-feira, julho 29, 2009



Conto do anel dourado.

Certa feita disse aqui no blog em uma pérola do dia, que tudo em nossa vida pode tornar-se um abismo, lembro que alguém comentou alguma besteira referente, que talvez as coisas não sejam bem assim tal e tal...bem, como sempre é praxe, eu faço um sorriso amarelo, porque as mais das vezes realmente não vale a pena externar ferinas opiniões que não levam a nada, pois ninguém convence ninguém. Mas a verdade, que o ser humano tem o dom inspirado de complicar até mesmo um simples flato, um detalhe, e bem, tudo pode terminar em uma tremenda cagada!
Foi mais ou menos o que aconteceu com uma sueca, que tem o nome de Bárbara, e devido a sua aparência terminou ganhando o apelido de Barbie, não preciso dizer que ela, loira, alta, seios fartos, longos cabelos dourados até o meio das costas, olhos esmeraldinos e largo sorriso de vencedora, e claro como diria Nelson Rodrigues, uma verdadeira saúde de vaca premiada, tudo isso por si só deveria ser algo notável, e de certa forma porem, nunca se engane com as meras e fúteis aparências, aproxime-se, veja de perto toda as belezas e sem parecer um critico falido, apenas observe, mesmo a Monalisa esta algo desgastada. Mesmo com todo o dinheiro e alguma notoriedade que Barbara tinha, aquilo não lhe bastava,faltava algo, queria a fama e ser conhecida de alguma forma queria...
Numa destas brincadeiras bestas, de gravar o sexo com o namorado em uma câmera digital, aconteceu que a tal gravação parou na internet em um site de vídeos bem conhecido, e o que era para ser em primeiro momento algo vexatório, tornou-se algo prazeroso, Barbara viu o numero de acessos, os seus lindo olhos verdes brilharam, fora como se tivesse descoberto o arco-íris, sim era isso, porque não houvera pensando nisso antes? Nada mais atual e por assim dizer fácil, ela se transformaria em uma estrela do filme adulto, e com vasto sorriso estrelou sua obras de arte do entretenimento.
Vocês certamente pensarão que, até aqui nada demais, uma linda mulher “apostando” em seu novo destino repleto de prazer de todas formas, e com todos os sexos e todos os egos, prazer é isso, como um pênis que se ergue em forma de clava do poder, Barbara estava verdadeiramente nas nuvens, os filmes iam acontecendo e ela já ganhara agora um premio por meio das suas atuações magníficas, todos eram só elogios a sua performance e claro, as formas maravilhosas de seu corpo, a quem isso por si só basta!
Tudo ia bem demais, até que um dia um excelente diretor de tais filmes, pediu para ela ficasse de quatro, pois ele precisava analisar o ângulo dela em determinada cena muito importante e decisiva para o filme, todo o elenco estava sem roupa naturalmente, quando a bela loira ficou na posição certa, o diretor parou tudo, num desse ataques psicóticos, com voz algo fina disse:
-Eu, não acredito no que eu estou vendo...não é verdade..é impossível...
Todos entre olharam-se com cara atônita, olhar bestial de quem não esta entendendo nada, então Pierre o diretor, falou novamente: “Barbara,assim como tu estas não poderás participar do nosso elenco,é...” a esta altura Barbie rubra, mais vermelha que uma pimenta, ou outra hortaliça qualquer, perguntou com olhos esbugalhados: “Mas Pierreeee, porque ? Que eu fiz?”
Ele apenas apontou com o dedo para o anal da moça e ainda disse: “Vejam isso ?” Todos olharam para a “rodinha” da moça, como se fosse um microscópio,olharam, olharam..e nada.
Então Pierre já descontrolado fala eufemicamente:
-Gente, o cú dela é preto ? Vocês não viram? Olha, ela é toda clarinha, todinha...mas o cú...nossa, é escuro aí não dá, ela é boa atriz, mas com o anal assim, tão escuro não dá...vai estragar a cena toda! Esta cena vexatória, bem não era para menos, para que a cena fosse grandiosa era preciso que o “anel” de Barbara fosse diamantino!
Dias passaram, e Barbara vendo sua carreira seriamente comprometida, foi procurar com muita tristeza na alma, um cirurgião plástico, pois sabia que existiam métodos de clareamento da pele( por favor, nada haver com Michael...deixemos ele descansar...).
O Dr Hollywood sugeriu um clareamento anal feito a laser, a ultima técnica em clareamento de pele. Mas cabe dizer que Barbara, depois do episódio com o Pierre, ela teve um processo depressivo grave,tentativas de suicídio,remédios diversos, pois percebera que não era tão perfeita como ela própria havia idealizado, seu mundo ruíra por causa de seu anal, sentia-se como se tivesse uma ferida moral exposta ao mundo(não muito exposta afinal, poucas pessoas vêem aquela rodinha escura, que de alguma forma todos tempos, a autentica eminência parda de Huxley!!)
Com o clareamento anal, Barbara saiu da depressão e sua vida e estima tomaram novo e maravilhoso sentindo, porem o Dr disse que o seu anelzinho não iria ficar cor da pele, ele ficaria ainda um pouquinho escurinho, mas não havia mais o que fazer, se aplicasse mais laser, a pele do anus iria ficar muito e fina, a ponto de ficar quase em carne viva e outras tantas conseqüências!
Barbara nunca mais foi a mesma, aquela mancha escura tornara seu céu, um dia cinzento de inverno, e em seu cérebro as palavras de Pierre ecoavam: Vocês não estão vendo? O cú dela é escuro...”
Então não é como eu digo ?
Qualquer coisa em nossa vida pode tornar-se um abismo, e as vezes profundo tão vindo do baixo ventre.

As vezes as coisas fazem caminhos estranhos.

Paz profunda a todos.
Luis Fabiano.

ps- apenas para constar, tal conto foi inspirado em algo real, que assiste o Dr Hollywood, vai descobrir muitas outras coisas semelhantes, o importante é que Barbara ficou feliz e finalmente seu anal ficou mais claro que o luar sobre a lagoa.

terça-feira, julho 28, 2009


Pérola do dia:


"Quando choramos, nossas lágrimas caem no coração da Vida, como caem
gotas de orvalho dos olhos da Noite no coração da Aurora."

Kahlil Gibran - Obra Segredos do Coração.


segunda-feira, julho 27, 2009


Um lamento...


Tudo que posso te dizer meu bem, é que lamento...

lamento as circunstancias que converteram teus sentimentos nobres e belos,em um ser que não esta a altura deles,que desconhece emoções que durem..
Sim lamento...
Lamento transformar as belezas de tuas emoções, e as converter em altar para sacrifícios, imolando ,por vezes a ternura,
a fraternidade e a tua singular e doce natureza.
Pudera ter a mão do destino,
e com o vento fazer bater em retirada
os pássaros cativos de teu amor, e que liberta pudesses voar,
livre, leve e suavemente
para o alto, buscando o infindo...
Quisera romper tais cadeias e te fazer livre,
livre de mim, de ti e de todos os infortúnios que comprimem teu coração,
juro-te, se em minhas mãos tivesse,
com toda certeza o faria,
e dar-te-ia de presente a serenidade da alma,
e o sorriso das flores.
Mas por hoje, apenas lamento...
Arrancaria a dor do teu coração, e colocaria no meu.
E tão sutil quanto um olhar de carinho,
que consola a alma sem que os corpos aproximem-se,
encena uma poesia doce e serena,
repleta de luz e pureza.

Fiquem em paz
E com meu lamento.

Luís Fabiano.

domingo, julho 26, 2009


SEXO COM AMOR ?


O filme trata essencialmente de problemas ligados a afetividade e esta com uma vinculação sexual dramática, o filme deixa claro que afetividade entre o casal sem sexo, é belo porem surreal, e que o sexo termina por vencer os bloqueios ocultos de cada um, ao seu jeito e sua forma, o plano ideal é sempre ideal( e nem tudo se resume a amorzinho gostoso só!), em termos práticos e vivenciais, por vezes é preciso muito pouca coisa para uma suposta traição, isso como o filme mostra.
Tem de todas as manifestações de nossa sociedade, o cara sacana, a mulher entediada, o cara certinho que não quer trair, porem a sobrinha de sua mulher fica dando mole e ai...
Assim fica claro que cada casal deve achar o seu ponto limite(emocional e sexual,explorar fronteiras...) com sinceridade, não limitar-se intimamente, porque sempre procuramos uma compensação para aquilo que nos aflige, e nem o resultado é dos melhores,e a culpa se é que se pode assim dizer, é um elemento flutuante neste caso, as vezes o traído é o verdadeiro algoz.
Papeis notáveis de Wilker e Marília Gabriela.


Sexo com amor?
Sinopse:
Três crianças são flagradas na escola com um livro erótico. Seus pais são chamados pela direção para discutir o problema. Durante a reunião, vêm à tona os problemas amorosos e sexuais desses três casais, como falta de desejo, traição, amor, paixão, insegurança, paixões ocultas e provocações.

http://www.youtube.com/watch?v=hc6-vVk1YJw

sexta-feira, julho 24, 2009


Pérola:

"Sou imoral, devasso, depravado, se você preferir, mas pago meus impostos e estou em situação legal."


Oscar Maroni.



A morte, é apenas um pretexto.

O ser humano consegue dramatizar as coisas mais absurdas, e consegue superar-se no entendimento da própria idiotice, mesmo nos momentos mais graves de sua vida, as vezes um acontecimento trágico é catalisador da manifestação do ridículo original,é hora que o homem apresenta a sua face, inescapável isso me faz lembrar do direito que cada ser humano tem de ser um idiota,mas nem sempre, entendido ?
A morte deveria ser o momento que homem, vestir-se-ia não só da roupa de morrer, mas também de toda honra e demais virtudes que muitas vezes lhe faltaram em vida, a morte da uma espécie de “premiação”, bônus moral que ante a visão dos que ficam na Terra, converte-se o morto em ser angélico, com passagem direta para o céu ?É, aprendi desde muito cedo que não se fala mal dos mortos, e depois com o tempo me esclareci que não adianta nada, mortos, vivos no meio do caminho, todos somos o que somos e nada, absolutamente nada é capaz de abrandar a realidade, mas é preciso flexionar até com os que partem, a mentira serve de consolo por um breve momento, a culpa e outros sentimentos não resolvidos, magoas, feridas abertas, bem, tudo vai para o túmulo, numa espécie de ponto final inacabado!
Mas, voltando ao nosso ridículo original, quando o cortejo chegou na câmara mortuária, alguns poucos parentes da viúva estavam lá, o corpo ainda quente e bem vestido, foi colocado no centro da sala, com as pompas fúnebres e reverencia de acordo com o bolso da viúva, Agenor merecia sem duvidas, era bom pai, ótimo marido, trabalhador respeitável, pessoa de índole e moral irrepreensíveis, todos achavam uma injustiça Deus tê-lo chamado tão cedo para perto de si, era injusto, sim Agenor tivera um mal súbito, uma forte dor aguda no peito e quando chegou ao hospital, já era tarde demais, o coração generoso de Agenor deixara de bater, órgão ingrato com alguém tão bom, diziam uns.
A sala começava a ficar estreita diante de tantas flores, de tantas pessoas que vinham dar o ultimo adeus a Agenor, e todos iam ficando por ali, admirando o cortejo volumoso que crescia hora a hora!
Quando deu entrada uma senhora, mulher madura mas de beleza inigualável, morena vestia um discreto vestido preto de revelava um pouco as curvas generosa de seu corpo, óculos escuros, e uma expressão de uma tristeza inigualável,(estava mais triste que a viúva) entra, cumprimenta a todos com extrema educação,da pêsames a viúva, que envolvida na sua própria tristeza,não se percebia muito de todas as pessoas que lá estavam, mas a verdade que ninguém conhecia a tal linda mulher de preto, e diga-se de passagem, era muito mais bonita que a viúva!
Senta-se a dama de preto e fica em silencio triste e respeitoso, lentamente começa uma conversa cochichada, sobre a nobre desconhecida dama, até que chega aos ouvidos da viúva, e como que se acordasse de um transe feito de tristezas e lembranças, presta atenção na nobre mulher de preto! É o que eu digo, o morto ali, e a viúva começava a duvidar da então ilibada moral de seu marido, os filhos olhavam para a mulher de preto como uma espécie de horror colérico, quem era aquela mulher afinal? Porque ninguém a conhecida das relações de pai e marido? A viúva dá-se conta que ela era linda, elegante, e na sua memória agora em agonia e insegurança, fantasmas se desenhavam, lembrava dos cansaços eternos de seu marido, da sua ausência de desejos por ela, então talvez aquela mulher fosse a causa de tudo isso? Será? Imediatamente o marido tão honesto, bom, ilibado quase angélico, começava a perder o brilho e auréola, ela olhou para cara do morto no esquife, e por um breve momento teve a impressão que ele sorria para a mulher de preto! Tornava-se agora um cretino em seus piores pensamentos.
A dama de preto, chorava discretamente, choro sentindo e silencioso, dor de amor perdido, de flor que morre, do que se perde pra sempre e fadado ao pó, porcelana suja. Um detalhe muda tudo, tudo naquele instante de realidade tão inegável e mortal, ficava visível, Agenor, era um ser humano comum, tinha falhas, mas Agenor agora não era mais importante, mas aquela mulher ali, era tudo que ele sempre idealizara, e ficara oculta por quanto tempo? Então, ela a viúva vivera uma vida que foi se não uma ilusão a sombra de um ideal? A tristeza agora não era mais por Agenor morto, mas que a sua vida perfeita fora um conto de fadas, e Agenor levava para o tumulo parte dela que fora a sua vida!
A bela moça de preto, percebendo olhares inconveniente e aquela conversinha lateral, acha melhor ir embora ,mas antes de sair chega perto do cadáver de Agenor e fala-lhe algo ao ouvido, enxuga duas cristalinas lagrimas, e sai lentamente, discretamente.
A viúva tinha certeza, Agenor levaria para o tumulo as ultimas palavras daquela lhe segredou, e ela a viuva nada tinha a dizer, deu-se conta que em verdade era viúva a muito tempo quanto tempo ?E que a morte de Agenor fora apenas um pretexto funesto, sentia-se diminuída em seus valores, e um ato estranho saiu caminhando a esmo...e todos a lhe acudiram e diziam:
-É a tristeza..é a tristeza...
E ao longe e muito longe, ouvia-se o salto alto da bela dama de preto.


ps- eu já fui a muitos enterros, e confesso que sempre acontece alguma coisa(presto muito atenção) estranha, mas a hora da morte tem este dom, de fazer com que as pessoas apresentem situações que terminam por tirar um pouco a atenção do morto, onde as vezes pequenas diferenças aparecem fui num enterro, que um dos convidados contava piadas bem baixinho ao ouvido das pessoas, que não queriam rir,mas discretamente riam...mesmo no enterro do meu pai, situações estranhas aconteceram,mas eu relatarei em outro momento adequado, é as vezes a morte parece uma piada de mau gosto!


Paz profunda a todos.

Luís Fabiano.


Pérola fotografica:




Esta provado definitivamente o poder da Bunda!


A foto não espanta de forma alguma, pelo olhar levemente malicioso de Obama e o riso sardonico de Sarkozy, mas vamos dar o braço a torcer, aquela bunda é bem elegante não ?
Seja você quem for, absolutamente todos se rendem diante da beleza nadegal...
Eu ia escrever um texto,mas desisti, por essa é autentica imagem que vale por mil palavras.

Fraternalmente.


Fabiano.

Pérola baça:

“As notíciais jornalísticas de todos os meios, servem primeiro para controlar e servir o sistema, e secundariamente informar mais ou menos as pessoas “comum”.”

Fabiano.

quinta-feira, julho 23, 2009



Estava lendo esta magnífica obra de meu amigo Magalhães, sensacional,não resisti a coloca-lá no blog, pois a identificação é espontânea em muitos níveis com o blog, apreciem sem moderação:


“... vitima da involuntária sensação de onipresença; apesar da tardia hora moleques mal-ajambrados brincam nas adjacências e fazem companhia aos hediondos animais,e varias mulheres,fastidiosamente conversam sentadas nos portais dos prédios,e de quando em quando espouca uma ou outra gargalhada, e o riso histérico se perde entre os casarões envelhecidos, e há muito carentes de altivez;ele entra no hotel e logo, vê a um canto um balcão de madeira, atrás do qual esta gorda mulher, seios a mostra, folheando distraidamente um exemplar de revista pornô, e a megera ergue os olhos de sapo(cuja cor ele não consegue definir),que coaxa algo ininteligível ;há suspicácia nas pupilas dilatadas;olha-o firmemente, reforçando a desconfiança; que pensamentos engendrariam a mente dessa tipa asquerosa, pensa ele, e com vontade de apertar esse pescoço gordo, suarento,onde há enorme e preta verruga; que falta ela fará á humanidade? “ Desembucha,nanico!” exclama ela, e ao ouvir o coaxo da puta sente de imediato a velha e tradicional ulcera lhe dilacerando o estomago, e ele quis ser um rolo compressor e passar por cima desse corpanzil cheio de gases, e transformá-lo em papel higiênico, papel, alias que limparia as bastardas bundas que infestam o planeta. A gorda ergue a sobrancelha esquerda e reforça o azedume, guardando mecanicamente a revista debaixo do balcão; depois fica a espreita, morta-viva lhe desafiando; “ És tira?”, indaga ela tamborilando grossos dedos sobre o sujo tampo do balcão, e ele fica ainda mais serio,totalmente petrificado, e ela cada vez mais inquieta; “Se és tira vai dando o fora daqui,nanico...Ta tudo limpo no hotel, se que sabe...” “ Não sou tira, não...Só quero uma mulher...”;”Ah, o diminuto ta procurando sarna?”; “É ,quero trepar...” “ E eu sirvo?” e o serve brota impensado , e quando ele se da conta a gorda sai de trás do apodrecido balcão, volumosa bunda sacudindo, sorriso retorcendo os pusilânimes lábios, e o enlaça, carregando-o corredor adentro, corredor escuro, tênue lâmpada esparramando pelas paredes e chão pálida luminosidade,e de súbito se dentro de um abafado quarto com uma pequena e cerrada janela, cheiro de suor e urina, e a um canto há desarrumada cama,lençóis manchados,e entre os quais enorme e gorda barata caminhando apressadamente;” Ta aqui nosso ninho, fofura,!”grasna a gorda,e antes que ele fosse vomitar a mulher lhe tapa a boca com aguaxado beijo ,e sua mão suada,firme, libera encolhido membro,e ele não consegue evocar a imagem da desconhecida,e fica a mercê da mulher ouvindo de quando em quando em estridentes gargalhadas,e talvez longínquos pardais aos chilros, quem sabe também o badalo de sino numa noite de aflito silencio..."

Dois textos Marginais - Manoel Magalhães.

quarta-feira, julho 22, 2009



Dia do amigo?

Devo estar ficando caquético, mentecapto, e a razão deve estar abandonando a minha sanidade mental, porque o dia do amigo deveria ser todos os dias,simples, mas existe uma fria necessidade comercial, que não é muito amiga de nossos bolsos, ou então abre espaços para que “amigos”, entupam nossas caixas de email com aquelas mensagenzinhas, chatas, repletas de elogios, com citações de qualidades que não possuímos, e que por educação,dizemos que gostamos, que achamos interessante, que é bom etc..etc... Sinceridade isso? Uma resposta limpa emoldurada na etiqueta?
É preciso ter boa intenção para olhar tal questão ?
Ser amigo, do dia do amigo ? Tudo bem, tentarei não ser mordaz e de uma ironia acida, e olhar a questão sem os agravos de um olhar ferino(porem verdadeiro), o contra ponto de tal abordagem é que eu me tornarei uma dessas mensagens prontas, que vão direto para o teu email no dia do amigo! Ler algo sem gosto ou tempero faz bem? Não soa muito como uma perda de tempo? É, as vezes amigos nos fazem perder tempo, paciência, dinheiro e mulheres e outras tantas coisas que não valem a pena citar...
É estranho quando penso nisso, sempre lembro tive e tenho alguns poucos amigos, e pouquíssimos verdadeiros, sempre fico preocupado quando alguém me diz que tem dezenas de amigos, a natureza nos ensina que isso não é lá muito verdadeiro, pois é da natureza humana eleger os afins, cuja a confidencia é selada mais por aquilo que não se diz verbalmente, e existe uma intimidade silenciosa, um entendimento sem palavras, a verdade que é não temos isso com todas as pessoas que se dizem ou são nossos amigos, mas alguns poucos.
Mas tudo vira festa, afinal a causa primordial para o dia do amigo é um fato que engloba a humanidade, e curiosamente um senhor argentino que instituiu este dia, quando o homem pisou na lua, e disse a célebre frase, Armstrong desceu da Apollo 11 e disse;"..o pequeno passo para um homem ,e um grande passo para a humanidade". Bem neste dia toda a humanidade, de olhos fitos na lua celebraria nesta identificação universalista, um elo de ligação entre todos os povos do mundo. É bonito não é ?
Tudo bem a idéia é boa, a intenção também, porem é preciso que se diga, que tal ato é funciona a guisa de rito de passagem bem tribal alias, uma boa lembrança catalisadora de emoções, então em respeito de intenções, talvez seja algo positivo! Tenho um grande amigo, e falo desta cumplicidade em particular, não falo com ele todos os dias, por vezes ficamos meses afastados, nossa convivência é respeitosa e intima, e quando tornamos a nos reencontrar, todo o pensamento e emoção estão intactos, numa reciprocidade harmônica, nossa relação vai alem de dias, meses ou anos,atemporal, não preciso cumprimentá-lo pelo dia do amigo, por vezes nem felicitamos pelo aniversário, já aprendemos que a importância de nossa amizade é muito mais relevante, que as típicas abobrinhas humanas, repletas de convencionalidades, que os “amigos” cobram! Uma amizade que cobra? Soa meio estranho não?
Mas talvez eu queira uma patamar, em termos de amizade que não é possível a todos, bem as vezes não é mesmo, pois como sabemos todos nós temos nossas chatices e inconvenientes, somos frágeis e fraturados, e nem o nosso pobre amigo precisa aturar isso, não é mesmo? Se por um lado o “verdadeiro” amigo precisa lembrar-se do seu amigo, e suas datas especiais e etc...etc..., por outra o “amigo”, precisa aprender a perdoar a falha de um amigo desatento e outras tantas falhas inominaveis.
O dia é relevante, mas não caiamos na santa inocência de imaginar que não ocorrem distorções, tudo que é mais ou menos humano ,é ligeiramente distorcido, de apreciação ao ato histórico humano na celebração da “conquista” da Lua, a lembrança de presentinhos e emails feitos de mensagens prontas, copiadas a exaustão entupindo o computador, existe uma longa distancia fatal, e tenho certeza que muitos nem sabem que é Armstrong !
Existem coisas que são tão mais belas no silencio, talvez a luz perene do luar.

Fraternalmente a meus amigos, e porque não aos inimigos também,somos todos equânimes na desgraça!

Luis Fabiano.

segunda-feira, julho 20, 2009


Poder da Criação
Diogo Nogueira
Composição: João Nogueira e Paulo César Pinheiro


Não, ninguém faz samba só porque prefere
Força nenhuma no mundo interfere
Sobre o poder da criação
Não, não precisa se estar nem feliz, nem aflito
Nem se refugiar em lugar mais bonito
Em busca da inspiração
Não, ela é uma luz que chega de repente
Com a rapidez de uma estrela cadente
Que acende a mente e o coração
É, faz pensar que existe uma força maior que nos Guia
Que está no ar,
Bem no meio da noite ou no claro do dia
Chega a nos angustiar
E o poeta se deixa levar por essa magia
E um verso vem vindo e vem vindo uma melodia
E o povo começa a cantar, lá laiáLá, lalaía, laiá

Este rapaz que de talento raro herdado do Pai João Nogueira, faz-se cada vez mais notório e de surpreendente sucesso, como vocês já sabem, minha natureza inglesa não gosta de samba ou mesmo dança tal ritmo, mas o meu pensar rende-se ao que é talento, e ao que é belo, e Diogo Nogueira representa isso. Esta musica Poder da Criação, feita por seu pai, foi o ponta pé inicial no show de Bete Carvalho, para esta triunfal carreira de, a musica é linda, fala da transcendência de criar, elevando os momentos por vezes ordinários a magnitude da beleza, espontaneamente, naturalmente, beleza que flui dos confins do universo e das profundezas de nosso coração.

Com vocês Diogo Nogueira:





Flor do Deserto

“...naquele instante tudo se tornou inexplicável, fora tomada por um redemoinho, em seu coração um profundo vazio, eco de sonhos desfeitos, sentia-se caindo em um abismo, entendeu a duras penas que a realidade é tão frágil, que as certezas não eram absolutas e que tudo muda ao soprar das brisas de inverno!”
No dia seguinte, Anabel percebeu a sua solidão, cama vazia, o silencio e profunda ausência de Julio, abrir os olhos e sentir aquela perda era terrível, amava por demais Julio, possivelmente mais que a sí mesma, entregou-lhe a alma, sua mente tentava buscar alguma explicação, consolo ao rasgado coração,mas nada, nada poderia consolar e esclarecer a dor atroz, antes ele tivesse morrido, por para a morte, não é preciso muito sentido, morrer é o destino fatal de todos em mais ou menos tempo, mas aquilo que Anabela sentia, era pior que a morte, sentia-se abandonada, solitária e sem rumo, em seu pensar, ferida recente,sangra a dor sem fim, só queria que Julio voltasse a seus braços, por que você não voltas? Julio...Julio... a voz ecoa no nada, mais nada, sem resposta.
Levantou-se, precisava levantar-se e por assim dizer encarar a vida, o dia a dia ,o trabalho, enfrentar o que não se quer enfrentar, as palavras infindas do consolo de amigos, conhecidos, todos querendo que ela não sinta o que esta sentindo, aliviando alguma dor perdida em si mesmo, no limite de suas possibilidades.
Apenas para que talvez tenhamos a possibilidade de entender, Julio foi embora, não deu explicação alguma, entendia que toda a explicação de um final é algo totalmente inócuo, se não for a morte ou a fatalidade, toda a explicação de um final, para é a vitima será sempre algo distorcido, que adianta dizer, foi por causa de outra? Porque o interesse emocional desgastou-se ? Por que não se sente mais nada? Por que o sexo era horrível ? Por que ela era limitada demais? Por que tudo tornou-se tão previsível todos os dias? Nobreza de uma verdade, seria isso? O problema para que a pessoa deixada, sempre imagina que tem razão, então realmente não o motivo não terá influencia alguma, é apenas um motivo, profundo ou besta, você será um(a) canalha de qualquer jeito, então não esquente a cabeça! Julio, achava Anabela linda, achava ela uma mulher carinhosa e respeitosa, interessante e inteligente, nossa, quantas qualidades em uma pessoa só, seria isso realmente possível ?
Perfeição a parte, apesar de tantas qualidades, ela era insípida, sem gosto, sem arroubos emocionais, e com o tempo Anabela foi se tornando mariazinha, simples, comum e sem gosto! O sexo era programado, uma vez por semana, simples, sem inovações, papai e mamãe, em trinta minutos tudo acabou, sono e fim. Mas o que irritava Julio, era a profunda ausência de cheiros da sua mulher ( aqui eu entro em concordância com Julio, mulher precisa ter cheiro, aroma, feromônio, aquele instiga instintos e desejos, mulher demasiadamente “clean...”por favor),ela era um sabonete neutro glicerinado, mesmo as partes mais intimas eram asseadas a exaustão, isso acabava paulatinamente com seu tesão! Ele falou em tom brando,mas foi rechaçado.Mesmo tantas qualidades, fica claro que a perfeição não existe, ela não tinha expressões relevantes em relação a nada, era apática, Julio queria uma mulher vulcânica,que entrasse em erupção, que o levasse a loucura,mas Anabela era uma fogueirinha de papel!
O tempo foi naturalmente passando para Anabel, e embora a psicologia de uma sugestão que um fim de relacionamento para ser superado,esquecido, demora de seis meses a um ano, e isso é apenas uma teoria, conheço pessoas que não esquecem jamais, a variável é infinita.
Anabela nunca mais envolveu-se com ninguém relevante, até saiu um pouco, transou de forma “normal”,mas nada que a despertasse de seu estado catatônico, sua vida parou no tempo,no tempo de Julio, num caleidoscópio de trauma sem fim. Olhava-se no espelho, e sempre aquela solidão, aquele amor que nunca acontecia, como uma explosão de bonança sem fim, de bem aventuranças, nada disso, a cada dia seu rosto com mais rugas, os cabelos embranquecidos, o brilho do olho tornando-se baço, a fêmea em si morrendo com a queda dos hormônios, dando espaço aos maus tratos do tempo, como não mais sentir-se mulher.
Mulher fraturada, frustrada, falhada a espera de um amor que não virá nunca, uma mulher só, resultado de si mesma no cultivo, de sonhos vazios, de perspectivas sem sentindo de profundas emoções, mas a emoção precisa pensar!
A rosa perdeu as pétalas, tornou-se flor de um deserto.

Paz profunda a todos.

Fabiano.
ps: para quem achar que é exagero dramático, teatral ou performático, aviso aos navegantes, conheço várias histórias assim de conhecidos, de mulheres e alguns poucos homens também, tentei ser fiel ao que sentem, um fraternal abraço aos que se sentem só no mundo.

sexta-feira, julho 17, 2009


Noite Cheia de Estrelas
Silvio Caldas
Composição: Cândido das Neves


Noite alta, céu risonho

A quietude é quase um sonho
O luar cai sobre a mata
Qual uma chuva de prata
De raríssimo esplendor
Só tu dormes, não escutas
O teu cantor
Revelando à lua airosa
A história dolorosa desse amorLua...
Manda a tua luz prateada
Despertar a minha amada
Quero matar meus desejos
Sufocá-la com os meus beijos
Canto
E a mulher que eu amo tanto
Não me escuta, está dormindo
Canto e por fim
Nem a lua tem pena de mim
Pois ao ver que quem te chama sou eu
E entre a neblina se escondeu
Lá no alto a lua esquiva
Está no céu tão pensativa
As estrelas tão serenas
Qual dilúvio de falenas
Andam tontas ao luar
Todo o astral ficou silente
Para escutar
O teu nome entre as endechas
A dolorosas queixasAo luar

Essa vai pro Sandoval:


Tem um crivo aí?

Os seres humanos e seus vícios, quem não os tem afinal?Conversava a muito tempo já esquecido, com um grande amigo e boêmio cantor da noite, já falei a respeito dele, pessoa impar e solteiro convicto, ele pigarreava e entre um gole de cerveja e uma tragada em seu charuto fumarento, dizia as pérolas:
-Todo ser humano que se preza, precisa de um ou dois vícios!
Eu concordava, mas sempre perguntava como se fosse um ritual, “tá Sandoval, e porque ?”
Mais um tragada e ele respondia:
-Ora porra, eu detesto a solidão, um bebedor ou fumante solitário, é a autentica tristeza divina, o abandono de um pobre diabo!
Naturalmente a estas horas, Sandoval já estava para lá das fronteiras deste mundo palpável, e sua mente lubrificada pela cerveja, viaja em busca de paramos mais seguros, delírio, imaginação e fantasia, sim, essa era a solidão que falava, não o mero erguer do copo cheio em direção aos lábios sedentos, sem publico ? Nada disso, isso era irrisório, medíocre, aspirar, sonhar com as fadas embalando os sonhos, ou capetas soprando infernos sem fim, isso sim constitui dignidade respeitável autenticidade ou loucura, e em seguida ,ao fundo agora Sandoval cantava Noite Cheia de estrelas,sua voz ecoava assim:
-Noite alta céu risonho, a quietude é quase um sonho, o luar cai sobre a mata, qual uma chuva de prata de raríssimo esplendor ...
Mas o que me traz aqui não é Sandoval, não mesmo, mas uma cena que despertou em mim medonhos pensamentos, caminha na rua, ruas sujas, próximas ao Mercado Publico, uma rua que tem o nome de Tiradentes, que certamente faria Tiradentes revirar-se no tumulo, pelas memórias desta rua em minha cidade, encostado a uma parede suja, um senhor de cabelo nevado, vestia-se bem, um casaco preto qual uma capa o protegia do frio, daquela tarde quase noite, diminui o passo, ele com a cabeça um pouco arqueada para baixo, dava a impressão que sentia forte mal estar, normalmente sou indiferente a isso, mas aquela cabeça de alvos cabelos, o tipo corpóreo, um simpatia gratuita surgiu, ou foram as mãos de boas almas do outro mundo atuando em mim.
Quando me aproximei, vi que entre os dedos do velho, um cigarro aceso, e aquela tosse violenta quase uma tuberculose, aquele som de pulmões cheios, e tossia com dificuldade, mas aquele cigarro ainda estava entre seus dedos, aproximei-me, e ajudei a erquer-se um pouco dizendo aquele papo furado que sempre se diz nestas situações:
-O senhor esta bem? Posso ajuda-lo ?
Ele apenas tossiu, tossiu , tossiu,fui dizendo para ele acalmar-se que iria passar (ao menos eu esperava...), claro que o pensamento fatal veio-me a mente: e esse velho morre aqui e agora? Porra, eu tava atrasado para o serviço...
Mas ele ergue-se, e ainda com o cigarro entre os dedos, consegui falar finalmnete: Não posso com cigarro, mas também não posso sem ele...e riu
Quando ele riu, eu fiquei aliviado, parecia que a morte tinha ido atrás de outro afinal, é claro quando ele disse isso, lembrei-me de Sandoval, e suas frases lapidares, disse ao senhor desconhecido a frase de Sandoval: Todo ser humano que se preza, precisa de um ou dois vícios!
E ri para o velho, que após uma tragada, começou a tossir novamente, da mesma forma, ai claro que achei engraçado, aquilo era o aspecto mais mítico possível do ser humano, a dor e o prazer andando lado a lado, o vicio e a alegria, e naturalmente suas conseqüências funestas.
Desejei tudo de bom e fui embora, mas em meu pensamento lembrava-me de Hermes Trimegistos e suas leis, espelhos do universo, agora é claro já era delírio pleno de meu pensar, sim dizia Hermes: O que está em cima, esta em baixo, como é no céu, assim também é na terra.
Tudo aquilo fazia sentido, naquele momento, o cigarro, o velho passando mal, a natureza sem empestada pelos homens, lembrei-me das chaminés cigarros imensos, enchendo de fumaça os céus azuis, pulmão do planeta, o homem enchendo os pulmões de fétidos gazes, para seu prazer, ânsia , medo,desejo de ser algo que não é...tantos motivos,e que eu respeito a todos, acho que buscamos nossos anseios, e algumas vezes as coisas funcionam e doutras..bem doutras...
Nada podia fazer pelo pobre desconhecido velho, voltei ao pensar, e a voz de Sandoval novamente encheu a minha mente:...revelando a lua airosa ,a historia dolorosa desse amor...lua manda a tua luz prateada, despertar a minha amada...

Paz profunda a todos.

Fabiano.


Pérola do dia:



“ Nem sempre quem te tira do buraco, é seu amigo! ”

Saddan Hussein

quarta-feira, julho 15, 2009



As mulheres ainda não sabem trair!

Longe de mim querer desfazer dos processos mentais das mulheres, a idéia não é essa, ou mesmo julgar quem trai ou traiu, tudo encontra justificativa neste jogo de “amor” e sedução, onde o desfile das carências pessoais, a parte, negociam com nossos valores éticos, morais e os cambao,todo este blá,blá,blá que nós já sabemos, e tanto como traidor ou traído, realmente não fará diferença ,se entendermos a delicadeza de tais situações.
Infelizmente ainda, ou felizmente as mulheres não nos olham como objetos puro de consumo(um vestido,um sapato,uma bolsa de couro...), como nós homens olhamos para elas quando temos desejo irrefreado, é neste ponto que desejo mergulhar, elas podem nos trair e traem, e esconder muito bem com raro talento(alias as mulheres escondem mais, e melhor que nós homens as seus deslizes, homem é muito relapso neste sentindo,elas não, são mais discretas,detalhistas,tem sempre uma amiga que cobre e coisas assim um motivo embasado...), porem as damas não tem o pensamento masculino, por alguma fatalidade, uma mulher para entregar-se plenamente ao prazer, ela precisa algo um pouco mais alem que o mero corpo físico de outro alguém!
E essa é sutileza que faz uma diferença bárbara, porque ela pode mesmo “gozar”,fazer caras e bocas, talvez fique molhada, mas não é ou seria a mesma coisa que um gozo com alguém que lhe conhece a intimidade, alguém que lhe compreende os momentos de dificuldade, alguém lhe vê a alma, o coração! É claro que exceções existem, existem mulheres frias, no sentido de que de desejam apenas o pênis rijo dentro de si, e com um sexo de alta qualidade,em alta performance, no entender de que elas alcancem um orgasmo excelente e com carinho, existem, mas são bem raras, posso falar com propriedade, pois embora não seja nenhum Brad Pitt, ou mesmo semelhante, alias muito ao contrario, sou uma pessoa de profunda noção, beleza é o que me falta, no entanto as amantes abundam, feliz ou infelizmente, será que elas estão cegas, surdas e loucas?! Sou de um aspecto totalmente desinteressante, realmente não entendo,mas vá lá, quem entende o ser humano?
Sinceramente, eu gostaria de ser tratado como objeto, vil e descartável, mas infelizmente não é assim, tudo inicia bem, e por uma infeliz ou feliz proximidade, a paixão, o amor, a emoção vem a tona, e para uma(um) amante, apaixonar-se é algo terrível, porque é o atestado que realmente não sabe trair, e que com o decorrer do tempo irá sofrer, porque nós amantes sempre vamos embora em algum momento, mas sempre!
Todos são catedráticos em dizer, que sexo é uma coisa e amor é outra, concordo plenamente, mas essa fronteira muitas vezes é confusa ou se confunde, o sexo começa a ficar bom, e por sua vez vem uma amizade, a continuidade, ou contrario... vem a amizade, a continuidade, e o sexo fica bom, então as emoções da convivência começam a surgir, e disso o fio de Ariadne se desenrola, é natural do ente humano, logicamente temos o dom de complicar tudo em nossa vida!
Mas exceções existem, e em alguns caso funciona, quando os(as) amantes compreendem suas fronteiras,sabem bem seus papeis, e entendem que são secundários,ai funciona, porem eu pergunto, quando as emoções vem a tona, o que costuma acontecer?
É uma questão de física, homens conseguem olhar uma mulher como se fosse um pedaço de carne para o consumo, o gozo e fim, será que as mulheres conseguem olhar assim ? Sim conseguem, 3% conseguem.
Cabe colocar algo que o tempo me ensinou também, as mulheres muito donas de si, que consomem homens, muitas vezes assuntam seus amantes, por eles verem a manifestação em sentindo ativo, do aspecto feminino, é claro que a grande maioria dos homens não gosta disso, lhes da impressão, que ele não esta executando o papel que lhe é devido, mas isso não passa de uma tapeação psicológica, ela está tão decidida, que não duvide, ela é quem come ele, literalmente de quatro!
Se bem me lembro, escrevi sobre mulheres glaciais e mulheres vulcânicas, não retiro uma palavra do que disse,e aqui fica claro que as melhores amantes são as glaciais, mulheres decididas e de temperamento frio, que não se deixam envolver e não se envolvem em paixonites agudas que costumam transtornar momentos agradáveis de prazer com as(os) amantes, em drama de dor,perdas e danos! Um conselho gratuito: se você não um temperamento assim, não meta-se a trair, siga sua vida frugal, é mais seguro e inteligente.

Paz profunda a todos.

Luis Fabiano.


Pérola do dia:



" Tudo em nossa vida pode tornar-se um abismo, mesmo as coisas mais comuns e frugais, um detalhe, e tudo se perde."
Fabiano.



terça-feira, julho 14, 2009




A História de João teta!

Cada vez mais os imperativos da beleza se tornam ditatoriais e complexos, a ponto que, o restante aquilo que não se pode ver ou tocar, em outro ser humano, torna-se totalmente dispensável, irrelevante mesmo, sobrando elogios a bunda, seios, pernas, cabelos, tórax, braços e outros dotes íntimos que preenchem espaços a guisa de detalhes maravilhosos.
É claro que a perfeição é utopia, mas as semi-deusas e os semi-deuses a buscam, sem problemas, aqui não existe nenhum julgamento a respeito do assunto, se você deseja tornar-se o que for, vá lá, busque o seu caminho, mas é importante saber se você encontrara o prazer, e a felicidade ao final ou mesmo durante, é isso essa é a chave,isso é que é relevante...
João teta recebera este delicado apelido porque desde de criança, sua mãe não tinha leite em seus seios para amamentá-lo, eram seios secos como um deserto ,ele era por assim dizer um bezerro desmamado, a família era pobre então as dificuldades eram homéricas e com tetas a menos, bem mais problemas, mas o tempo passa,e João cresceu com todas as dificuldades naturais e por assim dizer supera-as ( cabe colocar, que ele ganhou este apelido mais tarde quando já tinha idade de homem...e quando seus colegas descobriram a sua malfada historia das murchas tetas de sua mãe...).
No entanto as paixões mais primitivas, são mais que Freudianas,o trauma inconsciente de João Teta, fizera que ele desenvolvesse uma certa predileção por mulheres dotadas de “airbgs”, seios enormes, fartos, siliconados ou não,caídos ou não, não era importante, mas que fossem grandes,enormes, e ai sim seu apelido torna-se a justificativa grandiosa...(me permitam um breve comentário pessoal,realmente os seios são interessantes, e não precisam ser monumentos a natureza, mas com toda certeza entendo que afogar-se entre eles constitui um imenso, literalmente, prazer, mas tudo tem limites, no caso de João Teta, que me disse em pessoalmente, que prefere os seios fartos que outras partes da mulher, e isso inclui a grutinha do amor..., bem tudo tem limites...), pois a carência de João teta advêm do seio maternal que lhe foi negado infelizmente...muito triste, triste, coisas que apenas Édipo poderia entender melhor!
Então João Teta, com seus trinta e poucos anos, estava feliz da vida, pois, depois de inúmeras mulheres que passaram por sua vida, achara a dita perfeita de sua vida, era linda, amorosa , dedicada, atenciosa,carinhosa, séria e claro tinha seios avantajados, não preciso dizer que João Teta estava no sétimo céu, que mais poderia querer ? Para um homem comum, atributos físicos pesam muito, a maioria dos homens querem mulheres, lindas, gostosas, atléticas,exuberantes e quase fictícias etc..etc...eu sou uma exceção completa neste caso, uma humildade franciscana, pois para mim não tem a menor importância o aspecto físico,não precisa ser linda, aliás ao contrario pode ser até horrorosa(as feias transam melhor...quanto mais horrível melhor...), sem dentes, uma aparência não agradável aos olhos ,que fazer?
Isso é irrelevante para mim, lembro-me de uma relação que tive uma desdentada, certa vez (relação de grande prazer alias, pois a ausência dos dentes leva-nos a prazeres fantásticos, bem um dia conto mais detalhes da sórdida historia...), me refiro a relação rápida, vocês me entendem, bem afinal ninguém é perfeito, e as vezes o momento é mais importante que os detalhes de beleza ou feiúra ou mesmo da senilidade, e diga-se de passagem, que quando se fala de sexo, um pênis entrando em uma vagina ou algum outro lugar semelhante, bem, depois que entrou, a diferença é inexistente, vira trabalho de operário, batendo o marretão e estas são outras manifestações tão sutis da copula!
Mas, voltando, tudo tem um dia, e tem um mas, João Teta anexara o seu amor as qualidades da esposa, e claro em sua profunda carência dos mamilos da genitora. O tempo passa e então o golpe fatal do destino, ele sempre ocorre ,quando as nossas emoções são algo difusas e emblemáticas em nossos sonhos, sua então amada esposa precisava fazer uma cirurgia no seios em função de um problema de coluna(peitos pesam...), uma cirurgia que iria reduzir muito os seios, eles eram dois grandes mamões, se tornariam frugais peras,pálidas e sem a beleza tão endeusadas por João Teta!
Golpe fatal! O destino infame, estava ali novamente João Teta, tornando-se desmamado novamente, bem, não preciso dizer que isso influiu muito no contexto emocional de João Teta, tristemente, ele já não mais olhava a sua mulher com os mesmos olhos de amor ( eu o entendo, afinal, quem tem gosto pela coisa...era necessário olhar a cunhada com outros olhos,ela possuía enormes seios...).
Você já olhou um bezerro desmamado?
Um leão preso em uma jaula?Os olhos tristes..apagados e quase mortos...
Essa era expressão de João Teta, esta é uma daquelas situações que o amor, o etéreo amor deve prevalecer acima das tão idolatradas formas carnais, afinal quem ama, ama aquilo que é indelével na criatura, ama o diáfano, ama as emoções e os pensamentos do ser amado,ao menos esse deveria ser o ideal!
João Teta esta numa encruzilhada da vida, espero que ele tenha boa sorte, e escolha o novo formato dos seios da mulher ou...

Paz profunda a todos.

Luis Fabiano.
ps: por uma felicidade ou fatalidade da vida a historia acima é absolutamente verdadeira.

domingo, julho 12, 2009



Ode a Beleza

Brilhas no instante mágico das percepções,
Em coro, chamas nossa harmonia,
arrancando por instante, talvez breve
Do travo simples e frugal de existir,
da pintura crua, a alma que nasce
Da voz que ganha espaços,
a silenciosa mensagem, dos anseios transcendentes
Sonhos que nos elevam,
ao que nosso primevo que arranha, que tenta, que tenta...
Ficamos como estatua em pedra bruta
, a espera do grande artesão tempo, que nos
Retire excessos de nossa obra pronta.
Tomado de emoções, não vemos a arte,
mas ela que nos vê
Monalisa sorri, triste e irônica.
Maria Callas eleva a nossa alma
aos pícaros de sua voz,pura, alta e linda,
abandonando por breve Instante,
o jugo ,o fardo ,cárcere...
É por um átimo,
da tosca miséria de existir,
a opulência , a fertilidade ,a magnificência de nossa real dimensão.
Num fogo que consome a si mesmo,
deixa indelével marca nas nossas almas.
Nunca mais seremos o que fomos...
Mesmo que as peias mais densas,
nos arrastem nos vales sombrios do ordinario...
Fulgura em nós, como chama,
a inflamada beleza
Como um beijo imortal...
Como o brilho diamantino da natureza...
Como o abraço divino...
Como eu e você.

Paz e beleza em ti.
Luis Fabiano.

quinta-feira, julho 09, 2009


The Beautiful People (Tradução)
Marilyn Manson
Composição: Marilyn Manson


As Pessoas Bonitas

E Eu não quero você e eu não preciso de você
Não tente resistir, ou eu baterei em você
Não é sua culpa estar sempre errado
Os fracos estão aí para justificar os fortes.
As pessoas bonitas, as pessoas bonitas
É tudo relativo ao tamanho da torre da sua igreja
Você não pode ver a floresta para as árvores
Você não sente o cheiro da sua própria merda nos Seus joelhos.
Há tempo para discriminar
Odiar todos os filhos da puta que estão no seu Caminho
Ei, você, o que você vê?
Algo bonito?
Algo livre?
Ei, você, está tentando ser mesquinho?
Você vive com macacos,caraÉ difícil estar limpo.
(ohhh)(ohhh)
Os vermes viverão em cada hospedeiro
É difícil dizer qual eles comerão mais
As pessoas horríveis, as pessoas horríveis
É tão anatômico quanto o tamanho da torre de sua igreja.
O capitalismo deixou as coisas desse jeito
Facismo fora de moda
Vai acabar com isso
Ei, você, o que você vê?
Algo bonito?
Algo livre?
Ei, você, está tentando ser mesquinho?
Você vive com macacos,cara
É difícil estar limpo.
Há tempo para discriminar
Odiar todos os filhos da puta que estão no seu caminho.
HEY! HEY!
As pessoas bonitas,
As pessoas bonitas (ohhh)
Ei, você, o que você vê?
Algo bonito?
Algo livre?
Ei, você, está tentando ser mesquinho?
Você vive com macacos,cara
É difícil estar limpo.
Ei, você, o que você vê?
Algo bonito?
Algo livre?
Ei, você, está tentando ser mesquinho?
Você vive com macacos, cara
É difícil estar limpo.
As pessoas bonitas,
As pessoas bonitas (ohhh)
-
Marilyn Manson, antes de mais nada é performático, confesso que é preciso ter estomago para vê-lo e ouvi-lo, mas esse é o desafio, ele é o representante mais intenso de um mundo a delirar em caos, um espelho ululante de estranhas verdades, e valores cotidianos rendidos a ilusão, um ser andrógeno que pegou dois nomes, Marilyn Monroe e Charles Manson e os fundiu naquilo que é bizarro e belo, aquilo que é cruel e doce,aquilo que inspira e enoja ao mesmo tempo.
Ele faz um sucesso tremendo, vende muito, faz filmes e é celebridade.Tem mais, ele fez cirurgias corretivas retirando costelas para afinar o corpo e ter uma cintura fina,tornando seu corpo totalmente sem pelos ele lembra um ser extraterrestre, mas não é, ele é a versão catalisada dos valores considerados mais importantes para sociedade:dinheiro,corpo bonito,poder,sucesso ,aspecto exótico e um mundo que rende-se ao seus pés!
A letra da musica, eu poderia inventar alguma coisa que justificasse como é natural existe justificativa para tudo no mundo, tudo é explicável e plausível, mas não o farei...e deixo a cada um tentar respeitar o talento artístico de Manson.

Então curtam despretensiosamente Marilyn Manson:


Pérola do Dia:

“É inegável, uma verdade mal entendida ou não aceita, faz mais mal que uma mentira cujo o dano é menor.”

Luís Fabiano.

quarta-feira, julho 08, 2009



A bunda é um templo da beleza!

A imaginação é um mundo a parte a influenciar o mundo objetivo, aqueles que tem imaginação vivem transportados entre vários mundos, logicamente estou falando de imaginação que inspira a capacidade de pensar, as vezes somos surpreendidos pela imaginação alheia que vai muito além do que em si nós esperávamos, normalmente ninguém me surpreende felizmente, porque espero sempre tudo de todas as pessoas, das coisas mais sutis e agradáveis, as piores e profundamente odiosas, se pensarmos friamente, ambas as reações são absolutamente normais se observarmos os motivos que são os móveis da mesma.
Normalmente saio para caminhar como já relatei inúmeras vezes aqui, é um prazer olhar as pessoas na rua, observá-las senti-las em alguns casos, e ultimamente tenho feito o meu retorno de passeio, pelo mercado central, lugar aprazível que tem um cheiro característico de peixe, aroma que lembra algo não semelhante a peixe mas cujo o aroma para mim é inebriante, diga-se de passagem tal aroma é cinqüenta por cento do prazer advindo das partes intimas de uma mulher(serei cínico, usando terminologia elegante para aquilo que é primitivo e brutal, mas que deve ser sorvido com lentidão e técnica para dar prazer a ambos...delicia doce aroma de peixe...), mas voltando, então de alguma eu passo por dentro do mercado publico que atravessa a quadra com suas galerias, e curiosamente, num de seus entroncamentos tem uma loja de sapatos, baratos e paraguaios, é claro que os sapatos não me chamaram a atenção mas sim a atendente, uma mulher que de longe não tinha atributos físicos de miss, mas tinha algo que era de um respeito considerável, sim isso mesmo , a bunda, enorme e linda. Por ela valia a pena fazer a passagem pelo mercado, por ela não...pelo detalhe anatômico tão característica, uma verdadeira pintura de Rembrandt, viva, carnuda expressão, beleza e textura facinantes .
Todos os dias passei a passar na frente, e como naturalmente a convivencia a distancia termina por encurtar-se com o tempo, os seres humanos são assim e de alguma forma esperava isso, mas o tempo é aliado para quem conhece as leis do mesmo, tempo vai e tempo vem, como uma grande cópula,penetração do universo no fundo de nossas vidas fazendo-as hora felizes e hora dramáticas de acordo com aquilo que sabemos por momentos.
Hoje porem a fatalidade acercou-se,e a moça simpática de nome desconhecido e com uma bunda de ouro, quando parei para observar os “sapatos-bunda”, ela sorridente dispara:
-Oi, tu passas sempre aqui,né? E olhas os sapatos, quando você vai comprar um,para me ajudar na comissão?
Eu sorri para ela,cínico pois na verdade não queria conversa alguma, era um apreciador de arte, e como bom apreciador é preciso observar lentamente. Na hora que ela falou isso, eu fiquei pensando, se aquela conversa de sapato iria seguir, porque na verdade quem queria saber de sapatos ? Esqueça.
Sorri e disse:
-Os sapatos são apenas um pretexto de sola fina!
Ela riu, mas aquele riso que é advindo da ausencia de entendimento,um riso nervoso. Eu ri junto, um sorriso plástico ensaiado como advinho do fatal desfexo da historia da bunda-sapato, pensei comigo: tomara que ela não diga mais nada, não pergunte mais nada,na verdade ela nem precisa falar ou mesmo pensar, obras de arte são para apreciar, temia que ela pudesse destruir todo aquele momento magico, com a logorréia desmesurada, e a nefasta verdade teria que aparecer?
Não por favor, não me peças o que não poderás suportar, não sem transtornos de emoção, o ser humano é muito sensível, e a verdade nem sempre é algo digno, diga-se de passagem, nunca queria saber toda a verdade de alguem, é fatal que você irá ferir-se ou ferir.
Então ela deu uma voltinha, e de-repente voltou, ainda sorrindo e disse:
- Moço, nós temos sapatos com solas mais grossas, se tiveres interessado...
Eu ainda olhando as grossas coxas e a bunda dela, disse:
-Como eu te falei, os sapatos são só um pretexto, nada mais não se preocupe...
Ela não resistiu e disparou: pretexto para que?
Na hora eu pensei: acho que vou mentir, e sair com elegancia disto, mas a verdade é um hábito nocivo,o qual não quis me furtar, foi como uma roleta russa, e falei:
-O pretexto para ver o teu lindo bumbum, o mais lindo que ja ví!
Ja fiquei esperando os desaforos naturais de um elogio mal empregado, em hora errada.Mas ela apenas riu, num sorriso que tinha supresa e ao mesmo tempo um ar de safadeza, ou eu estaria vendo demais?
Bem,não me demorei mais lá, vá que de-repente ela tivesse um acesso de ética, crise moral, orgulho ferido ou sei lá o que mais, você duvída?
Quando estava saindo, ela me disse:
-Apareça aí.
A doce e irrevogável verdade, nem tão santas e nem tão pecadoras!


Ps- este episódio foi absolutamente real

Paz profunda a todos.

Luis Fabiano.

Pérola do Dia:

Sem nenhuma arrogância, presunção, vaidade ou ufanismo, sinceramente, não espero ser entendido pelas mentes ignóbeis, o que corresponde a 98,3% das pessoas que conheço.”

Luís Fabiano.

terça-feira, julho 07, 2009



O amante

Antes de mais nada partamos da iniciativa de desarmar-nos, sem ataques de extremismo moral ou de uma ética ideológica ambicionada, sonhada talvez por aqueles que vêem o mundo como um lugar perfeito, não é perfeito, e os seres que habitam nele, longe estão da perfeição, sinceramente não sei de felizmente ou infelizmente, assim sendo, o que temos em nós como humanidade, é a intenção, que é pura e pode tornar-se boa ou má dependendo do direcionamento que lhe dermos, e segundo o contexto, e o contexto deve ser bem analisando.
Digo isso porque quando se toca em tal assunto espinhoso(amantes,traições etc...) as pessoas pulam, como se fosse uma lepra, uma peste etc...
Vi estes dias um belíssimo filme, chamado O Amante, obra rara e repleta de sensibilidade, o filme trata de uma relação esposo e esposa de muito tempo, uma vida relativamente feliz , uma boa convivência, filhos, bons empregos,dinheiro abundante, enfim tudo perfeito para que a felicidade exista, gostamos de pensar assim,porem ela a esposa adoece, com câncer e morre rapidamente. Até aí o simples drama humano, que ocorre todo dia sem que a maioria de nós perceba. Então a surpresa, o marido descobre uma carta de um suposto amante que sua mulher teve durante anos...sim anos. Essa é a hora que os corneados saltam,vamos mugir em coro...
Então o marido cai em si, a sua amada esposa,de vinte anos, mãe maravilhosa,,mulher sensual e bela, profissional excelente, doente e agora morta, o havia traído.
Curiosamente ele não tem nem a possibilidade de vingar-se, pois ela já estava morta, mas em si o que se passa, é o não entender, como podia ela ser tão boa mulher e ainda assim, traí-lo? Então tudo foi uma fantasia em suas vidas? O que eles viveram foi apenas um teatro? Não eram felizes então? O que era a verdade neste drama de mil cabeças ? O que estava pesando mais, o orgulho ferido ou o medo de não ter sido realmente amado, a insegurança?
É o momento de profundas acusações, e o descarte de tudo que viveram em função de decepções?
Errado, tudo que temos são momentos,estamos sempre prontos para buscar a nossa felicidade,mas nem sempre estamos prontos a sacrificar o que é necessário, e as vezes a tal felicidade está nos braços alheios, ou em muitos braços alheios, então é justo ser “absolutamente honesto”,e destruir a sua vida conjugal harmoniosa, por causa de momentos de felicidade homeopática?
Claro que não.
Por vezes os amantes e amantes são para vida toda, mas jamais tomaram o lugar da esposa(o), a amante é uma categoria muito alem disso,tem seu propósito.
Você quer lealdade a toda prova?Então esquece a raça humana, tente com outra espécie mais próxima da perfeição.
Mas o que defendo aqui é morta esposa, tinha essa imagem ideal que a felicidade plasma em nosso existir, esse é o ponto,a imagem, a maioria das imagens que vemos são apenas imagens e necessariamente não precisam ser reais, (considerando realidade o que os olhos vêem ),ou você tem a mesma imagem para todas as pessoas que te cerca ? Todos vêem o mesmo você? Você fala exatamente igual, no mesmo tom com amigo e com inimigo? Isso em si já não seria uma espécie de traição? Talvez uma traição com justificativa?
Nada é perdido, o amor é deverá ser um fluxo só, e não interessa a quem vai se manifestar,quando se trata de ser humano caro amigo, nada, e absolutamente nada é absoluto, tudo tem labirintos de detalhes, tão pessoais, que no tribunal de consciência ficamos absolvidos, a grande verdade é estas, em paz, nossa felicidade é assim, repleta de seqüelas, não é pura, é momento, e com este momento devemos nos confraternizar em paz, em beleza e em harmonia, precisamos mesmo emoldurá-lo na eternidade,nos conceitos repletos de idiossincrasias tão falhas como um vidro lascado ? Isso não é exigir demais de um ser tão falho? Não é querer perfeição demasiada a qual talvez nem sequer tenhamos condições de manter?
O filme avança, repleto de beleza, o marido/viúvo castigando a si mesmo, por seus próprios conceitos,quando finalmente entende exatamente que o mais importante em verdade não é o amor que recebemos, é sim o amor que damos,a qualidade deste, as intenções desse, ele entendeu a duras penas ,que tudo era verdade e que a sua emoção estava muito alem de tudo isso, que sua vida fora mais real do que ele imaginava, mas que apenas não sabia de algumas coisas( afinal, quem sabe tudo sobre todos ??)mas tais coisas não influenciavam em sua felicidade, que ela embora ela tivesse morrido,naquele hospital, ela tão magra, sem cabelos, tão feia fisicamente,ele ainda a amava como sempre amou, e nada absolutamente nada poderia tirar isso, nem mesmo a morte.

ps- a verdade que conheço pessoas e tenho amigos que traem, mulheres que traem, e que não estão dispostos a mudar a suas boas e excelentes vidas, tranqüilas com seus companheiro e companheiras, em função dos amantes.

Paz profunda a todos.

Luís Fabiano.
--
sinopse do filme: O Amante.
Peter (Lian Neeson) e Lisa (Laura Linney) estão acomodados na tranqüilidade de seu extenso matrimônio. Lisa é uma renomada designer de sapatos, enquanto Peter dirigi sua própria companhia. Na noite da festa de lançamento da ultima coleção de Lisa, ela parece evasiva e estranha. "Nunca desehou ter a oportunidade de ficar com outra pessoa?", pergunta ela. Logo depois desaparece. Desesperado, Peter luta para encontrar respostas e segue uma pista até a Itália. Ali se encontra com Ralph (Antonio Banderas), um homem astuto e encantador que é, claramente, o amante de Liisa. Mas Ralph tem seus próprios segredos.


Pérola do dia:
“ A realidade não é uma mulher ao final da tarde, bela, perfumada, elegante e bem vestida, a realidade é quando esta mulher acorda pela manhã.”

Fabiano.

segunda-feira, julho 06, 2009


Pérola do dia:


"As épocas débeis mentais.Ao chamá-las assim não insinuei,é claro,nenhuma novidade,não fiz nenhuma descoberta.As épocas sãos mais inteligentes ou menos inteligentes ,mais nobres ou menos nobres.românticas ou cínicas, suicidas ou homicidas ,perversas ou heróicas, etc...etc.."


Nelson Rodrigues.

domingo, julho 05, 2009


"Uma árvore em flor fica despida no outono. A beleza transforma-se em feiúra, a juventude transforma-se em velhice, e o erro transforma-se em virtude.Nada fica igual e nada existe realmente.Portanto,as aparencias e o vazio existem simultaneamente."


Dalai-Lama

sexta-feira, julho 03, 2009


Pérola do Dia:

“ Isso é quase sadomasoquista, existem pessoas que nasceram para satisfazerem outras pessoas, e outras que nasceram, para serem plenamente satisfeitas. Esta é a essência do equilíbrio universal. ”

Luis Fabiano.