Pesquisar este blog

quarta-feira, abril 30, 2008


Como hoje estou absolutamente otário, tenho mais uma frase:


"NÃO VI, E NÃO GOSTEI!".

Fabiano.


“Aqueles que possuem uma profunda inabilidade de viver,estão em eterno conflito com as leis que regem a natureza, inteligência neste sentido é saber compensar quanto tudo mais falha, e a ignorância silenciosa é pensar que alguém fará isto por você.”

Fabiano.

terça-feira, abril 29, 2008


Tears In Heaven (tradução)
Eric Clapton
Composição: Eric Clapton

Lágrimas No Céu


Será que você sabe o meu nome, se eu vi você no céu?
Seria o mesmo se eu vi você no céu?
Devo ser forte e exercer,
Por que eu sei não pertenço aqui no céu.
Você seguraria a minha mão se eu vi você no céu?
Iria me ajudar a me levantar se eu vi você no céu?

Eu vou encontrar meu caminho através da noite e do dia,
Por que eu sei que não posso ficar aqui no céu.
Tempo pode trazer você pra baixo; tempo pode dobrar seus joelhos.
Tempo pode quebrar seu coração, você implorando por favor, implorando, por favor.
Para além da porta há paz eu tenho certeza,
E sei que vai haver mais lágrimas no céu.
Será que você sabe o meu nome, se eu vi você no céu?
Seria o mesmo se eu vi você no céu?

Devo ser forte e seguir em frente,
Por que sei eu não sou daqui do céu.
Por que sei eu não sou daqui do céu.

Aprecie com a delicadeza de sua alma:

Mentiras Sinceras

...mentiras sinceras,como tal razão senti teu doce ódio, ele me chegou intenso verdadeiro e belo, mesmo em uma madrugada escura a da razão, e a sinceridade era uma luz cálida, que feria sim mas ao mesmo tempo era digna, um ódio digno, um furor da nobreza contra a iniqüidade de um mundo ao qual aparentemente nós assemelhamos.
Sim tudo ficou mais claro é verdade, hoje quando saí ao centro da cidade para caminhar numa tentativa frágil de fazer minha mente respirar e pairar acima desta humanidade que julgamos tão bem como lixo, lixo a nossa frente e na retaguarda, pelos lados em cima e em baixo,lamentável.
Não, é apenas um resultado natural da ignorância absoluta, de cegos tateando e enquanto isso se faz, mais caem em um fosso. Foi então de um momento para o outro enquanto minha mente refletia sobre isto, e ao que dizer a ti que respeitasse a minha profundidade e a tua beleza, e ao mesmo tempo declarasse a verdade, foi então que comecei a sentir uma falta de ar, uma asfixia tomou conta de mim, parei um pouco em meio ao calçadão próximo ao chafariz buscando haustos de ar, mas ele existia e o sentia entrar em meu corpo, junto com uma taquicardia e então percebi o que me influenciava, eram as pessoas, o barulho, o cheiro fétido do esgoto, a gritaria, então tomei a ruela mais próxima e escapuli dali, quisera estar em meus eucaliptos em um mais que real e saudável lugar...mas não era possível naquele instante, mas me afastei mentalmente e a normalidade voltou, gradualmente.
E então me lembrei de Ti, lembrei tudo que sempre conversamos que converge para o equilíbrio, a harmonia, a beleza de um pensamento refinado, lembrei que de fato não podemos e não temos como viver expostos, porque para onde olhar o lixo nos cerca, atinge e tu não te defendes, não queres e não tens defesa contra isso, eu entendo mas isto também é escolha tua, ou melhor isso é a impossibilidade da tua escolha, a mesma escolha que tenho de viver, dar e usar o lixo.
Outra razão, toda nossa beleza é sublime, não podes e nem eu compartilhar isto com mais ninguém, eu pelo menos não conheço ninguém, e nem nada sequer próximo ao Tu és, o que torna esta especialidade tão rara.Jamais irás entender minha dualidade é certo, mas eu entendo tua passionalidade, tua autenticidade e as vezes lamento que tenhas de dar este manjar para o lixo, não seriam pérolas aos porcos?
Minhas mentiras são a comida que dou aos “porcos”, digo a eles a plenos pulmões eis a vossa comida eis que sou igual a vocês não, me atinjam, e eles acreditam com pálidos sorrisos...Entenda, é impossível viver neste mundo e dar nobreza sem que isso cause feridas na alma, este é um mundo muito primitivo, se deres nobreza vais morrer, asfixiada na podridão por todos os lados, te protege minha filha(o) , filtra e te mantém próxima mas absolutamente distante da escória.
Mas porque eu fiz esta escolha ?
Primeiro porque não tenho pressa, precisamos viver no mundo e ao mesmo tempo permanecer invisíveis e comuns, a atenção das pessoas é algo muito impertinente, e é neste aspecto que conseguimos viver a pleno a vida interna; se acendermos nosso fogo da alma desejando que ele se espalhe,o universo entre em nós, nos tornamos inúteis neste mundo, nobreza é verdade mas inútil, teremos uma morte solitária, talvez feliz, asfixiados por tudo que nos cerca, achas que não entendo isso?
Meu desejo procura o equilíbrio, assim como teu, teu mecanismo é elaborado o meu é mais simples e prático, nossas verdades culminam sim,eu não creio que minha verdade seja diferente da tua.
Não é.
Me torno um lobo para conviver com lobos, uma ovelha para conviver com ovelhas,mas a um e o mesmo tempo nada disso eu sou, sou apenas um Tigre solitário, que tem uma borboleta que lhe pousa no focinho.Tudo que posso te dar e dou é minha nobreza,minha verdade sempre minha beleza e onde posso respirar a longos haustos é contigo.
Fica próximo de mim, não me condenes a fome e a sede, desejo sempre encher tua taça assim como transbordas a minha, que irá acontecer amanhã?Que importa, não precisas direcionar nada pois o curso da verdade é por excelência nosso próprio guia, a necessidade de um guia melhor?
Não.

Paz no teu coração,
Amor na tua alma e saúde para o corpo.
Meu carinho e eterno respeito.

Fabiano.

segunda-feira, abril 28, 2008


"De onde menos se espera, daí é que não sai nada. "


Barão de Itararé.





Inteligência Instantânea

É muito engraçado mas que bom se existissem pílulas de inteligência,isso é quase como tirar coelho de cartola, num mundo onde é preponderante o imenso esforço para tudo e todas coisas e claro uma questão de méritos advindo da força,então tudo se resume em sacrifício, para ser alguém melhor esforço, para ser alguém pior esforço, para ser nem uma coisa ou outra, mas creio que seria interessante se pudéssemos chegar na farmácia e pedir um pílula para inteligência lógica, mas isso não é possível.
Naquela manhã ele havia acordado de mal humor, vindo de uma noite frustrante e aqui cabe colocar,quase todas as nossas frustrações advêm de nossa profunda inabilidade de viver e os fatos decorrentes são os compensatórios de nossa de sofisticação no proceder consigo mesmo e em relação aos outros, mas isto é especulação, mas naquele dia ele esta profundamente amargurado, apostara alto em suas expectativas e claro elas não encontraram os melhores resultados, achava que aquela mulher poderia lhe brindar aquela noite com um prazer tão agradável, puxa isso parecia brutal, mas ela com um sorriso mais perolado o dispensou, mas isso o incomodava a tal ponto? Ou talvez a frustração de ver seu membro semi-flacido pela manhã porque não lhe encontrou a devida morada?
Mas se não fosse,bem isso afinal não é assim tão importante mas naquela manhã isso o incomodava, afinal todos temos nossos momentos, sejam fúteis, idiotas e simplórios são eventualmente a chaga natural que por vezes perdermos a capacidade de nos perdoar, e também perdemos o tamanho exato das coisas que então ficam maiores do que realmente são, frustrações de amor, de sexo, de trabalho, emocional você acha que serão as ultimas?Então se pensou assim é mais imbecil que eu esperava. E aqui cabe um grosseiro comentário de natureza poética que é a minha melhor vertente:Ainda que existissem pílulas, drops de inteligência subjacente, tenho a certeza absoluta que ainda que pegássemos todas as pessoas e introduzíssemos em suas partes baixas a maior genialidade possível nada se converteria ou transformaria porque para que algo toque a alma humana ela não deve ser apenas inteligente mas que tenha um complemento emocional de qualquer natureza, é preciso que as pessoas reajam e tais reações não podem ser tão subjetivas a tal ponto de serem tratadas como um breve exercício de pensamento psicológico, ai tudo é perdido.Especulações intelectuais são belas e vazias e servem apenas como um exercício masturbatório do pensamento,masturbação sem ejaculação ou seja quase inútil!
Mas naquela manhã tudo era diferente, ele não suportava-se não estava disposto a negociar consigo mesmo, e esse é nosso autentico problema quando não se deseja mais negociar consigo mesmo se tomou o drops de inteligência antes procurará saídas elevadas e libertadoras e possivelmente fará a catarse natural e ficará em paz, mas nossa natureza é primitiva e quase que previsivelmente partimos para a agressividade e tudo converte-se em drama violento, primeiro para consigo mesmo e depois para o derredor, isso é o esperado frustrações não resolvidas e tristeza eminente!
Nunca mais ninguém faria isso com ele, aquela futilidade fora grande mais para sua alma, e quase toda a futilidade é as vezes grande demais para nosso coração,que preciso agora de uma saída rápida e imediata!Agora!Mas que faria a dor não suportar-se precisa de um escape,mas qual é a saída?A opressão lhe obrigava agora, me ajuda? Me tire isso por favor?!Não quero mais sentir isso, você irá me ajudar?Hein?
Besteiras circunvagavam em sua mente...
Tenho certeza que você tem suas futilidades feitas de comezinhas emoções que lhe arrancam a paz é o normal,ele perdeu a mão.
Aquela não seria nunca uma boa manhã.

A caminhos difíceis e o maior desafio é apenas você mesmo.
Paz e luz em tua estrada.
Fabiano.

domingo, abril 27, 2008


DA SÉRIE EU SOU UM PALHAÇO!

A cantora

A vida nos brinda eventualmente com personagens que parecem egressos de alguma fabula animada digna de algum conto mítico qualquer e que de alguma forma nos leva a questionar a realidade, não se engane a realidade é muito mais inimaginável que a própria ficção, pobre ficção, é só observarmos este nosso mundo quando mergulha-se na intimidade do ente humano, penetra-se nas mirabolancias que a mente faz para que possa sentir-se feliz ou ao menos emular uma paz ainda que o custo para isso seja a perda da saúde, mas isso é quase uma natural determinação da nossa ausência de flexibilidade em relação ao que somos e ao que desejamos ser, quase tudo se passa nisso, e geralmente não temos a capacidade de negociar consigo mesmo então por um breve instante abre-se o espaço para insanidade, como uma auto punição, culpa e a escada para baixo aí é quase infinda, mas ainda não entremos em depressão...por favor...ainda não.
Ela não cantava absolutamente nada, embora tivesse a alcunha de uma nobre cantora, com olhos esbugalhados como quem fita o nada e nada vê, grossas sobrancelhas e um cabelo parecendo um “playmobil”, uma voz semi aguda parecendo de uma criança embora ela tivesse mais ou menos dois metros, com uma fala direta e prodiga de xingatórios e impropérios dignos de uma sadomasoquista, falando aqueles que cuidavam dela algo suave como:cadelas,prostitutas e assemelhados, era de uma manifestação muito estranha pregando sustos nas pessoas pela maneira reta de caminhar e chegar de surpresa, em sua voz sem nenhuma harmonia entre ligeiros e fugidios cuspia-se ao falar era preciso um guarda chuva para ficar perto dela, era uma exímia cantora. Era uma dessas criatura adoráveis, insanas, mas adorável, aqui é claro abre-se o precedente ,os loucos realmente não precisam ser respeitados justamente por serem loucos, ela parecia não ouvir nada que lhe era dito, andava rápido dentro de casa mais parecendo um fantasma que mesmo alguém de carne e osso!
Confesso que quando a vi a primeira vez e não sabia de sua falta de norte quase pedi para ela cantar uma...da um canja ai ô cantora!!Mas fui alertado que isso poderia ser um risco então deixei assim barato mas é claro fiquei com aquela sensação do ato proibido, o melhor de todos ele acicata o nossa vontade de literalmente pecar.
Somos assim mesmo, bem é claro que durante o tempo que la fiquei sobrou para mim, mas minha reação foi a de quem realmente observa uma louca, sorri, mas sou muito plástico em minha ações, praticamente não tenho reações tento sempre pensar antes de agir, mas claro que na minha mais profunda lucidez mental embora sabendo da sua insanidade se me fosse permitido daria um tapa em sua bunda, apenas para ver a reação, como quem bate em um bumbum de criança para punir mal criações lógico sem maldade alguma, apenas para puro deleite pessoal, ver a “cantora” doida com a derrier dolorida certamente isso iria dar uma adicionada a mais em sua manifestação talvez mais violenta ou mais divertida, como não rir ante a fatos bizarros demais ?
E neste momento eu trocaria de papel com ela e com algum prazer, uma vez que acicatar a loucura não deixa de ser uma outra espécie de loucura, relaxei explorando inescrupulosamente a loucura alheia, poderia tornar mais bizarro isto?É claro quem para alguém com grande disposição e inventividade de sobra sempre sabe como abusar sadiamente das malucas intervenções alheias, aquele era o momento que talvez não bater em sua bunda mas apalpá-la carinhosamente, que destino a cantora maluca teria ?Como uma sensação de um sorteio de cara ou coroa isso foi o que ficou em mim.
Como não nos fascinarmos por tais criaturas?
Aos louco de dentro e de do lado de fora do hospício.
Paz profunda.
Fabiano.

sábado, abril 26, 2008



Por favor, deixem o alienado em paz!

Tudo bem eu os desculpo.
Sei que tais noticias bombásticas de um mundo em delírio de violência satisfazem a todos que ficam regurgitando e tornando a engolir numa ânsia doentia pelo retalhos já decompostos das vitimas que todos os dias são as capas de nossos noticiários, que enfado,triste enfado é verdade é lamentável ver,saber e conhecer tudo isso e passivamente apenas balançar a cabeça e dizer coisas como que horror, que barbaridade, que injusto,que maldade...e o repertório é imenso, e então levantar-se da frente da televisão e ir dormir em paz como se nada tivesse acontecido.( e alguem me disse, quem não quiser ver que desligue a televisão...simples)
Crimes violentos, todos os dias ja é uma instituição informal em nosso mundo, certamente não é o primeiro e possivelmente não será o ultimo, e talvez o que me deixe levemente aborrecido é o fato de nos comportarmos como se nós não tivéssemos nada haver com isso e comentarmos e recomentarmos com todos para saber os últimos detalhes para sorver as ultimas gotas de sangue para nossa alegria morbida pessoal, e ainda termos a noção que toda a manifestação da impressa, das pessoas de alguma importância social,dos órgãos responsáveis irá conduzir tudo a um profundo esquecimento até o próximo modismo criminal vir a tona!
Quero e ficarei alienado.
Tenha a certeza todos somos responsáveis pela violência, todos, e acicatá-la com toda certeza não é solução é apenas mais violência em sentido contrario, como naturalmente TODA noticia é manipulada, nada é exatamente como é, é mais ou menos o que é, e cuidado com aqueles que dizem que a noticia é a mais fiel possível, claro, se todo este teatro viesse a dar algum resultado nobre bem ai seria outra coisa, se o escândalo fosse bem compreendido e servisse de reflexão para mudança em nossa vida, de nossas leis tudo bem, mas infelizmente meus amigos tudo é secundário o importante é quanto?!Quanto de dinheiro a tragédia rende ao cofres?Quanto mais tragédia mais dinheiro, quanto mais horror mais melhor para alguém, impressionante como o prazer viaja da mão de uma para outra pessoa o que é mais horrível? Os grandes déspotas da humanidade que eram autênticos e tinham um objetivo traçado e verdadeiro, ou os atuais chacais disfarçados de bons samaritanos que pegam o horror natural e o multiplicam alegando a inocência de seu trabalho?São profissionais do horror movidos por uma instituição que idolatra o que render mais.
E a culpa é de todos nós.
Fico pensando, quantos ainda precisaram morrer violentamente para que nossa sede sangue se aplaque?
É com tristeza que escrevo sabendo nada irá mudar, e que a dor de tantas pessoas é absolutamente inútil, milhares de lagrimas que ressecam ao sol da mais profunda indiferença, minha indiferença, tua indiferença, podem morrer tantas crianças, mulheres, adultos e idosos da forma mais Barbara possível porque eles não passam apenas de noticia que viramos a pagina depois de ler.
Não preciso mencionar que violência estou falando, você já sabe.
Quando perguntei para as pessoas o porque queriam saber tantos detalhes da violência ocorrida, as pessoas apenas me disseram bestamente mais ou menos assim:É, o pais inteiro quer saber quem matou, é todas pessoas estão se informando sobre isso, é isso foi uma coisa muito importante que aconteceu...e outras tantas respostas variantes destas...e então quando perguntei se alguém havia feito pelo menos uma oração simples para alma vitima... cuidem as respostas: Não, não lembrei, e ainda com sangue entre os dedos...na mente no coração que espaço para o bom gesto? Lógico meus amigos quando damos atenção demasiada isto cresce em nós em nosso coração e na vida,tomando caminhos justificados como indignação, revolta mas é a mesma violência a mesma ignorância..
Assim deixem o alienado em paz.
Decidi que não olharei mais nenhuma noticia, sinceramente não quero saber o que acontece ou vai acontecer, porque eu já sei o resultado final que sempre o mesmo e previsível principalmente em nosso pais.
Pois se saber tais informações nos conduzem a uma profunda indiferença institucional e então ao menos não saber deixará em meu coração um espaço para ficar em paz, ainda que esta paz seja feita de cadáveres em decomposição, mas como fazemos com as noticias é fácil é só trocar o canal ou virar a pagina que tudo fica bem e manter-se sorridente.
Apenas para constar e profetizar o obvio:
Todos os grande crimes em nosso pais que foram a júri, todos os criminosos não estão atrás das grades,poderia citar nomes e quem estiver interessado busque, desde de estupradores, esquartejadores, assassinos de crianças e outras tantas, então tenha plena consciência tudo um teatrinho de terror e nada mais.

Tentem ficar em paz.
Com meu respeito a vítima.


http://www.youtube.com/watch?v=qIt4x2A9sLg

Os crimes do Amor ou os
Pecados da Virtude !

Poucas emoções são mais detestáveis que as impressões físicas do “amor” romântico, não quero ser muito exagerado mas a sensação biológica é sem duvidas patológica, movida pela ansiedade,nervosismo e em grande parte dos casos com alguma insegurança em função da sentimentalidade alheia, a muito fiz a escolha de dispensar tal sensação que traz mais dano a alma humana que beneficio,justamente porque ela nunca é uma manifestação pura, escolhe caminhos os quais nosso primitivismo permeia.
Em primeira instancia até parece agradável ou esteticamente aceitável, mãos suando, preocupação com horário da chegada,coração acelerado, as ilusões que tal sentimento/sensação será perpétuo, os profundos devaneios a respeito da eternidade dos sentimentos, e eis ai talvez o primeiro pecado original,que a pessoa objeto do teu amor é a felicidade plenificada em tua vida, ao fazermos isso tiramos nossa responsabilidade de ser feliz e transferimos para ombros alheios, e claro junto com isso a culpa que se tudo ser em desastre!
Você acha mesmo que o outro é responsável pela tua felicidade?
Ao procedermos assim é porque desconhecemos e ou desejamos ignorar o que vem a ser felicidade e de onde ela parte, a felicidade advêm de um conjunto harmônico entre o que se passa fora e dentro de nossa vida, e uma compreensão do limite de ambas as fronteiras, logicamente quanto mais elementos você colocar em tua vida como fatores de complexidade é natural que tal sensação fica cada vez mais distante, a felicidade possível ao ser humano é uma anestesia da vida.
Aqui cabe uma breve colocação, não basta ter alguns pobres sentimentos para que tudo de certo na vida, ledo engano amigo, por vezes muito amar dá espaço para que a auto hostilização exista, pois é mais natural, aqui entra a verdadeira apreciação pois irá se fazer presente a realidade, passado o momento de devaneio e ilusões que as emoções românticas provocam, ali começa uma longa dança ou uma queda de braço, porque agora defeitos não serão mais disfarçados ou ignorados, e o mal cheiro não será maquiado com algum aromatizador frances, mas precisará ser assim?
Não, é lógico, porem é, para que tal situação possa dar certo é preciso que você entenda o ser humano em um contexto mais amplo, para então adaptar a regras do jogo, em minha breve experiência de vida aprendi que não existem pessoas notórias quando você as observa de perto e todos os dias, talvez o pouco respeito que tenho por algumas pessoas se faça pelo fato de eu mante-las longe de mim, não porque não queira ver o teu pior lado não, é simplesmente por saber que ele existe e claro isso me dá tédio.
Não é por você, é por mim e neste aspecto meu egoísmo é uma catedral!
Onde se perpetram os hediondos crimes do amor?
Na ignorância do que Ele seja em essência e mediante e nossa capacidade infinda de adulterá-lo em sua mais bela e nítida manifestação e com tais distorções fazermos dele o mais amplo e mais importante da nobreza do ser humano, mas deixemos as especulações e elucubrações a respeito daquilo que seja o amor e partamos para aquilo que fala mais alto em teu intimo, basta saber que toda emoção que tira o ser humano da sua “normalidade” harmônica nunca é saudável seja ele qual for, aí lembro que alguém mencionou para mim que não é possível alguém ser assim, não sentir tais coisas e que em verdade eu teria algum sentimento que em verdade guardo dentro de mim! Lamento, melhor não lamento, mas não tenho, embora não pareça, mas tais coisas são escolhas em nossa vida, quando você se condiciona que tal processo é, lógico que você ficará anexado a ele, uma dependência quase imbecil como todo e qualquer vicio humano.
Evito dependências.
É claro que existem outras nuances dos crimes do amor e a manifestações dos pecados da virtude, que são mais físicas e objetivas onde entram em jogo talvez não tanto sentimentos mais instintos mais brutais apreciáveis, onde a dor é um beneficio para acicatar o prazer uma dicotomia de felicidade e desespero, em uma fantasia de postura respeitável e por detrás das aparências quase lapidadas do Senhor, profundamente recatadas, poderá existir maior prazer que corromper as “santas” virtudes? Que conduzir o “inocente”para mergulhar nos abismos mais sensórios do prazer mórbido? Um duplo prazer diga-se de passagem ,porque se a surpresa do prazer é algo intenso é como um aprimoramento de algo mais que comum, nada mais me soa poético que olhar e perceber por detrás da candura doce e melancólica jaz uma devassidão que talvez seja o sustentáculo da virtude, sim, as vigas mestras da nobreza estão mergulhadas nos abismos lamacentos de nossos mais bizarros desejos, que calados não manifestamos ou que palidamente expomos, e como atores de vestimos nossos bem comportados personagens e tudo fica com uma aparência paradisíaca e um longo sorriso com todos os dentes.
Comecei falando de amor e terminei falando de pecado,balança da alma humana, mas é sereno para aqueles que entendem isso é bastante nítido, uma blasfêmia amorosa de minha parte tanto para quem ama como para os que desejam, pois o equilíbrio certamente não é o extremo de um ou outro lado.

Aos meus adoráveis pecadores(ras), que com cautela abusem dos seus próprios limites.
Paz em teu caminho.

Fabiano.

sexta-feira, abril 25, 2008

"O insuportavel não é só a dor,
mas a falta de sentindo da dor,e mais ainda
a dor da falta de sentindo."

Jacoia Jr.

quarta-feira, abril 23, 2008



Uma historia de uma vida...


Intróito

Não que eu pense que todas as pessoas seja malévolas em um sentido ambíguo da palavra, não é bem assim, embora tenha muito de verdade nesta apreciação de um modo geral as pessoas nunca perdem uma oportunidade de serem suavemente “sacanas” digamos que isso seja algo inato ao ser humano,se o desejo de estar em paz com a Divindade é uma aspiração, certamente o “pecado” é o exemplo do ato falho humano,bem no fundo profundamente disfarçado somos o que somos e nada mais, é inescapável, poderão existir maquiadores de Diabos, mas eles sempre serão o que são pura e simplesmente.Por isso talvez que sempre falo que é preciso dar desconto ao ser humano, quando olho para você vejo exatamente isso, nem tão puro,nem tão verdadeiro,nem totalmente falso, nem totalmente sujo, mas um breve potencial de todas estas coisas aguardando a oportunidade para encenar sua tragicomédia pessoal, aqui não existe nem maldade ou mesmo bondade mas antes sim acima desta bestial dualidade que enclausura mentes e corações.Talvez isso seja liberdade demais de minha parte, não ?
Sempre apreciei a vida dos insetos...certa vez existia uma formiguinha que sempre apreciava a beleza e a grandeza dos Louva-Deus, (para quem nunca teve a oportunidade de observar de perto o Louva-Deus é um inseto muito elegante, movimenta-se com graça e leveza, muito lentamente com cabeça erguida e dois braços mortais levemente estendidos para frente em forma de navalhas, e com toda esta elegância ele é um terrorista completo, um ataque rápido e preciso os outros insetos o temem...)mas a formiguinha achava o Louva-Deus lindo, embora fosse ele seu predador, coisa mais estranha de se idolatrar é como se nós endeusássemos a doença que carcome nossas entranhas, mas cada um sabe de si, por vezes um processo é terrível em sentindo negativo, mas absolutamente inteligente tendo uma qualidade muito especifica bela e precisa como o ataque de um Louva-Deus!
Vem dia e vai dia, e a nossa formiguinha fica ali observando o procedimento do louva deus,com sofisticação ele saboreava suas irmãs incautas que ficavam descuidadas, mas quando se entende a lei da natureza talvez isso não seja um choque tão grande,afinal quantas formigas você já matou, talvez entre risadas e profundo deboche?Que importância tem uma formiga afinal?Eu mesmo quando era criança as assassinava com martelo em uma profunda vingança pessoal...um dia conto esta historia.
Porem um dia destes a nossa formiguinha vou ver o ídolo Louva deus, e deparou-se com ele no chão agonizando em dor em seus ultimo suspiros,então aproximou-se lentamente dele e emulando o gesto arrogante e elegante de um louva-deus, tentando caminhar com toda a graça de um louva deus, uma formiga com transtorno de personalidade, então aproximou-se mais e perguntou:
-Então Louva-deus que aconteceu com a tua sorte hoje?
Com alguma dificuldade,o louva deus tentava responder:
-Uma aranha,uma aranha me atingiu em uma disputa por uma presa,ela foi mais rápida...e tossia...a morte se aproximava.
A formiguinha, apenas mostrou os dentes em sorriso sem som,e disse:
-Tu que eras tão elegante agora morres com um golpe de uma simples aranha, que é tão grosseira, deselegante, que morte mais infame, e como para coroar o momento de glória da formiguinha ela deu uma mordida no frágil pescoço do louva-deus que morreu na hora.A formiguinha agora não parecia mais uma formiguinha antes sim um louva-deus disfarçado de formiga, daquele em diante ela nunca mais foi a mesma.
Por vez é preciso acontecimentos extremos para revelar a nossa real intenção pessoal, uma vez que as pessoas não sabem de suas reações possíveis quando estão diante de algo que realmente mobiliza suas emoções e inteligência.
Fico pensando, que mais você disfarça?Seria o teu amor uma emulação?Seria a tua coragem covardia?Seria a tua dedicação a falsidade de uma justiça que aspira ser mais do que é realmente?
Nem bom e nem mau,apenas o que você é, nada mais.

Paz e luz em teu caminho.
Um breve levantar do véu encobre teu rosto.

Fabiano.

terça-feira, abril 22, 2008


Minha fiel, infidelidade...



Nunca fui muito de dar bola para tais conceitos, uma vez que nunca dependi das emoções alheias para me sentir feliz ou infeliz é claro que bem medido e bem entendido não quero dizer não precise de ninguém, apenas não ponho em mão alheia aquilo que depende única exclusivamente de mim, e essa é uma fronteira natural em a vida, porem como tudo que se segue ao ente humano é passível de ser torcido, distorcido e acomodado para que possa ser dimensionado em nossa concepção de vida como aprendemos que deveria ser!Estou me lixando para conceitos prontos e estratificados de como deveria ser o comportamento do ser humano, a busca da felicidade faz caminhos estranhos naturalmente seguindo aquilo que são valores intrínsecos nossos, propensão pessoal.Como todo ser humano que se preze é preciso ser hora santo e hora canalha, hora o pecado e hora a absolvição, e quando fala-se em equilíbrio é disso exatamente que se fala,porque isso é a nossa profunda autenticidade, não acredito em pessoas cem por cento honestas, e nem cem por cento desonestas elas são resultado do meio e de suas propriedades pessoais, o que ira predominar neste momento ?Só Deus sabe, se é que ele sabe.Então amigo(a) é um erro crasso tentar colocar em mão alheia aquilo que é a tua responsabilidade, porque se não fores feliz em ti, com tuas coisas e qualidade e defeitos, esqueça, não será “aquela”pessoa que também esta com suas pendências pessoais que irá fazer tu atingires o pináculo da tua felicidade, pensemos na lógica deste desimportante raciocínio, se você mesmo eventualmente “falha” com os planos que traças para ti mesmo e te frustras e ficas triste e sofres, tanto mais quando existe uma segunda ou terceira possibilidade em que depositas ardorosamente tuas esperanças em um coração alheio, tudo isso sem dares o devido desconto que aquele ser humano é somente humano e portanto propenso a tudo que cerca o ente humano,é claro que em um determinado momento ele irá falhar, e ai todos ficam tristes? É assim?Não sou simplista, mas não é assim que devem ser conduzidas as verdadeiras relações sadias, elas devem pairar acima disso, acima do mesquinho e das mesquinhas e limitadas emoções humanas, é dentro do respeito e da gentileza e principalmente troca de valores, isso é essencial, se não houver troca já esta estagnado, essa troca são os valores de nosso carinho a dimensão perfeita da fronteira que permite a mim e a ti sorver a mais pura felicidade que advêm de um enriquecimento mutuo, e aqui talvez as coisas fiquem mais complicadas, existe carinho, existe afeto para que possa haver harmonia existe distancia, essa distancia é o respeito para que te conserves o que és e eu também, pode o amor ser mais grandioso que isso?Falava hoje para meu amigo de um ato puro, que é aquele ato que fazemos totalmente desapegados de nossas misérias pessoais, uma entrega, um pássaro que libertamos, a fragrância natural que evolamos para o éter, puxa ato puro, totalmente expurgado de nossa mediocridade, as vezes conseguimos isso e neste momento pairamos acima do altruísmo,sereno e com paz.Não posso deixar de mencionar outras tantas coisas, é claro que quando comecei o texto a idéia era falar diminutamente de fidelidade e o que vem a ser isso, sinceramente não ligo para isso, posso dizer que neste ínterim não posso ser atingido, pois ser fiel é ser a si mesmo, a sua verdade a sua essência, não me refiro “atos”, mas aquilo que a tua verdade profunda em ti e que por vezes e muitas vezes mesmo adulteras,e tudo fica em silencio pecaminoso, você acha mesmo que isso é mais digno?Até entendo que disfarces para as outras pessoas, mas para ti mesmo seria coerente?Não sabes que quanto mais tempo ignorares tudo que se segue em teu interior maior o tempo que irá prevalecer nas zonas de obnubilação?É assim disfarçando,maquiando e ignorando, o que desejas que a paz, as bênçãos , a felicidade e o amor te brindem , é assim?Desculpe, mas não existem barganhas existenciais para isso. Se as regras são essas, o que posso dizer que estou quebrando-as a muito tempo e não pretendo voltar a atrás neste aspecto,até mesmo porque quando mais aprimorado o entendimento da vida mais andamos na contramão do senso comum, portanto é absolutamente natural.Certamente vocês ficaram curiosos em saber se isso valia para todas “fidelidades” possíveis, bem posso afirmar que é absolutamente correto, sendo eu o responsável pela minha felicidade eu não hesitaria em nenhum momento.




A verdade faz caminhos estranho, e como o amor assim também o faz, para aqueles que entendem sabem que um rio, apenas segue seu curso,pode se deter eventualmente diante de um breve obstáculo, mas então ele incha e o sobrepõe e vai alem...


Paz e luz em teu caminho.


Com meu profundo carinho.


Fabiano.

Luz Dos Olhos
Cássia Eller

Composição: Nando Reis

Ponho os meus olhos em você
Se você está
Dona dos meus olhos é você
Avião no ar
Dia pra esses olhos sem te ver
É como o chão do mar
Liga o radio a pilha a tv
Só pra você escutar
A nova música que eu fiz agora
Lá fora a rua vazia chora
Os meus olhos vidram ao te ver
São dois fãs, um par
Pus no olhos vidros pra poder
Melhor te enxergar
Luz nos olhos para anoitecer
É só você se afastar
Pinta os lábios para escrever
A sua boca em minha
Que a nossa música eu fiz agora
Lá fora a lua irradia a gloria
E eu te chamo
Eu te peço vem
Diga que você me quer
Porque eu te
Quero também
Faço as pazes lembrando
Passo as tardes tentando
Lhe telefonar
Cartazes te procurando
Aeronaves seguem pousando
Sem você desembarcar
Pra eu te dar a mão nessa hora
Levar as malas pro Fusca lá fora
E eu vou guiando
Eu te espero vem
Siga aonde vão meus pés
Porque eu te sigo tambémEu te amo, ooo...
Eu te peço vem
Diga que você me quer
Porque eu teQuero também...


segunda-feira, abril 21, 2008


Em torno de ti...

Embora não seja meu tema predileto em função de tantas coisas que se dizem em seu nome abro um breve espaço em minha carapaça para talvez obter uma hausto,uma inspiração, o assunto permanecerá oculto porque o grande entendimento das coisas que são verdadeiras são em verdade ocultas e permanecem ocultas ao longo de toda uma vida, um ocultismo que nos faz querer embora sem entender muito o que se deseja.
Pensava...
A mesma mão que acaricia teu rosto é a mesma que dilacera teu coração
A mão que lança luminescência em a existência, sim é a mesma que tisna de sombras toda uma vida,é preciso querer e esse querer precisa ser entendido e sobretudo meu amigo é preciso saber querer, e não ser um errante que mediante a própria limitação circunvaga e apenas isso.
Pudéssemos entende-lo em sua pura e simples manifestação e mediante o silencio apenas deixá-lo livre e fazer seu curso natural, e ele é tão imenso que não cabe em nossa acanhada personalidade simplória e por não dar em si, violenta-se, agride procura caminho naquilo que lhe mais aproximado por semelhança de contraponto.Com carinho e profundo muito alem pequenez que nos abarca profundamente , eu me pergunto e talvez sempre me perguntarei,porque insistimos em tornar impuro o que puro é em essência?E tantas são as respostas que com toda certeza nos perdemos em meandros, hora é o medo, hora a coragem excessiva, hora o meio, hora o tempo, hora eu e hora tu!
Pudéssemos desfraldar nos indumentárias metafóricas e simplesmente calar na fome e na sede a inegável e direta vontade de simplesmente ser.Sim mais um olhar ao horizonte, puxa quem pode negar a beleza inegável da natureza, mas o olhar não pode simplesmente por um instante fazer-nos entender aquilo que as vezes está mais que explicito, e que tudo já citado perde-se.
Então, ele acarinhou aquela camisa que era símbolo e tudo se podia viver e teria se vivido, como um arrimo de todos os seus sentimentos, um totem para um passado tão presente e tão caro para si, aqui meus amigos jaz o verdadeiro pecado original que é não entender a beleza casta de uma emoção e mesclá-la a hediondez de um mundo em delírio crepitante, sim onde cara aspiração digna do homem é a miscelânea dos desejos mais primitivos de um encarcerado,e quando um “livre” surge a turba ululante não se contem em converter o mais rapidamente o belo em comum.
Gostaria de não estar sendo tão verdadeiro em se tratando de emoções humanas mas como aprendi a muitas feitas, somente quem sem embriagou de tais emoções é que se torna imune a seus deletérios efeitos,e hoje por uma felicidade que a mim mesmo congratulo me se sinto plenificado sem sentir coisa alguma, nem ódio e nem amor, nem por do sol e luz do luar na lagoa e não deixo de apreciar é verdade apenas sei o seu exato tamanho e proporção, em se tratando de ser humano nada é tão amplo que não possa ser abarcada e nenhum infindo abismo é tão fundo que não possa se chegar lá!
Tão oculto, e tão simples.
Amor.

Paz e luz em teu caminho.
Com meu profundo carinho.
Fabiano.

“Tenho em mim uma superabundância que revela minhas
Infindas misérias, que aprecio com indiferença religiosa.”


Fabiano.

domingo, abril 20, 2008



It Might Be You (tradução)Poderia Ser Você


Stephen Bishop



Tempo...
Eu tenho passado o tempo observando os trens partindo,
[Por] toda minha vida....
Deitado na areia, observando aves marinhas voarem,
Desejando que houvesse
Alguém esperando em casa por mim
Algo está me dizendo que poderia ser você
Está me dizendo que poderia ser você[Por] toda minha vida...
Olhando para trás..
Enquanto namorados vão caminhando,[Por] toda minha vida...
Imaginando como eles se encontraram e o que faz isso durar...
Se eu encontrasse esse lugar,
Eu reconheceria o seu rosto?
Algo está me dizendo que poderia ser você...
Sim, está me dizendo que poderia ser você...
Tantos passeios quietos para andar
Tantos sonhos para despertar
E nós temos tanto amor para fazer...
Eu acho que vamos precisar de algum tempo,
Talvez tudo que precisamos seja tempo...
E está me dizendo que poderia ser você,[Por] toda minha vida...
Eu tenho economizado canções de amor e de ninar
E existe tanta coisa
Ninguém jamais ouviu antes...
Algo está me dizendo que poderia ser você,
Sim, está me dizendo que deve ser você..
E estou sentindo que será apenas você,[Por] toda minha vida...
É você,É você,
Que tenho aguardado[por] toda minha vida...
Talvez seja você,Talvez seja você [que]
Que tenho aguardado[por] toda minha vida...
Talvez seja você,
Talvez seja você, [que]
Que tenho aguardado,[por] toda minha vida...


Stephen Bishop ao vivo:
http://www.youtube.com/watch?v=TUJOnLOQVTY&feature=related



A mesma musica com imagens do filme:
http://www.youtube.com/watch?v=BFAPzbiGhow

Embora tal musica não tenha o meu perfil e nem mesmo o perfil do blog, o que me levou a publica-la foi o fato de ter acordado domingo pela manhã e ver o filme Tootsie que ja havia visto na decada de 8O, o filme é de 1982 com uma belissima atuação de Dustin Hoffman,embora o tema era comédia a atuação é drámatica.A musica final filme me reportou a uma época sui generis de minha vida eu contava na época com 10 anos e quando vi este filme lembro-me que chorei muito,pela beleza, pelo significado e foi onde me tornei fã de grandes atores como o citado.Poderia dizer não sentindo depressivo antes sim em apreciação de tempo e evolução, que ainda ali restava-me uma diminuta inocência.Apreciem a bela musica e linda voz de Stephen Bishop.

Com meu profundo respeito a mim mesmo.

Fabiano.

sábado, abril 19, 2008






Minha adorada Senilidade...

O problema de se dizer verdades a respeito de das coisas no contexto normal as pessoas não gostem de verdades, embora simulem que as apreciam é claro fica bastante claro que não basta dizer algo para se apreciar em essência e verdade,e dizer verdades também implica em ir na contra-mão do senso comum que diga-se de passagem é uma profunda imbecilidade coletiva, salvo algumas raras exceções, então para que ninguém diz nada muito incisivo e tudo fica “normal” ninguém se incomoda, ninguém pensa, ninguém torna-se nítido! Sem revolta alguma, mesmo na doçura é preciso a tempera que instiga, sem isso tudo é baço,fosco e opaco.
Sem duvidas que a felicidade é relativa, vinha caminhando e meu natural gosto para o bizarro em algumas circunstancias eventuais não pode deixar de perceber em uma rua da cidade Senhora da quarta,quinta e sexta idade sentadas ao sol, uma foto de cartão postal, quase uma poesia angelical se não fosse por um pequeno detalhe estético desimportante, estavam todas de saias pelos joelhos, sim eram realmente senhoras idosas, e ali estavam pegando o solzinho do final da manhã que para os dias de inverno inicial é um benção, mas voltemos ao detalhe, sentadas em pequenos banquinhos de madeira conhecidos como “moxinhos”e todas com as pernas escancaradas entre risadas,achei aquilo maravilhoso para dizer a verdade,nunca vi tantas calcinhas enormes de algodão branco reunidas, em primeiro momento pensei que era alguma manifestação,(coisas do mundo hodierno...as manifestações cada vez mais estranhas e bizarras,no nosso mundo existe espaço para tudo...)entre uma gaitada,risadas e pernas abertas, eu ia passando, apreciando o espetáculo, como dizer que não adorei o cenário?Minha mente ganhou asas ante tal inspiração onde imaginava que belos segredos aquelas lindas pernas guardariam em si, as virtudes, os pecados e suas marcas que eram estradas feitas de varizes, marcadas e tão expressivas que tanto mais aquelas penas não esculturais ou esculturais ao avesso teriam visto?
Bem pelo sorriso em suas faces podia-se presumir muitas coisas boas, ruins e pelas aberturas mais ainda,mas não sendo tão sardônico em seus encanecidos cabelos, nas marcas e rugas de seu rosto,nas manchinhas que a pele naturalmente envelhecida produz, um sorriso que somente as vovós tem, o carinho doce de um olhar que entende as fragilidades dos mais “novos”, e talvez até mesmo a minha, que se por um lado existia ali a presença da beleza que podia ser apreciada com distinção e profundo respeito de reverencia ao símbolo mítico ali proposto detalhe não venero a senilidade,mas sem duvida aprecio com a alma a experiência de uma ou mais vidas.
Em contraponto nos meus piores ou melhores momentos degustei o mórbido prazer de partes pudendas a mostra em um gosto que para muitos soa pervertido mas que aos paladares mais afinados entendem filosoficamente que tais prazeres estão além do toque e de usufruir literalmente,mas o prazer conspurcar ideais, romper com princípios que tanto a polidez artificial insiste em apontar como o certo.
Certo?
Eu passei, e entre um olhar discreto de canto de olho e profundamente proibitivo, e o suave cumprimentar de tão amáveis senhoras, onde retribui o sorriso mostrando todos os dentes em uma amostra talvez de minha avidez lacônica.
Não pude deixar de rir comigo mesmo.

Um ponto de vista é sempre solitário.
Lubricamente.
Com meu carinho
Fabiano.

sexta-feira, abril 18, 2008


Dei-te o melhor de mim, deite-se em mim
Descansa tua cabeça em meus afagos sinceros
E nada diz, teu silencio é fala diretamente a minha alma que
Em comunhão com a tua se felicita em regozijo de paz almejada.
O que ontem eras agora pouco diz e enaltece o que és e será sombra do que serás
Menos tão obvio e mais sereno em tua profundidade te despiste ante mim
E talvez mais bela do que nunca foste, vi o que não se vê como um presente ao meu espírito
E em minha infinda pequenez dei-me conta de mim e de ti e todos, num misto de paixão e compaixão que de mãos dadas me abraçavam.
Ontem?
Não me viste por que cruzavas tateante teus próprios caminhos, um pássaro tentando alçar seu primeiro vôo e naturalmente caindo..caindo..caindo para então voar.
Hoje ainda te daria o melhor de mim com toda a minha sinceridade,do presente que dás a mim eu retribuo afavelmente, gentilmente, carinhosamente...
Uma verdade e um hausto...eu te respeito e talvez seja a mais profunda entrega serena de um desprendido amor, por ti?
Não.
Pela grandeza que de alguma forma é promiscua, em mim, em ti e em a natureza.
Se pela caricia a ti te dobras e pela doçura és levada ao melhor de ti é certo que então conquistei-te não por mim, mas por ti mesma.
Te beijei sem lábios,
te toquei sem mãos,
te abracei sem braços,mas quando teu olhar tocou o meu foi como eu me fundisse em mim e em ti.
O que lamento?
Nada, não é lamento, é apenas a verdade pura e simples como o reflexo da lua na lagoa,ainda hoje não sei onde estas,se existes ou se virás a existir, qual será a tua forma ou cor,se estas no carinho do vento quando afagas meu rosto, ou no sorriso de alguém, nas lagrimas de outros,se vagas por campinas desconhecidas,mas de alguma forma eu te sinto,em minhas fantasias e devaneios mais profundos és a minha verdade e metade mais bela,ainda que não existas.

Paz profunda em teu caminho.
Com mais intenso carinho, aos que lêem
Sintam-se abraçados.

Luis Fabiano.

O Livro dos Dias
Legião Urbana
Composição: Renato Russo

Ausente o encanto antes cultivado
Percebo o mecanismo indiferente
Que teima em resgatar sem confiança
A essência do delito então sagrado
Meu coração não quer deixar
Meu corpo descansar
E teu desejo inverso é velho amigo
Já que o tenho sempre a meu lado
Hoje então aceitas pelo nome
O que perfeito entregas mas é tarde
Só daria certo aos dois que tentam
Se ainda embriagado pela fome
Exatos teu perdão e tua idade
O indulto a ti tomasse como bênção
Não esconda tristeza de mim
Todos se afastam quando o mundo está errado
Quando o que temos é um catálogo de erros
Quando precisamos de carinho
Força e cuidado
Este é o livro das flores
Este é o livro do destino
Este é o livro de nossos dias
Este é o dia de nossos amores

Como não dobrar-se ante a poesia doce,sensível e suave de Renato, aprecie com o coração dulcificado:

quinta-feira, abril 17, 2008



FILOSOFIA NA ALCOVA




Aqueles que tiveram oportunidade de se informar sobre a patologia do espírito humano, os que se interessam pelo estudo das anormalidades sexuais, não estranharão, evidentemente, este pesadelo monstruoso. Para estes, a presente obra valerá como um texto para estudo. Nenhum sexólogo, nenhum psiquiatra, poderá ignorar este documento. Aí está nossa justificação, ao publicá-lo.
Ainda mais. Para os leitores e mesmo para os inexperientes, esta leitura, estamos certos, jamais será perniciosa. O espírito são repelirá sua brutal pornografia e sua álgida libidinagem. Quem dispuser de um sólido patrimônio moral repudiará, automaticamente, as elucubrações extravagantes e infantis do autor e, certamente, robustecerá suas crenças e seus princípios ante a insanidade de seus cínicos argumentos. Aliás, para invocar ainda uma verdade consagrada: é preciso conhecer o mal para saber evitá-lo.

Da magnífica obra - Filosofia na Alcova – Marquês de Sade.

Eufemista...

Permitam-me ser agora mais que irônico quando as pessoas “normais” se debruçam sobre tais obscenidades dificilmente conseguem escapar a fatalidade do julgar, a este fato torna-se perceptivo que perde-se a imensidade de uma grandeza ao se proceder de forma limitada, se por vezes os horrores são chocantes a potencia subjacente a estes horrores é mais terrível ainda, da mesma maneira que se perde a imensas belezas tanto assim perde-se a verdade profundo que advém de toda nossas trevas não entendidas, a real ignorância não é não saber, é iludir-se com que presume-se saber.
É claro dentro de todas as grandezas e as baixezas do caráter humano sempre nos fixamos naquelas que mais é de nossa apreciação, se por um lado julgamos e achamos monstruosidades as paixões mais primitivas que se descontrolam em sinfonia dantesca, por outro lado nossa pequenez ante a infinita beleza que nos cerca nos torna não almejantes de algo sublime mas antes sim projeta sombra que termina por nos lançar em abismos, é estranho...
Pela nossa incapacidade de chegar aos pícaros de nossa essência nos voltamos para o que não é essência a nós.
Mas voltemos de nosso vôo imenso, quem não se diverte com o sexo?Não seja cínico ou anestésico, você adora, e adoraria fazer algo proibido é da sua natureza,básica de querer sentir o gozo Maximo, talvez as convenções não te deixem em paz, descanse, as convenções foram criadas para dar uma certa aparência de normalidade disfarçada, mas por dentro, sim, por dentro..vulcões tampados..Vesúvio..e outros tantos.Você acha que estou mentindo?Olhe para você mesmo, você não é tão bom como deveria ser, e nem tão anormal como não deveria, em um mundo caótico onde quase tudo tem uma conotação mais que pessoal, pode-se justificar o belo e o terrível como as luzes e sombras da tua ética.
Regozijai-vos pois tal dicotomia e atitude, de não a olhares nos olhos daquilo que sois vós então, serás hora a presa e hora o predador e quase nunca a paz.

Paz e luz em teu caminho.
Entre horrores e amores.
Luis Fabiano.

quarta-feira, abril 16, 2008



Da serie erros da Criação...

Um guerreiro sem sua lança!

Não faço pouco da patologia alheia, minha atitude sempre é de respeito mas é claro existem doenças e doenças, ninguém jamais riria de um doente terminal, de um câncer final ou qualquer outra doença grave dentro deste estilo, minha proposta não é desrespeitar mas antes sim terapêutico, se conseguimos rir de nós mesmo sob certas circunstancias caminhamos para a catarse e cura de nossa psique a sede de nossas doenças, assim deveriam ser as coisas, simples e boas, e fazerem seu caminho natural em busca da paz, como um exorcismo interior, talvez bizarro mas eficiente.
O nome dele era Herculano, tinha uma compleição forte, era alto por volta de um 1,87, braços definidos e abdômen feito de ferro, pernas grossas e um rosto aprazível, aparentemente tranqüilo, é claro que com este aspecto ele atraia muito o sexo o oposto e até alguns do mesmo sexo também, mas não fazia seu estilo, seu telefone celular mais parecia um telefone de delegacia ou de hospital, eram mensagens, telefonemas, fax, email enfim era mais que multimídia!
É ,com algo assim tão requestado ele tentava ter uma ou duas namoradas mais ou menos certas, mas as mulheres você sabe, não gostam de concorrência se é que isto era possível neste aspecto, Herculano era tão requerido, muito mesmo. Isso sempre fora assim, ele era muito belo.Mas vamos as compensações, é lógico que quando a natureza cunha alguém de tanta beleza certamente ela economizou energia em algum outro aspecto, mas qual seria este?
De fato eu desconhecia até conversar com ele, então em confissão quase sussurrante percebi a sua imensa e enciclopédica e infinita burrice, o assunto dele era tudo que se referia ao corpo, como eu me entedio rapidamente das pessoas, no caso dele foi instantâneo, não quis e não quero estender minha “amizade” com ele, não lamento, é algo profundamente cansativo.Por outro lado tive a feliz oportunidade de conhecer uma de suas amantes, Mana, pessoa feliz e mais ou menos alegre, dentro daquilo que se pode conceber, afinal namorado Herculano não conversava muito, mas oque ele dizia mesmo? E ai vamos malhar este abdômen ? Vamos fazer braço? E vamos flexionar pernas? E os Glúteos? Herculano era um disco quebrado, ecoando em uma mente vazia, pois sua energia estava toda em seus músculos(nada contra, estejam a vontade,cada um com suas idiotices...),repetia aquilo para Mana, que já não agüentava o mesmo assunto travado, Mana também por outro lado tinha as suas “necessidades”, bem aqui a coisa fica muito curiosa:Em confissão solene e de joelhos Mana me narrou os aspectos íntimos de amado Herculano,afirmando o tamanho de sua imensa “glava” do amor, que chegava a vinte e seis centímetros (confesso que naquele instante fiquei com síndrome de Pequeno Polegar, 26cm?puxa...)por mais de seis centímetros de largura, é claro que era algo muito incomum, e ela me narrava isso muito entusiasmada porem, contanto entre outras coisas o quanto o achava um homem belo de corpo e outras tantas coisas que tentava dar um ar de brilho artificial, como um boneco inflável animado.
Os detalhes mais curiosos, as pessoas sempre deixam para o final, então ela narrou o fato muito cômico, embora Herculano tivesse tal potencia sua “lança” do amor nunca se erguia potencialmente para o abate da vitima, em outras palavras eram vinte e seis centímetros de pura flacidez, era como uma terceira perna sem ossos apontando para baixo, Mana podia fazer todo o ritual do “amor” preliminar, acariciava, beijava, mordiscava, lambia, conversava e o maximo que ela conseguia era um semi-vida um lampejo do erguer-se e nada mais.O mais estranho era que Herculano insistia dizendo:Vai Mana meu amor, agora vai dar...vai...mais um pouquinho...estou sentindo que esta acontecendo algo. Porem era algo psicológico que estava acontecendo objetivamente e tristemente nada ...
Mana então sugeriu carinhosamente que ele procurasse um médico para tratar sua disfunção erétil, Herculano sorri amarelo e diz que não tem problema algum, na próxima vez conseguira, pois está cansado de tanto trabalhar, malhar etc.., é neste instante que a burrice e a malhação se encontravam, resolvia ir fazer exercícios e o problema persistia.
Mana chorava, queria a exclusividade queria sentir-se satisfeita, afinal ter quase sexo sem orgasmo, caricias não satisfazem a sensação de preenchimento...queixava-se ela,dizendo acabaria ficando com dos dedos finos de tanto...Mas isto é uma outra historia, Mana por si só daria um texto completo por suas características tão especiais, uma delas a insatisfação sexual(ninfomania?), mas em outra oportunidade narrarei.
Mas voltando ao nosso personagem, Hercules era muito requestado,com tudo ele era um guerreiro sem sua Lança, as outras tantas mulheres que o desejavam, não sabiam do enorme presente oculto entre suas pernas, é certo.
É muito triste ter razão o tempo todo,agora me permitam fustigar minha própria vaidade quando doutra feita escrevi que a natureza trabalha na linha da energia limitada e compensatória, sempre meus queridos leitores, sempre, o que aqui abunda lá certamente carece, tenha isso em sua mente.
Então Herculano ergue-se...e vai ele fazer seus exercícios para uma lança que nunca aponta para o céu ...

A fuga de qualquer coisa as vezes pode ser estratégica, mas é preciso
Perceber onde começa nosso excesso, pois que a obtusidade do pensar sempre é
Proteger-se, uma proteção fraca, tênue e provisória.
Paz e luz em teu caminho.

Fabiano.

terça-feira, abril 15, 2008

As Flores do Mal
Legião Urbana
Composição: Renato Russo

Eu quis você
E me perdi
Você não viu
E eu não senti
Não acredito nem vou julgar
Você sorriu, ficou e quis me provocar
Quis dar uma volta em todo o mundo
Mas não é bem assim que as coisas são
Seu interesse é só traição
E mentir é fácil demais
Mentir é fácil demais
Mentir é fácil demais
Mentir é fácil demais
Tua indecência não serve mais
Tão decadente e tanto faz
Quais são as regras?
O que ficou?
O seu cinismo essa sedução
Volta pro esgoto baby
Vê se alguém lhe quer
O que ficou é esse modelito da estação passada
Extorsão e drogas demais
Todos já sabem o que você faz
Teu perfume barato, teus truques banais
Você acabou ficando pra trás
Porque mentir é fácil demais
Mentir é fácil demais
Mentir é fácil demais
Mentir é fácil demais
Volta pro esgoto babye vê se alguém lhe quer
Aprecie poesia:

“...geralmente ,nós nos isolamos com tijolos e argamassa,mas confinamos os limites de nossas experiências de maneiras bem sutis.Se em toda a sua vida você leu apenas um jornal,será limitado radicalmente o espaço intelectual em que habita.Se só discute política com pessoas que compartilhem de suas opiniões gerais,esta erguendo outra cerca metafórica ao redor de seu próprio mundinho.Se você nunca tentou ver o mundo sob outro ponto de vista, está se recusando a olhar além dos muros do mundinho confortável que construiu para si mesmo."

Fonte:A Alegoria da caverna em A Republica de Platão.

segunda-feira, abril 14, 2008




Amante Virtual...

“Como muitas pessoas casadas por muitos anos, Dick estava entediado com seu relacionamento. Não havia mais paixão. Na verdade Dick e sua esposa quase não dormiam mais juntos. Entretanto Dick não tinha qualquer intenção de deixar sua mulher. Ele a amava e ela era uma mãe excelente para seus filhos.
Ele sabia muito bem qual a solução costumeira para esse problema: ter um caso.Você simplesmente aceita que sua mulher satisfaz alguma de suas necessidades, e a sua amante ,outras.Mas Dick na verdade não queria trair a esposa,e ele sabia que ela não ia conseguir lidar com uma relacionamento aberto mesmo que ele conseguisse.
Então quando Dick ouvi falar da Amante Virtual Inc.(Melhor que a de verdade...),ele pensou seriamente no assunto.A empresa oferecia a oportunidade de manter um caso virtual.Não ciber-sexo manual com uma pessoa do outro lado da conexão por computador,mas um ambiente de realidade virtual no qual você “dormia” com uma pessoa totalmente simulada .A sensação seria a mesma do sexo real,mas,na verdade ,todas as suas experiências seriam geradas por computadores que estimulariam seu cérebro para fazer com que parecesse a você como se estivesse fazendo sexo.Todas emoções de um caso,mas sem uma terceira pessoa , e , portanto, se um infidelidade real.


Por que ele dirá não ?”

O Porco Filosofo – Pag. 24.


Arte do engodo...

É muito difícil detectar quando algo começa acontecer em nosso intimo baseando-se puramente em nossas intenções expondo-o a nudez, sim, quando esta pode ser vislumbrada transforma-se em algo obvio em um jogo onde se pode ver o que se quiser ver ou deixar de ver dependendo naturalmente de interesses subjacentes a tua razão, falava isto com um conhecido sem importância alguma, em uma conversa informal de boteco, onde não existe compromisso de nada mais grave, onde os vapores da etílicos ambienta o plano de fundo, entre sarcasmos e risadas, a maioria de nos não dá atenção a algo assim, porem cuidado...assim seguimos o dialogo que logo caiu sobre o tema dos traídos e traidores, a traição!
Eu afirmei peremptoriamente que mediante argumentos sensatos embora fosse pego no ato reprovável de devassidão profunda certamente eu justificaria minha total e inegável inocência!!Todos riram, e eu também, mas na minha consciência eu sabia, que era verdade,a vantagens de contar verdade quanto todos estão bêbados é que por mais verdadeira que ela o seja sempre será ridicularizada, e este foi o tema exemplo que tirei, pois pessoas emocionalmente movidas por tais forças são mais ou menos como meus pseudo-amigos ébrios ,existem embriagues de muitas coisas, e cá entre nós em nome do dito “amor” é possível justificar até um homicídio qualificado.
Mas a titulo de entretenimento, para começar se você for relativamente inteligente, nunca seja pego,e quando fores pego em ato devasso de pecado antes de mais nada silencia tua boca, e tenta observar reprovativamente para a pessoa que sente-se injustiçada ou traída, bem isto serve para criar a duvida ante a verdade,e a partir deste instante não explique nada,se ou ele ela for agressiva(o) deixe a sua agressividade vir a tona, se for calma(o) seja mais calmo ainda, frio mesmo,se ela o acusar reprove-a pelo fato de estar vendo coisas onde não existem, mas o detalhe simples deste enredo psicológico, é que não se lance em explicações longas e detalhadas, pois isso é atestado de culpa e não use expressões de culpa as típicas...não é nada disso que você esta pensando...relaxe, quando existe algum sentimento geralmente isso é que prevalece acima de uma imagem não bem nítida, a imagem daquilo que se deseja ver daquilo que se espera, sonha e realiza-se, não peça desculpa jamais, tenha atitude que o seu ato é o mais correto possível, e ai entra em cena o melhor argumento de todos.Bem quando a pessoa baixar a guarda, e tiver acalmado-se e claro e evidentemente exigir uma explicação, você já terá tido tempo de pensar em algo, mas nada de detalhes, conte uma historia idiota simples e muito obvia,não peça desculpas ainda,observe, seja incisivo e direto, faça uma comparação entre o tempo decorrido da relação e sentimentos e o acontecimento especifico naquele instante ocorrido, coloque ambos em uma balança e mande o parceiro e parceira escolher,com um jogo de pôquer o blefe é tudo, se ela(e) forem muito passionais mude-se uns dias, dizendo não suportar a crises de ciúmes...(por vezes é preciso pagar um preço alto para o engodo...)mas exatamente como a fé comprova-se pelos atos assim também os atos reprováveis assim o são princípios da Magia antiga,onde o esforço é a chave que abre-nos possibilidades e por vezes ferir-se para se fazer acreditar.
Bom, mas é claro amigo(a) só faça isso se a relação realmente valer a pena por vezes as gafes acontecem e talvez como Dick você não queria comprometer a sua relação,sexo eventual é algo besta em relação a uma vida cuja emoção é profunda, em que existe amizade e respeito,e a convivência,estas coisas valem são importantes, são a base da estrutura familiar de nossa sociedade,e neste aspecto passo em defesa das mulheres, elas realmente traem menos.O pobre Dick estava num dilema,mas o que o coitado talvez não se perceba é que, não é o habito que faz o monge,mas a intenção o contexto subjacente ao ato,móvel ele encontrava-se insatisfeito, e sua mulher certamente também, mas o contexto da relação era boa mas não plena, ele queria paixão erótica e sensual e ela talvez também,mas não se viam mais como homem e mulher, eram uma família mamãe e papai e isto muda tudo, para o Papai a Mamãe não é uma mulher e vice versa,é impossível conceber paixões profundamente eróticas para a maioria dos homens em relação a sua mulher, pois ela tornou-se uma santa!
Que tédio!
Sinceramente , eu não acredito nisso, para mim as “santas” esposas(os) devem ser mais devassas(os) que e mais profissional das prostituta(os) em sua arte de dar e claro receber prazer,sejam intensos e surpreendentes e sobretudo amem-se da maneira como puderem entender o que seja isso, tenho certeza que isso é possível.
Mas claro tudo isso só deve ser procedido se ele ou ela tem importância para você e para sua vida, mas se for apenas mais uma relação que você tenha, bem...então são apenas mais um...simplesmente esqueça,existem coisas que ao valem a pena ainda que sejam alguns seres humanos,mas é assunto é longo demais...

Decididamente não tenho controle mais sobre o que escrevo,talvez como Dick inebriado não mais pela pena,mas o teclado e um mouse.
Minha razão, ironia e emoções tornaram-se uma nau a qual o vento leva para onde ficar mais aprazível,abro mão de ser o timoneiro por acreditar nos bons ventos da vida!
Paz e luz em teu caminho.
Fabiano.

sábado, abril 12, 2008


Can't Stop Loving You
(Não posso parar de amar você)
Ray Charles
Composição: Ray Charles

Já fiz minha cabeça
Pra viver com a memória de tempos solitários
Não posso parar de amar você)
É inútil dizer
Então só vou viver minha vida dos sonhos de ontem
Sonhos de ontem)
Aquelas horas felizes que tivemos
Aqueles tempos atrás, ainda me deixam tristes
Dizem que o tempo cura um coração machucado
Mas o tempo não passou desde que nos separamos
(Não posso parar de amar você)
Já fiz minha cabeça
Pra viver com a memória de tempos solitários
(Não posso deixar de querer você)
É inútil dizer
Então só vou viver minha vida dos sonhos de ontem
(Aquelas horas felizes)
Aquelas horas felizes
(Que tivemos)
Que tivemos
(Aqueles tempos atrás)
Aqueles tempos atrás
(Ainda me deixam triste)
(inda me deixam triste Dizem que o tempo)
Dizem que o tempo
(Cura um coração partido)
cura um coração partido
Mas o tempo não passou)
Mas o tempo não passou
(Desde que nos separamos)
Desde que nos separamos
Não posso parar de amar você)
Eu disse, já fiz minha cabeça
Pra viver com a memória de tempos solitários
(Não posso deixar de querer você)
É inútil dizer
Então só vou viver minha vida dos sonhos de ontem
(De ontem)

A musica é linda demais e a luz do talento de Ray Charles ganha a grandeza emotiva na exata proporção o justo equilibrio.
Aprecie com gentileza.