Pesquisar este blog

sábado, maio 31, 2014

Kátia



Kátia

Katia odiava concorrência
Para ela as outras mulheres eram todas melhores...
Então tudo virava uma disputa
Mediocridades venerando o desastre

Katia articulava
Katia mentia
Katia beijo de judas

Mar nem sempre foi assim
Você não sabe da historia...
Eram perguntas que ela nunca fazia
Respostas que não queria
Lacunas deixadas para outro dia
Não gostava de Katia
Não pelo jogo sujo, mas por sua negação
Para ela a resposta eram os outros
E dela o que viria?

Katia controlando seu homem
Katia no emprego perfeito e perfeita
Katia jogando a culpa em você

Então cansado de Katia
Parei a sua frente
Estava disposto a coloca-la no de frente ao espelho
Diante do luar
Por vezes podemos escapar
Mas não para sempre

Parei olhando nos seus olhos
Como o predador vigiando
E disse: Katia porquê? Porque?
E ela tentou escapar, mas a contive - porque?

Katia flores de raiva
Katia medo da verdade
Katia juízo final

Uma capa de cristal
Archotes de erros desmedidos
A desmedida chama em ti
Coa a tua dor, teu amor...
E nos retalhos daquilo que te desespera
Entorna o ninho do teu renascimento

Katia chorou...
E pela primeira vez...
conseguiu ver.


Luís Fabiano.

Navalhadas Curtas - Pipocos ??




Navalhas Curtas – Pipocos?

Sigo meus instintos, sem limites. Tava por uma de pegar uma puta de rua. Sofro de amor desesperado. Chego na Coronel Pedro Osório, caminhando como um vagabundo, num sábado a tarde.
Logo rapidamente uma se apresenta... eu não escolho, sou escolhido pelas putas.

-Quanto é o programa – pergunto
-No motel e tal, é quarenta pila... no outro local ai já é cinquenta...

Olhei bem pra ela, vestia simples e esconda uma bunda as grandes... meu fraco fatal. Sempre olho a bunda de todas as mulheres que conheço... possivelmente eu olhe a tua também...

-Ok então, vamos pro motel...
-Opaaaa, mas eu posso tomar um banho primeiro né?
-Claro...banho é bacana...

Ela tem vinte e três anos, mas aparenta quarenta e três...que merda.
Chegamos ao motel. Ela se despe na minha frente, na sombra do quarto, então ela vai para luz... puta que o pariu...

O corpo dela é coberto de espinhas de vários tamanhos, algumas meio estouradas... era uma visão hedionda da vida... Fiquei olhando aquilo, enquanto ela se banhava, e mergulhei em um impasse existencial – comer ou não comer eis a questão? Aquelas espinhas eram meio nojentas...

Mas toquei no meu pau, e ele estava duro ou se encaminhando para isso... então eu espremi todas aquelas espinhas. Afinal o que é uma espinha pra quem já colocou a boca em lugares piores...


Luís Fabiano.


quinta-feira, maio 29, 2014

Pérola do dia:



Cu Largo



Cu Largo

Eis a humanidade digna de pena...
Elevando desejos democráticos
No afago dos calhordas
A luz e do grito dos idiotas semeados no horizonte
Tal pensamento bailou em seu íntimo frágil de ferida...
Quando ao cagar, ela percebeu o que depositou no vaso
E num olhar sereno de espanto
Imaginou a merda viva...
Como era grande
Ainda que o cheiro fosse uma hecatombe
Eis a estranheza humana...
O dar-se conta filosófico
O satori hediondo

Então com alma de um Sherlock
Foi enfiando os dedos no próprio cu percebendo a textura cremosa...
As mulheres nunca tocam no próprio cu assim... cagado...
E seus dedos bailarinos...foram entrando um a um...
Entrando
Entrando
Um
Dois
Três
Quatro...
Mas o dedão se negou...
Então percebeu sua verdade como uma doença revelada...
O seu cu era imenso...
Um cu muito grande...
O conhecer-se é essencial...
Você se conhece assim?
Um cu guloso
Rasgado e abençoado
Num sorriso vertical do demônio
Portal dimensional do prazer

E ela teve orgulho da abertura
O trauma converte-se em infâmia
A infâmia sedenta de prazer
E desde então...passou a exibir o cu para suas amigas(os)...
Rindo quando elas reagiam reprovando
Porque assim como seus cus eram fechados...
Estreitas eram as suas almas
Que não chegariam aos extremos da existência
Teriam a vida pastel
Feita de sonhos comuns
Verdade comum
Final comum
É isso que você deseja?

E jamais tocaram a verdade nua pois
Isto é o que esperado ditatorialmente
Nos músculos morais que sociedade pinta...
Mas ali naquele sanitário
Convertido em templo...
O resultado converteu-se em virtude
Fazer do resultado
A felicidade
E ainda que nada aconteça
Deve-se estar em paz.

Luís Fabiano.


quarta-feira, maio 28, 2014

Trecho solto...


"Trecho solto...

EugênieComo estou contente de ter sido a causa! Mas minha cara, não entendi uma palavra que deixaste escapar. O que entendes pela expressão puta? Perdoa-me, mas, como sabes, estou aqui para ser instruída.

Saint-Ange Lindinha, chama-se deste modo a vítimas públicas, do deboche dos homens, sempre prontas a se entregar ao temperamento deles ou ao seu interesse.

São felizes e respeitáveis criaturas, que a opinião difama, mas a volúpia coroa; e que ,bem mais necessárias a sociedade do que as recatadas, tem a coragem de sacrificar, para servi-la, a consideração que esta sociedade ousa lhes tirar injustamente.

Vivam as que se sentem honradas com este título! Eis as mulheres verdadeiramente amáveis, as únicas filosofas de verdade!

Quanto a mim, minha cara, há doze anos trabalho para merece-lo, asseguro-te que longe de me escandalizar, ele muito me diverte. Ou melhor: adoro que me chamem assim quando me fodem. Esta ofensa ferve-me a cabeça.


Extraído da Obra – A Filosofia na Alcova
Autor- Marques de Sade
Editora Iluminuras páginas – 36,37.




terça-feira, maio 27, 2014

Ruas de Pelotas



Ruas de Pelotas

Eles estão na tua esquina
Quando não vês
Passam por ti e até cumprimentam
Nestas mesmas ruas que recebem bons e maus
Com a chaga do inesperado
Estas ruas de Pelotas

Que a noite desmaiam neons
De luares refletidos em sarjetas
E insegurança...
Insegurança...
Insegurança galopante
Estas ruas, tuas ruas, minhas ruas
De todo lugar
Aquecendo o medo
Em um frio inverno que chega
Rua de bondade
Rua de crime

Vielas tortuosas despejando noite
Por vezes não vemos
Não sabemos
Não queremos
Ruas que te perdem
Reféns entoando canto de liberdade
Maquiando tudo numa beleza feita de suposições

Ruas de Pelotas
Dia, sol e brilho
Crianças brincando
E lá no outro lado da cidade rajadas
Fuzis, tiros e dinheiro que se vai...
E depois silencio
Ruas de Pelotas...

Um amigo espancado porque não tinha dinheiro quando foi assaltado
Pagando o preço do sangue...
Para virar notícia do jornal local amanhã...
É isso
Somos a notícia do amanhã...
E será que você não será a notícia?
Eu espero que não
Eu espero que tudo termine bem...
Embora não saiba como.

Luís Fabiano.



Poesia Fotográfica



Pérola do dia:



segunda-feira, maio 26, 2014

Breve no Fio da Navalha



Lambedoras de Cu



Lambedoras de Cu

Elas são ousadas
Leves como um sonho
Beijam suavemente
A sombra e a luz de peles nuas
E por alguns segundos esqueça tudo

Esqueça o certo e o errado
Alivie o laço
O traço e o rancor das posições certas...
Elas vem sobre você
Língua salivando sedentas
Deslizando a armadilha
Escorregadias em ti
Entre frestas
Dobras e seivas

Ela é a serpente se enrodilhando no meu pau
Devassando queres de vidro
Emoções tremulas
Descrevendo a historia
Ela me mama eu mamo nela
Anjos esfarrapados
Recendendo no papel
Nossos papeis
Com fiapos de alma
Satélites gosmentos
Cagando visões funestas
Língua afiada como um Fio da Navalha
Dilacerando o que ignoro

E ela chupa minha teta a espera de leite que não vem
E nosso cus cagam
O amor em estrela meladas
Antes do amanhecer.


Luís Fabiano.



domingo, maio 25, 2014

Pérola do dia:




"Existem momentos da vida em que 
os grandes lábios se convertem em 
culhões".

Dra. Shirley.

sexta-feira, maio 23, 2014

Momento Boa Música


            Fechando a Semana         

Moyseis  Marques -  Ao Nosso Amor Maior' e 'Profissão" 




quinta-feira, maio 22, 2014

Trecho SOlto


"Trecho SOlto...

" Convencei-vos em sua escola que, só estendendo
a esfera de seus gostos e de suas fantasias, só sacrificando tudo a volúpia, o infeliz individuo denominado homem,  jogado a contragosto neste triste universo conseguirá semear algumas rosas sobre os espinhos da vida".

Marquês de Sade

Retirado desta obra.

Cecilia a Maldita




Cecília a Maldita

Detesto pessoas que meio más ou meio boas. Prefiro os tipos íntegros e raros. Difícil de encontrar, quase ninguém está disposto a assumir sua bondade ou sua sombra.
Preferimos a dissimulação calculista e hipócrita. Isso, somos todos em uma hora ou outra, hipócritas. É o pior tipo, é o cara que diz o que não é... seria você?
Agora leitor que você percebeu que é tão filho da puta quanto eu, podemos seguir nosso papo.

Noite, apartamento na semi-escuridão, na solidão, nem tão sozinho, um copo de rum bem cheio me acompanha. Paz dos malditos e meu sereno estar.
Estou encostado na cama, olhando um vídeo de putaria... um vídeo animado. Meu pau ta duro e pulsando como uma rocha, na tela plana, duas mulheres agora se chupam intensamente, com sofreguidão, gemem gostoso suavemente com a boca colada a buceta uma da outra...

Eram uma poesia visceral, molhadas cuspiam uma na xoxota da outra. Gosto de ver tais vídeos. Meu pau duro, vou acariciando de leve, bem devagar...gosto de masturbar um prazer solitário que da uma paz...
As meninas cuspindo me inspiram ideias: dou também uma boa cuspida na minha mão, cuspida grossa e começo a acariciar o pau molhadinho. Isso é bom leitor. Esteja tranquilo e se entregue ao prazer.

Ali sonho com todas as mulheres e nenhuma, quero ser engolido por uma buceta carnívora, quero seus dentes afiados me triturando como uma digestão, eu quero ser a cobaia de um parto às avessas.
O material ta bem duro, a porra esta na portinha e então, como um cometa de desespero rasgando o prazer, o celular brilha e um impasse surge: gozar com as putas do vídeo ou atender Cecilia? Ser ou não ser, eis a questão? Shakespeare me entenderia. Decido não gozar agora, gosto de prolongar o prazer. Foda-se.

Cecilia é uma amiga, ou melhor uma coisa meio estranha. Tenho por ela um misto de admiração e asco. Ela é uma cadela, uma vaca, uma víbora. O pesadelo de alguns homens. Cecilia é uma... louca e maravilhosa.
Mas que esta puta queria a uma da manhã?
Meu pau duro, tenho uma ereção que demora a se desfazer! Atendo.

-Puta que pariu Cecilia... que foi?
-Fabiano, Fabiano boa noite querido, tu és advogado né?

Advogado?? Eu? Mas saquei na hora, ela devia ta mentindo pra alguém... respondo:

-Claro que sim...sou porque?
-Porque o Josias ele tá aqui...
-Quem é Josias??
-Isso mesmo, ele quer o dinheiro de volta do investimento na nossa casa, quando estávamos casados... Passa pra ele ai.

A vida é uma arte as vezes...e tratando como arte   você pode mentir.  Ela passa o telefone pra ele, agora eu era hora de mentir...

-Boa noite senhor Josias. Antes de mais nada, seu Josias quero comunicar que a ligação esta sendo gravada para que fique registrado, e tudo aqui dito é usado como prova real.

-Ta e a daí?
-Então perfeito seu Josias... podemos prosseguir seguramente...
-Seguramente os caralho! Seguinte essa puta aqui tem que me dar o dinheiro se não chinela vai cantar...

Ele tava aborrecido. Cecilia enganou ele, este é o estilo dela. E agora:

-Se acalme seu Josias podemos resolver isso com uma boa conversa... a violência irá criar mais problemas para todos os lados...
-Tu vai me a grana que ela me deve?
-Não vou dar nada. É preciso ver os acordos anteriores a relação...quando os investimentos foram realizados... o senhor estabeleceu isso?
-Isso o que?
-Os acordos pré-nupciais?
-Antes do casório?
-É...o que foi acertado?
-Foi acertado porra nenhuma...nada...e nada tem documento...
-Pois então seu Josias, isso é um fator complicador, o senhor terá de entrar com uma ação.
-A ação que vou fazer, é dá um pau neste vagabunda...
-Bem seu Josias o senhor não está me deixando alternativas, eu devo prestar uma queixa agora contra o senhor na delegacia de mulheres? Lembre-se a lei Maria da Penha... o senhor vai pro xilindró? Ta ligado seu porra? Quer mofar na cadeia? E ainda vão comer o teu cú? Ta me entendo meu??

O telefone ficou um silencio meditativo... acho que consegui captar atenção do indivíduo. Ouvia a respiração dele:

-Então o que devo fazer?
-O senhor primeiramente terá que sair daí... procurar o seu advogado para requerer seus direitos e partir disso estaremos embasados na lei a partilha dos bens poderá ocorrer...mas por agora se acalme, vá para casa...e tudo vai dar certo.

Ele passa o telefone para Cecilia.

-Seu Fabiano obrigada, qualquer problema eu torno a telefonar.

Ela desliga o fone, meu pau ta mole...as meninas na tela não estão se chupando mais. De alguma forma tudo havia passado...havia tanta sincronização em tudo...as merdas existências...Cecilia teria de pagar de alguma forma. Eu acho. Você não acha também?

Me encostei na cama...mas nada era como antes, nada...porque ficaria ali? Não tem sentido. Nada tem sentido. Cansei da merda toda e decidi ir pra rua... eu ia seguir te contando as coisas...mas a sinceridade não me deixa, eu sai pra rua e nada aconteceu nada mesmo... e essa noite sem graça eu apenas eu adormeci o sono do brochas. Boa noite.


Luís Fabiano.


quarta-feira, maio 21, 2014

Seli Maurício - Praça da Paz


    Seli Maurício -  Praça da Paz    


Uma abordagem simples de um local especial.
 Com uma artista notável, que delicadamente trás seu mundo através da sua arte, seus traços, suas cores e emoção plena.

A Praça da Paz de Seli Maurício por ela mesma.



Fio da Navalha.






Pérola do dia:




Poesia Fotográfica



Bem...vocês sabem que tenho um fetiche por ela, não sabem ?
Monalisa, eu te comeria !

Fio da Navalha


terça-feira, maio 20, 2014

Dica de Filme: E Aí Hendrix? London Experience




Dica de Filme:  E Aí Hendrix?London Experience

Puta que pariu... essa é a verdade – A guitarra depois desse cara, nunca mais foi a mesma! Nunca mais.

Hendrix era foda, um talento atômico e devastador, a ponto deixar guitarristas contemporâneos dele, como Eric Clapton e Jimmy Page tristes...  e eles confessaram – olhar este cara, não faz bem pra gente...

É isso, o filme evoca personagens ainda vivos, que tiveram a honra de convier com Jimi Hendrix, seus produtores e amigos. O Doc tem uma carga emotiva considerável, e é uma porrada para os apreciadores da história do Rock.

E tem mais Jimi Hendrix esta para guitarra assim como Cristo para história.
Confere ai o trailer e se quiser o filme tem no You Tube.



Luís Fabiano.

Navalhadas Curtas: Amor rima com fedor




Navalhadas Curtas: Amor rima com fedor
  
É isso ai... estamos naquelas... de ladinho ta ligado?
O pau fazia a sua exploração suave, gostoso e bem molhado como deve ser, uma poesia sensual sem voz, sem palavras. Caralho como é bom. O pau esfregando entre os lábios da buceta.

Sonados mais ou menos... então como um grito de um falcão ela começa a mexer a bunda como se quisesse esconder o mundo... não dei bola...
E ela peida um peido tão alto e fedorento que ecoaria pelo Grand Canyon... então ela diz:

-Desculpe amor...tentei segurar de todas as formas, mas ele me venceu...

Eu tossindo: claro, claro ta tudo certo...a vontade.
Mas que ela havia comido? Carniça vencida?
Aquele peido era uma aura de fedor eterno, meu pau deu uma leve amolecida... então para não deixar meu ego por baixo... peidei também... o peido tocou a sétima trombeta do apocalipse...

Então nos cobrimos mais...e ficamos os dois imersos entre desejos e fedor enquanto tudo ainda seguia molhadinho.

Luís Fabiano.




sábado, maio 17, 2014

O alienado Feliz



O alienado Feliz

Eis a cena:
Um bobo sentado a frente da Tevê muda
Olhando a novela, o jornal e o balé
Enquanto uma guerra explode longe daqui

Teu emprego
Teu filho
Teu amor

Uma criança drogada sumindo lentamente
O vizinho pensando em suicídio
E uma doença que não conhece em pessoas que você não reconhece

Teu carro bonito
Teu corpo perfeito
A conta bancaria positiva
Teu arrependimentos adormecidos
A palavra não dita
Mortes que chegam sem avisar
O teu sorriso fácil
Teu filho aprovado
O medicamento fazendo efeito
A consciência inquieta
Cheiro desagradável
A rosa que secou

Então você sorri a agonia dos felizes
Deixando dias e noites beijarem tua melhor face
E não seria diferente
Construímos nosso viver com a certezas frágeis do tempo
Infeliz ou feliz
Mas necessariamente precisa ser verdade
Aumente o volume aí.



Luís Fabiano


Momento Boa Música - Ricardo Fragoso


Momento Boa Música

Ricardo Fragoso - Artista Pelotense

Música - O Mar Me Chama

quarta-feira, maio 14, 2014

Pelotas Tatuada


      PELOTAS TATUADA       



- Rua Tiradentes n 2614 - 


Final - Urso Pardo, Papueira, tragos e putaria.


Urso Pardo, Papueira, tragos e putaria.


The End

Consigo meu espaço, meu feudo, minha ilha na explodindo na solidão de todos. Olho a coroa com cara de puta. Gosto de putas, todas elas...as boas e ruins. Consigo uma boa cerveja e fico ali olhando pra ela... ficamos desenhando através do olhar caracteres medonhos de nossas loucuras não ditas.

Puta, putaria desenfreada maravilhosa capaz de nos dar tudo... de bom e de ruim. É assim que vivo, é assim que desejo, e de uma maneira muito tranquila estou cagando para as regras que você criou meu caro leitor!

A cerveja desce como um veneno maravilhoso despertando mais desejos... toco no meu pau...por cima da calça e olho pra velha, ali na rua mesmo. Ela tem a cara da existência... visivelmente chapada de pó... tem aquele sorriso de lado... e isso a deixava melhor. Ligo o foda-se existencial... sorrio pra ela. Ela não tem nada a perder... e nem eu.

Eu a chamo para mesa... e ela me chama pra dela... ficamos nesse joguinho besta. Olho bem pra ela...é velha, magra, tetas chupadas, tatuada e parecia que não era muito adepta do banho. Gosto do cheiro humano...seja ele qual for...gosto do fedor que exala do rabo sujo, do cheiro de ranço debaixo das tetas suadas... e da buceta exalando o perfume de mijo eterno.

Gosto de pensar isso, me excita...cara leitor. Neste momento em que teus olhos percorrem as linhas a procura do sentido, meu pau esta duro... duro como as pedreiras do Capão do Leão, duro e saindo um suco de prazer na cabeça! Sim leitor escrevo de pau duro... e não faria isso de outra maneira. Você tem e terá o meu pior e meu melhor, sobretudo minha verdade que é desagradável tantas vezes. Agora estou tocando uma breve punheta antes de seguir escrevendo pra você... você gozara comigo leitor... e seremos todos infames como todos o são no quarto escuro!

Por fim a velha resolve vir pra minha mesa:

-Porra menino...tu és jogo duro hein? Que te custava vir até ali...
-Tudo custa algo mulé...tudo... mas que bom que tu veio pra cá! Gostei de ti...sabia?
-Que direto assim amor?
-Esquece o amor... tuas pernas secas são lindas...t eu olhar perdido me encontra... tu és a poesia dos fudidos meu bem!!

Ela gargalha loucamente, chamamos atenção no Papueira... gostei daquilo...ela não iria embora...sei quando tenho uma buceta na mão. Como um torturador acostumado a bater, arrancando suor e sangue lentamente da vitima, fazendo a verdade brotar espontaneamente.

-Cara tu é doido... tu achas mesmo que com esse papinho besta tu vais me comer?
-Que você queria? A teoria da relatividade ou nona sinfonia? Pra comer tem que ser um papinho besta, o chamado da natureza...é simples...uma pica...e uma buceta e um encontro.
-Como tu sabes que eu tenho buceta cara?
-Isso depois a gente vê ...
-É assim que tu pensas?
-Não... mas ta valendo...

Nisso chega um amigo dela na mesa.
Um cara alto barbudão, estilho Woodstock. Sentou e queira papo geral. Aqueles cara que querem ser amigão de todo mundo sabe como é? Esses caras são foda. Então ela fala:

-Getúlio esse é o...
-Fabiano, prazer...
-Claro que é prazer...e o prazer é todo meu viu... – disse o cara.

Senti o drama, o amor surge nos lugares onde menos podemos prever. Elementos diferentes no jogo surgem... você precisa trabalhar as ideias. A velha me interessava o woodstock não. Fiquei em silencio...e eles falavam:

-E então Getúlio, conseguiu desenrolar o esquema aquele?
-Claro amor...o que eu não consigo desenrolar...sabes que sou dotada né...

Eu os observava, aquilo parecia jogada ensaiada. Que merda. Caro leitor e não tenho nada contra o cu. Nem o meu e nem o de ninguém... mas minha preferência é um cu feminino...apenas isso. Cu sem pelos é  melhor... acompanhado de uma buceta com pelos... tudo pra viagem.

Getúlio agora me olhava nos olhos... queria flertar comigo. Eu era uma mosca no mijo... eles estavam armando pra mim... é isso você precisa ligar o radar dos filhos da puta! Eu o rato fugindo da armadilha...minha voz se perdia na multidão. Talvez aquele momento fosse o momento de pular fora rapido, sabem quando uma sirene liga? Mas não...que merda eu não pulo fora. Então a velha diz:

-E ai...Fabiano...a gente ta afim de fuder viu... mas assim, o Getúlio aqui é meu amigo... e eu gosto de duas picas em mim...que tu achas? Quero duas pirocas hoje...

Não respondi nada. Pensei apenas.

-Que é Fabiano, ficou com medo? Não gosta de suruba não? Eu do conta dos dois direitinho... meu cu se come sem cuspe...viu? Um na buceta e outro no cu...
-Não tenho medo de nada não... ta valendo...vamos matar a cerveja.
Lembrei de Raul Seixas – quando você tem entrar num buraco de ratos, de ratos você tem que transar!!

O preço de uma buceta qual é? Mais barato ou mais caro que a alma? Sempre quis descobrir. Imediatamente me tornei disposto a tudo. Gosto de desafios, fui sabendo que poderia me ferrar...talvez eles tivessem uma arma? Talvez fosse roubado ou estuprado? E ai que você faria leitor?

Eu assumi o risco...e quando fiz isso, estava disposto a matar ou morrer... a vida e sua experiência maldita. Eles poderiam ser terríveis, mas eu estava disposto a ser muito pior que eles... e se nada acontecesse... seriamos os três porquinhos do prazer...gozando porra em uma velha decrépita e seca! A vida e sua linda poesia.

Me sinto em paz, havia veneno em minha alma... e quanto a isso leitor, você se torna impotente, é um jogo que já ganhei, me entende? Fodam-se.
Agora o Olhos de Gato... o veículo que substituiu o fudett começaria a sua saga tambem. Carros contam histórias, o gol Olhos de Gato vai ter o que contar, tenham certeza disso, vou me esforçar para corrompe-lo completamente como o fiz com o Fudet!
Os convido para ir embora. Eles levantam...e entram no Olhos de Gato. E agora, pergunto eu. Eu ainda nem sabia o nome da velha. Nem sei que queria saber.

-Vamos pro meu Ap?  Diz a velha.

Rumamos em direção a Guabiroba. Dobra daqui, vira dali, quebra aqui...e chegamos. A madrugada avançava pesadamente. Eu estou insano...eles não falavam nada. O local cheirava a azedo, quando a porta se abriu era um caos calado. Sujeira, cheiro de algo estragado, a casa estava uma bagunça as roupas dela na sala, no chão...copos sujos a muito tempo... moscas voavam, e calcinhas encardidas no sofá. Lar do doce lar. A vida é linda. Sem palavras, sem mais delongas fomos os três para o quarto.

A velha foi a primeira a se despir. Fui tirando a roupa devagar... e ela pelada na cama...começava a se masturbar para nos esquentar... o barbudão Getúlio parecia tímido com a situação agora. E ai cadê o libertário? Decidi me soltar como um show... fiquei de cueca...tocando no pau por cima da cueca e balançando a pélvis como um Elvis de araque... me aproximei da velha deitando na cama... ela virou a bunda seca e pentelhuda pra mim...e começamos a nos esfregar levemente... ainda por cima da cueca... Getúlio agora despido foi deitando devagarinho...pela frente da velha, com um pau murcho como a repulsa de papai Noel... comecei a gritar e uivar...queria que o mundo pegasse fogo... a velha gargalhava loucamente...e num movimento rápido...baixou minha cueca...e enfiou o pau duro em seu cu áspero... um cu trabalhando e acostumado, de pregas despregadas sem amor, com um histórico largo... entrou tudo de uma vez...e a velha gemeu como uma cadela louca... uivávamos todos...

Getúlio ainda tentando esfregar na frente dela... fazíamos um bom sanduiche... cheio de representação... gosto de shows eróticos... ela só dizia: não goza no meu cu! Gozada é na cara... e então Getúlio se manifestou forte: Fabiano...tu goza no meu cu depois ?

-Que ? disse eu – Agora não Getúlio, para com isso... vamos acabar com ela primeiro...

Então a velha retrucou: Eu quero que tu comas o Getúlio tambem... eu quero ver o Getúlio ser enrabado...ha,há,há...

-Seguinte pessoal... calma ai...ok...de boa...

O Getúlio fez uma cara de quem não gosta da ideia... e eu estou atolado no cu da velha... não queria saber do rabo peludo de Getúlio... eu ia gozar no pior estilo e iria embora rapidamente.
Então o bixo pegou. Os dois começaram com uma pressão sem sentido:

-Seguinte... vai ter que comer o Getúlio!! Ou vai ter que dar para os dois e ai?

Parei de fuder a velha... mas a porra já estava saindo do cu dela... meu pau ficou mole como uma diarreia diante da pressão...

-Seguinte pessoal não vai rolar nem cu do Getúlio e nem o meu...(já me vestindo)
-Que é Fabiano, dando uma de frouxo? Diz Getúlio...
-Sai fora cara...qual é a de vocês?? Te liga né...
-Não tem essa – disse a velha – vai ficando ai...se não..
-Se não o que porra?

Getúlio veio pra cima pra defender a amiga... eu não tava mais afim de diplomacia...me cansa as vezes ser o bonzinho da historia... ele veio com dedo em riste pra perto de mim...e não pensei duas vezes, dei uma cabeçada no nariz dele... instantemente correu o melado! Tudo virou grito...

A velha enlouqueceu... o cara sangrando meio tonto...na minha frente eu vestindo a cueca... ela aos gritos me mandando embora...Getúlio dizendo que iria me matar depois... sangue escorrendo pelo chão...os vizinho agora reclamavam do barulho...diziam que ia chamar a polícia... tudo virou um caos...eu tinha que sair dali rápido... nem pensei duas vezes...e sai me vestindo pelas escadas da Guabiroba...

-Filho da puta...tu vai ver... cara vamos te achar pela rua  tu vai ver – dizia a velha insana pelada na porta... com o cu pingando porra...
Uma vizinha com rolos na cabeça:
-Isso é reduto de marginal “meso”... mas que merda que horror essa gente...chamem a polícia... só tem marginal aqui...

Encontrei o Olhos de Gato são e salvo. Deia partida nele e risquei pelas ruas detrás... desejando que as ruas me engolissem me mastigassem e depois me cuspissem fora no meu quarto e de certa forma me entregassem de volta ao urso que no início daquela noite devorava minhas vísceras. Vou comer o cu do maldito urso agora. Boa noite.


Luís Fabiano
Final.