Pesquisar este blog

domingo, março 30, 2014

Momento Boa Música



Momento Boa Música

Fica aqui também a dica para que assistam o Dvd Noite Luzidia de Maria Bethânia, que absolutamente lindo, com participações de inúmeros expoentes da MPB .

Hoje deixo aqui, Maria Bethânia e Chico Buarque cantando Sem Fantasia, derramando emoções e  belezas,atendendo a ânsia latente em nossos corações.

  Fio da Navalha  .





Pérola do DIA:

Pérola do Dia:




"Não existe inclusão social, apenas os inserimos no 
sistema, e ainda os tratamos como um fardo." 

Dra Shirley 


sábado, março 29, 2014

A Destruição dos Mitos



A Destruição dos Mitos

No escuro
Ainda algum sentimento
Derrota
Loucura,
Desconexão
Como pedras a despencar
Eu tento respirar
A plenos pulmões
 A destruição dos mitos, é esmagar a martelo
Algumas medalhas (que me concederam quando eu era herói).

Temos de eliminar o veneno das presas.
Mas permanece algo
À noite
O lobo acorda
E meu coração dispara
Atormentado, coloco o nariz para fora da janela
Em busca de ar fresco.
Rituais destrutivos
Minha fase herói e mítica
Tudo complicado.
Tenho certos segredos e sacrifícios.
Eu me importo com a fera
Que me habita, mas já sabemos:
O mundo é perigoso
E a polícia
Despreza os poetas.

Pedro Juan Gutiérrez


 Extraído da obra: El último Mistério de John Snake
 Autor: Pedro Juan Gutiérrez



Pérola do dia:



Navalhadas Curtas: Nojinho de que?




Navalhadas Curtas: Nojinho de que?

Mais um bar solitário a espera do nada. Nada deve acontecer, prefiro assim... mas eventualmente ser surpreendido pelo destino é bom. Olho a turba dos meus companheiros de noite...são os melhores que a noite pode colocar, loucos, chapados, ladrões, bêbados, drogados, tarados e todos a procura de uma esperança para suas vidas fudidas. Va-la... eu também.
Então ela se senta a minha mesa do nada, fácil como uma brisa de ópio:

-Oi negão gostoso...
-Oi...
-Acho que sou a tua companhia hoje...hein... quer?

Deus, ela apareceu fácil demais, estava meio fudida pelo tempo, tava meio zoada, olhos meio mortos de uma cobra velha, pernas de camelo, tetas de uma vaca, cabelos de uma porca o cu e a buceta eu ainda não tinha uma opinião formada:

-Sei... e quanto essa noite de amor vai me sair?
-Que isso...eu não sou puta não...
-To ligado... todos somos santos... anjos fudidos da erosão...
-Cara, eu sou a mulher certa pra ti... sei que tu teve muitas vagabundas... mas eu sou a mulher certa pode crê...

Olhei o relógio... a opção era uma punheta ou ela numa rapidinha... e ai?
E ai leitor, que você faria hein? Participe desta merda também... você é meu cúmplice nos crimes... meus e teus...

-Não existem mulheres certas... e nem homens tão pouco... existem momentos reais...
-Homens inteligentes me deixam excitada, sabia? Vamos ali no banheiro...vamos? Vem...

Ela parecia agitada demais...que porra havia?
Fomos para o banheiro... uma vez lá... ela expôs a xoxota peluda... e uma gosma estranha de esverdeada escorria dela...ectoplasma vaginal, com um cheiro típico...normalmente... não largo o osso fácil...mas desta vez aquilo era horrível... a gosma escorria pelas pernas... e ela sorria...feliz...vem aqui vem... olha como to molhadinha... o cheiro havia infestado o banheiro...um cheiro podre...era um demônio... não segurei o vomito... e ela saiu correndo do banheiro.

Eu me recuperava e o dono do bar chegou no banheiro...dizendo:

-Tu vai ter que retirar...porque não se pode fazer sexo aqui...vaza...ou...
-Tudo bem... isso foi só uma rapidinha...


Luís Fabiano.


domingo, março 23, 2014

" Trecho Solto...


"Trecho Solto...

" Tânia diz pra todo mundo ouvir:
-Eu o amo!

E enquanto Bóris se encharca de uísque, ela manda:

-Senta aqui! Ah, Boris, Russia. O que vou fazer? Não aguento mais.

A noite, quando vejo o cavanhaque de Bóris no travesseiro, fico histérico. Ah , Tânia, onde esta aquela buceta quente, aquelas ligas fartas e pesadas, aquela coxas macias e cheias? Meu pau tem um osso de quinze centímetros de comprimento. Tânia, vou alargar todas as pregas da sua buceta, cheia de semem. 

Vou mandar você para seu Sylvester em casa com dor na barriga, o ventre virado do avesso. O seu Sylvester! Sim, ele sabe acender a lareira, mas eu seu atiçar uma buceta.  Vou enfiar dardos quentes em você Tânia, vou deixar seus ovários em fogo . O seu Sylvester esta com certo ciume? E ele sente alguma coisa, não é? Sente os efeito do meu pau grande. Alarguei um pouco os lados. Passei a ferro as dobras. 

Depois de mim, você pode ficar com garanhões, touros, carneiros, cisnes, cães são bernardo. Pode enfiar sapos, morcegos e lagartos pelo reto. Se quiser, pode cagar em arpejos ou dedilhar uma citara no umbigo. Estou lhe fodendo, Tania, para que voce fique fodida. E se tem medo de ser fodida em publico, eu lhe fodo a sós. Vou arrancar alguns pentelhos da sua buceta e gruda-los no queixo de Bóris. Vou morder o seu clítoris, e cuspir dois francos em moedas".


Extraído da obra  - Trópico de Câncer
Autor - Henri Miller






PORTAS DE PEDRA



PORTAS   DE   PEDRA


Abre-se o tempo em cheios movimentos
Deita o tempo em ocos idos 
E o que fica é o silêncio
Recendendo saudade e alguma melancolia 
Então mura-se tudo...
Asfixiando a memória
Deixando em entrelinhas invisíveis uma esperança...
Tempo novo...
Tempo muda...
Nosso tempo...
A espera que o tempo abra a porta...



Local - Rua Benjamin Constant n 1541.

Salad Fingers - 01



Salad Fingers

Bizarro e psicologicamente estranho, Salad Fingers, um projeto do aclamado diretor do filme - Clube da Luta o Sr David Firth.

O personagem protagonista da série, tem distúrbios mentais graves, alucinações e esquizofrenia e uma apreciação  prazerosa em tocar em ferros enferrujados, e o contato com fantoches como amigos verdadeiros.

É uma boa pessoa, como a maioria dos loucos lúdicos, você irá gostar dele.
A trilha sonora, profundamente pertubadora, causa uma sensação estranha em quem assiste, algo entre o querer  assistir mais e sair da frente da tela.

Vou postar um episodio por semana, mas eles estão todos disponíveis nas redes sociais.



Ps - Agradecimento especial a Jean Peres, pela dica da série. Valeu Jean.


Um grande momento



Um grande momento

Quando uma mulher abre as pernas
Quando portas se fecham
Quando se mata a saudade
Quando mijamos depois de estar muito apertado
Quando teu filho chora a primeira vez
Quando o número certo acontece
Grande momento

Quando você perde
A mulher
O emprego
A família
Quando você tem grana, mas não tem o resto
Quando você amarra os próprios sapatos...
Quando a bebida cai bem
Quando você esta onde não queria estar
E não esta onde queria estar
Quando músicas rebocam lembranças
Quando você chega lá...
Quando há cura
Quando a esperança é a última fronteira
Quando deus vira de costas e o diabo te abraça sorrindo
Quando você se dá conta do tempo perdido
Grande momento

Quando estamos aqui
E a fibra da beleza se eteriza
Percebendo que não há tempo...
Quando olhares se tocam
Quando asas de eco
Fecundam um destino
Grande momento...

Quando a última estrela brilha
Quando o pau não endurecer mais
Quando a alma estiver entregue
E os chinelos não forem fáceis de serem achados
Grande momento...sim

Entre respiros...
O que se destrói....
O que se reconstrói
Exalando vida
Ainda que num pequeno momento.


Luís Fabiano.


quarta-feira, março 19, 2014

Lígia




Lígia

Conheci Lígia
Criança e menina
Sorrindo com bichos de pelúcia
E brincando com violão de brinquedo sem cordas...
Enquanto uma tempestade em sua volta acontecia

Lígia inocente
Lígia sorrindo
Lígia tomando leite as três da manhã

Depois o tempo nos abraçou
Me perdi de Lígia
Sua vida ainda não era decidida por ela
Destinos sim...
A levou pelas mudanças do tempo e do vento
Eu me fui

E dias deram lugares a anos e distancia
Sem que o carinho naufragasse

Lígia crescendo rápido
Lígia ideias firmes
Lígia personalidade gentil

Antes fui meio pai
Ela meio filha
Metades que se tornam um destino inteiro
Afagos do caminho de cada um...
O que sei dela, chega pelo vento as vezes
Que sussurra pelas frestas da alma

Lígia encanto
Lígia inteligente
Lígia carinho de serafim

Hoje sei que ela está bem...
Feliz...sim
E pelo emaranhado que a todos permeia
Eu sorrio com você as vezes.



Luís Fabiano.

terça-feira, março 18, 2014

Navalhadas Curtas: O Rabo da Amazônia



Navalhadas Curtas: O Rabo da Amazônia

Gosto de putas delicadas, suaves e sensíveis as vezes... quem não gosta?
Putas que dizem - eu te amo e beijam na boca... chupam o pau devagar, e que cospem o esperma da boca em você... gostos destas poesias sutis, mas nada demais...para não tornar-se enfadonho. A ordem me cansa... como a desordem me aborrece.

Filas de espera, contas a espera, eu sou um merda que também esta ali... com dezenas de outros merdas existenciais, enquanto uma pobre caixa, atende milhões de pessoas... em uma loja do calçadão de Pelotas.
Olho pra ela... parece exausta e com problemas... então olho pra frente. E ali estava uma coroa de rabo generoso, em um vestido apertado e florido, ela era uma Amazônia em festa!

Coisas que gosto. Coisas aberrantes, surpresas e alguma chinelagem discreta...encanto calado, flores de vestido...ocultando flores despidas.
Olho as vezes para algumas mulheres, e imediatamente tenho vontade de come-las... grande parte das mulheres conseguem me provocar isso. Sou facinho. Sou um apreciador da espécie... e sempre vejo um detalhe, que é a ponta de um desejo que desperta... sementes do mal, são lindas, horrorosas, gordas, magras, são sem dentes, com bafo de bode... e o que tem? Quem nunca...

Humanos... as vezes esquecemos a nossa animalidade... vivendo uma vida etérea, vazia repleta de coisas corretas?
A virtude acaba se tornando um vício nauseabundo... quase tão terrível como a cocaína!

Sigo olhando a bunda da coroa gostosa... pensando que talvez... ela gostasse de bater uma punhetinha pra mim, hãm?
Meu pau gosta da ideia... e vai subindo na fila... tenho vontade de ver a buceta da coroa...

Sorrio confiante, a confiança dos vulgares e tarados... porque sei, gosto de minhas próprias fantasias... e gosto mesmo.
Elas são muito melhores que as pessoas de verdade... infinitamente mais intensas, que a rude realidade feita de suor, anilina e rabos que se arrebentam trabalhando.

Agora estou excitado... e você está lendo, sim leitor(a), o meu pau esta duro e você esta junto ao ele... e eu pensava na punheta que bateria no banheiro da Loja... yes, gosto de punhetas em lugares inusitados, inspirado naquela coroa sem rosto que via... tudo que via era a bunda generosa como um samaritano feliz e descalço... uma bunda e um cu sorridente dizendo: Fabiano... Fabiano... me come...me come...

Me sinto um cavalo, um touro, uma hiena, uma bactéria feroz e feliz... yes, baterei a punheta sim... e você vai me ajudar leitor!! Certamente vai...
A fila ainda não andou... e aí?



Luís Fabiano.


segunda-feira, março 17, 2014

Navalhadas Curtas: A obesa do mal...




Navalhadas Curtas: A obesa do mal...

O politicamente correto, é um verniz feito de merda, o pegar um pedaço de merda pelo lado limpo.

Valéria não era o que eu podia chamar de amiga. Mas conversávamos eventualmente... ela era gorda, muito gorda alias. Não era preciso dizer...era notório. Foda-se cada um é como é.

Valéria parecia uma pessoal legal...falávamos de tudo, e até pensei em transar com ela umas três ou quatro vezes...ela topava, gostava de uma putaria pudica,  apesar do peso, Valéria era um ser leve... gostava de curtir... uma transa para se conhecer é bom. Corpos saciados, tudo funciona melhor... essa coisa de só amorzinho... é pra anjo e definitivamente eu não sou anjo... sou bicho selvagem e gosto de trepar gostoso.

Então pra fuder contudo, Valéria fez uma cirurgia de redução de estomago.Sonho de muitos e pesadelos de outros.
E minha pergunta fica, pessoas que se operam, mudam a personalidade? Valeria magra agora, perdeu muito quilos estava feliz... e partir desta felicidade começou a menosprezar quem não estava no peso certo... inclusive eu:

-Olá Valéria...tudo bem?
-To ótima... agora sou gostosa... e mulher gostosa não fala com qualquer um...
-Como é?  Achei que ela tivesse brincando... mas:
-É isso ai... deu daquela vidinha... medíocre de gorda ridícula...há, há, há...

Fiquei olhando pra ela...admirando a natureza imbecil que cada ser humano guarda dentro de si... esperando a hora de sair para fora... como um bote de serpente. Puta.

-Vai ficar me olhando, assim com essa cara Fabiano? Porque...

Sorri o sorriso sardônico dos filhos da puta e vomitei:

-Valéria...na cirurgia não tiraram só a tua gordura... tiraram também a tua melhor parte, a mulher bacana foi extraída com toda a gordura do teu corpo... o ficou não serve. Não fala mais comigo ok.

Dei as costas.


Luís Fabiano.


A espera que...




A espera que...

Estou a espera...
Como a ponte espera
O que vem
O que se vai...
Estou a espera...sim

Que dores se convertam em flores
No tempo fazendo sua magia leve
Breve
Rápido
Ontem e amanhã
Tecendo novos caminhos
Tragando novas costuras
Na vista que me falta

Quando perenes sombras deitam
A espera do vento
Que ele leve os traços duros do existir
Pandorga e alma
Descascando destinos serenos...

Espero sim
Que o olhar denso se desfaça
Como um castelo de areia a beira mar
Entre risos e emoções

A espera ...
Que as frases se completem entre hiatos
E que teu sorriso visite o meu vez em quando
Nas dobras que nos cercam...
A esquina que se dobra

A espera
Do amanhecer  
Vivendo luar...
Sorvendo fiapos do amor.

Luís Fabiano.



domingo, março 16, 2014

Momento Boa Música



Momento Boa Música

Existem coisas que  nos emocionam, pela beleza, pela qualidade e por esta poesia sonora
faiscando em nossa alma...
em noites de silencio quando pulsa 
um bem querer... 


                    Maria Bethânia - Dona do Dom                 





Pérola do dia:






Versões





Versões

Verdades chegam de todos os nortes
Com fino agudo de certeza
Bandeiras de vapor...
Mas como o existir...
Tudo não passa de versões...
Eu tenho a minha...
Tu tens a tua...
E tem a verdade as vezes...

Ela me olha nos olhos e diz que eu não presto
Eu acho que fiz certo
E a verdade não faz diferença alguma
Eles dizem que fui falado pelas costas
Eu não me importo... gosto de ter várias reputações
A verdade... quem realmente quer saber?

Elas brigam por merda...
A Posse de um umbigo limpo... e  o rabo que brilhe na madrugada
A verdade... é uma disputa pessoal, de suas vaidades e egocentrismos...
A verdade que se foda...

Eu não vejo problema no problema
Tu vês apenas um imenso problema...
A verdade... este é apenas um problema... mas não será o único...
Eu menti porque mentiram pra mim... e achei justo
Ela diz que não há mentira...
Mas a verdade não está... não é?

Versões...
Inversões...
Subversões...
Distorções...
Diversões
Aversões

Axiomas nas horas desmaiam...
Que ferem lentamente quando a chama se extingue lá
A verdade galopa a tua frente
Mas é preciso despir-se para se aproximar dela...
É preciso que a queiras sem mãos...
Que olhes sem olhar...
E te entregues como semente sem condições

Nem verdade de versões
Nem teu beijo judas
Nem teu abraço espinhoso...
Sempre vão haver problemas...
Mas sempre que te despires...
A solução bailará contigo...
Comigo...
E com ela.

Luís Fabiano



quarta-feira, março 12, 2014

Pérola do DIA:




Nem...





Nem...

Nem todo lobo, é feroz...
Nem todo inocente, é puro...
Nem todos que são maus, o são 
Nem sempre vai dar errado...

Assim como a natureza:
Nem todo dia cinza, é triste...
Nem toda tempestade, machuca...
Nem toda serpente é venenosa
E nem todo orvalho, é inofensivo...

Entre areia causticante do deserto
E um oásis de ventura
Somos um luminescente querer incerto.

Luís Fabiano.


terça-feira, março 11, 2014

PELOTAS TATUADA


    *       PELOTAS TATUADA          


  LOCAL:Rua Gomes Carneiro n 1377  

segunda-feira, março 10, 2014

Navalhadas Curtas: O que é do Cão o homem não come




Navalhadas Curtas: O que é do Cão o homem não come

Cães são mais importantes que o homem. Isso me parece a nova lógica. Tudo bem... não julgo, lamba o cão e deixe o homem agonizar com seu pau murcho.

Fui pagar contas hoje no centro de cidade.
Não existe prazer nisso...gente demais, filas demais, barulho demais... mas ok.

Então olho um cidadão deitado, numa caixa de papelão aberta na calçada...sujo, fedendo a suor de dias e urina seca...ardia. Exatamente ao seu lado... um cão também dormia. Tão sujo e podre quanto o dono, mas estava ali, talvez uma prova de fidelidade? 
Então você já sabe...quer fidelidade compre um cão!
Uma mulher, de vestido justo e algo curto...boas coxas, cabelo de grã-fina, para horrorizada com o cão, como se nunca tivesse visto um tão sujo nesta vida...

- Olha que pobrezinho! Tão bunitinho...e assim jogado no chão...

Abaixou-se mostrando as boas pernas ao mendigo no chão...mostrando talvez a calcinha pelo ângulo que estava... que moça boa...muito boa mesmo.
O mendigão... ficou parado olhando...e a mulher cheia de zelos com o cão...
Fiquei parado olhando aquela merda... parado... para saber o final. 
Então o mendigão dispara vendo a oportunidade:

-O senhora... ô senhora me consegue ai um pão...to com fome...

A mulher com síndrome de Moon ´Rá, o de vida eterna... responde com raiva:

-Que isso? Tu ta loco, tu é vagabundo cara, vai procurar um trabalho... o cachorro não tem culpa de nada nesta vida...mas tu...tu é isso aí...

Neste instante ela levantou... e disse que buscaria algo para dar pro cão... e se foi batendo salto, num calçadão quebrado de Pelotas...

E tudo que o mendigão teve... foi a visão daquelas pernas se afastando... e ele mergulhando no inferno novamente... lentamente... bem lentamente.


Luís Fabiano



A NAVALHA DA CENA - Baixio das Bestas.


          A NAVALHA DA CENA               

Que porra é essa?

É assim mesmo que é o Fio...sem meias palavras. 
A Navalha da Cena...é hoje em grande estilo da sensibilidade humana.
O amor tira férias... e quem não tem estomago que vomite, com vontade.

O filme em questão hoje, é o O BAIXIO DAS BESTAS. Um filme de 2007 com o diretor Claudio Assis.
A historia se passa no interior do nordeste, onde a pobreza de alma, abusos sexuais, putaria desenfreada e gente má, trás um paralelo da merda que pode dar, quando falta tudo na vida...

A cena em questão é um puteiro, onde o dono manda fechar as portas da merda, dizendo que vai começar a putaria... e Caio Blat, fala uma clássica frase: “Trás a manteiga, porque hoje eu quero é comer cu”.
Curtam ai a poesia da Cena.


Luís Fabiano.

Quero Trepar com a Monalisa




Quero Trepar com a Monalisa

O Louvre fechando as portas
Escuridão e noite
Véus que se rasgam sem horizonte
Sem promessas de mais
A vida nos vãos escuros, aqueles que ninguém olha
Vãos habitados por Ets,
Espíritos
Fantasmas e o lobisomem  também...

Monalisa se descola da tela
Uma e uma vez mais...
Desfazendo entediada o eterno sorriso
Aquele risinho parecendo que alguém a esta chupando...
Quem não chuparia a Monalisa?

Caminha solitária
Perdida sem olhares
Então me vê
Sombra de pensamento
Desejos rasgando o câncer
Uivando como lobo
Querer de vida
Morrer de querer

Nos beijamos como animais íntimos e estranhos
Despindo-se de tudo
Se perdendo um no outro
Esparramando gemidos no Louvre
Monalisa multi-orgástica
Peluda classicamente

Depois ela volta
Volta aquele risinho fácil que Leonardo lhe deu...
A divina putaria escondida
Escabelada... e com o cu doendo
Diz que tem ir...
Antes do amanhecer
Ela fuma...

Enquanto aquele risinho vai se formando outra vez
Como a perda do encanto pela rotina
Não promete amor...
Nem que irá voltar
E pela manhã...
Eu a olhei
 Mas eu sabia toda a verdade.




Ps-em homenagem ao um sonho que tive ontem,
 onde eu comia a Monalisa, ela me chamava Leonardo Navalha.

                                                                       Luís Fabiano