Pesquisar este blog

domingo, janeiro 31, 2016

Puta de fogo



Tempos velhos
Tempos novos
Mas a paixão sempre é a mesma
Mudam os corpos
As vezes o coração

Fatalidade mórbida
Então pouco importa
Você não vai durar a eternidade
Mas quem vai?
Então venha fuder lindamente comigo
Hoje, ontem e amanha
Com carne e alma
Me bata e deixa que eu ta bata
Porque o amor tem brutalidade em seu cerne
Não é apenas encanto e beleza
É perda
É morte
E dor

Como uma opera que destrói e encanta
Deixa eu te bater mais
Deixa que sejamos animais desvelados da loucura e sebo
Quando gritos e rusgas do demônio dança entre nós
E muitos nos chamarão de loucos
Muitos nos evitarão
E eles que se fodam...
Porque não sabemos absolutamente nada do outro
Você sabe?
Quem é o amigo ou inimigo?
Vamos ficar bêbados essa noite
Dando adeus ao são

Me bate com toda força, você consegue?
E eles estão nos olhando através da vidraça
Sim, agora estou falando com você que lê...
Que você sabe?
Mas eu sei de você...
Do teu nojo, do teu medo das tuas perdas
Porque não deu certo...e você sabe quem é o culpado
Quer que eu te bata também?
Se junte a nós
Numa suruba bélica dos derrotados

E que possamos fuder o encanto entre o suor da vida
Fazendo a dança macabra
Seja a minha puta
Até que tudo queime

L.F


Poesia Fotográfica


LEITE DE MÃE

Inspirado em Mad Max Estrada da Fúria


terça-feira, janeiro 26, 2016

Um pedaço de verdade


Um pedaço de verdade

Pode parecer simples
Entre gotas da chuva
Num vento despido entre fragmentos flácidos
Visgo de imponderável tão intenso
O fogo ardendo, ardendo...

Você chega perto de mim, por favor e diz
Apenas diz a verdade
Seja ela qual for
Como for
Onde for

Mas que seja verdade
Pode dizer sem medo
Eu não ataco
As vezes...

Diga que sua bunda fede e está suja
Que tem raiva de deus sim
Que tem medo de morrer
Mas por favor não seja uma apenas uma lata batendo no éter
Repetindo, repetindo tudo que não sabe
Uma máquina de vomitar
Que seja verdade, você consegue um pouquinho?
Diga o que dói profundamente
Diz

Apenas diga
Que sua hemorroida está em flor
Que há sangue na tua buceta
Que você deseja morrer ou viver
Mas que seja verdade
Pode ficar em silencio também

Deixando que o brilhos dos olhos diga que a voz é incapaz...
Diga como for
Mas não fique ai parado em minha frente
Esperando que eu acredite
Como eu poderia? 
Hein?

Luís Fabiano


sexta-feira, janeiro 01, 2016